Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Evacuação médica de um tripulante do navio “CMA CGM FIGARO” - (com vídeo)



No dia 27 de fevereiro, o Centro Coordenador de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada), conduziu uma operação de evacuação médica de um tripulante de nacionalidade francesa, que apresentava um quadro clínico de cólica renal, a bordo do navio “CMA CGM FIGARO”, de bandeira Francesa, que se localizava a cerca de 570 milhas náuticas (1055km) a leste da Ilha de São Miguel.

O pedido de assistência médica foi recebido no dia 26 de fevereiro às 10h09 (horas locais), após avaliação médica realizada pelo CODU-MAR (Centro de Orientação de Doentes Urgentes no Mar) do INEM, foi decidida a evacuação médica do tripulante de acordo com as normas e os procedimentos em vigor, tendo o MRCC Ponta Delgada assumido a coordenação das operações, dentro das suas competências, foi empenhado para esse efeito um meio do ISN da Capitania do Porto de Ponta Delgada.
A evacuação decorreu com sucesso, tendo o tripulante sido desembarcado às 14h00 (horas locais), com o navio a cerca de 02 milhas náuticas (04km) a sul do porto de Ponta Delgada da Ilha de São Miguel, e transportado posteriormente para o Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada.
(©) Copyright foto: Cecilia F. Morett (vesseltracker.com)

CARTA ABERTA A VÁRIAS ENTIDADES

CARTA ABERTA A VÁRIAS ENTIDADES
Eng. José Ribeiro Pinto

Angra do Heroísmo, 30 de Janeiro de 2013
Exmos. Senhores Presidente do Governo Regional, Secretário Regional do Turismo e Transportes e Presidentes dos Grupos Parlamentares do PS, PSD, CDS-PP, BE, PPM e PCP
Dirijo-me a V. Exas. por este meio no âmbito do apelo do Presidente do Partido Socialista e Presidente do Governo Regional no seu discurso de encerramento do Congresso do seu partido no passado Domingo, no sentido de todos os açorianos, independentemente das suas posições ideológicas ou partidárias, se juntarem a fim de se procurarem soluções para os graves problemas que nos afectam.
Faço-o publicamente, para que toda a gente interessada possa conhecer esta minha opinião (passo a imodéstia) e porque ainda somos livres!

Por coincidência, nos últimos dias surgiram duas notícias curiosas no que diz respeito ao Transporte Marítimo de Passageiros e de Cargas:
Por um lado, os Deputados do PSD da Graciosa vieram questionar o Governo Regional sobre a possibilidade de permitir o transporte de produtos frescos da Graciosa nos navios que operam no arquipélago durante os meses de Verão – usualmente o Expresso Santorini e o Hellenic Wind.
Por outro lado, o Deputado do PCP, após uma visita de trabalho a Santa Maria, veio reivindicar um navio para fazer o transporte de passageiros durante todo o ano entre as ilhas de S. Miguel e Santa Maria.
Tratam-se naturalmente de duas solicitações extremamente importantes, que derivam do deficiente Sistema de Transportes Marítimos que temos instituído na Região e que deverão ser resolvidas. Como alguns devem saber, já tive oportunidade de, quer nas páginas deste jornal, quer num programa da RTP-Açores, explanar a minha posição sobre esta temática.
No entanto, estas duas questões, que agora são colocadas avulsamente, entusiasmaram-me a escrever sobre as mesmas.
Começo pelo fim, por ser mais fácil. Apesar de entender que deve haver transporte marítimo de passageiros entre todas as ilhas de região durante todo o ano, acho que neste momento o Governo Regional deve promover a elaboração de um estudo de fundo sobre o Sistema de Transportes Marítimos que devemos implementar de/para/nos Açores, ou aproveitar e desenvolver o Estudo que a Câmara do Comércio e Indústria de Angra do Heroísmo (CCIAH) encomendou à Logistema (passo aqui a publicidade, pois não tenho rigorosamente nenhum laço com esta ou qualquer outra empresa desta área – apenas, como diz o povo, “estou a chamar os bois pelos nomes”, para que fique claro que existe um estudo, quem o encomendou, quem o fez e não haja ninguém a assobiar para o ar, como quem não quer a coisa ou não sabe de nada). Aliás, acho que a CCIAH, se ainda não o fez, devia entregar, ou pelo menos fazer uma apresentação deste estudo a V. Exas. o mais rapidamente possível.    
Assim sendo, aparece-me que não é oportuna a aquisição desgarrada de uma embarcação para fazer transportes entre S. Miguel e Santa Maria, sem sabermos as conclusões do referido estudo, de modo a, eventualmente, não deitarmos dinheiro ao mar. 
Já quanto à primeira questão, enviada em requerimento à Assembleia Legislativa dos Açores pelos dois deputados do PSD/Açores eleitos pela Graciosa, parece-me que devemos reflectir na possibilidade da sua implementação já este Verão.
De facto, parece-me que seria uma excelente oportunidade de se experimentar como é que o sistema proposto podia funcionar e, assim, começar a aferir a possibilidade de implementar este sistema, como propus nos meus artigos, apresentando os resultados à empresa que vier a elaborar o estudo acima referido.
È que o Governo Regional tem uma oportunidade extraordinária de, praticamente a custo zero, fazer a experiência, uma vez que terá os navios e os portos equipados com rampas
Desde logo, importaria decidir se neste Verão apenas se aplicaria o sistema proposto à Ilha Graciosa ou a mais ilhas. 
Logo a seguir, e lembro que teria que ser já, pois estamos a iniciar o mês de Fevereiro e quereríamos começar a experiência já a partir de Maio, que é quando chega o primeiro navio, deveríamos, salvo melhor opinião, através da Direcção Regional dos Transportes em conjunto com a Portos dos Açores, estabelecer contactos profundos com a Atlanticoline, as Empresas de Estiva, os Sindicatos dos Trabalhadores Portuários, os TMG - Transportes Marítimos Graciosenses (e outras empresas similares, se alargarmos o âmbito geográfico da nossa experiência) e as Câmaras do Comércio respectivas a fim de estudar a implementação o mais correctamente possível e ao mais baixo preço do frete possível. 
Penso que a avançar com o sistema, tudo deverá ser bem feito, ou seja: Só poderá haver cargas rolantes (cargas transportadas em carrinhas ou camiões, paletizadas ou não). Não deverá ser permitida, de forma nenhuma, a entrada, por exemplo, de empilhadores nos navios para levarem ou trazerem cargas fraccionadas, paletizadas ou não. A informação sobre as cargas deverá obrigatoriamente ser dada através da JUP – Janela Única Portuária (aproveito para informar quem não sabe, que os portos da Região estão informatizados e têm instituído desde 2011, como em qualquer outro porto do pais, um sistema de comunicação e informação simplificado e uniformizado, entre todos os intervenientes da respectiva comunidade portuária e entre portos, que dispensa quase totalmente a utilização de papel, pois tudo é feito através da internet – infelizmente não foi dado publicamente o devido relevo a esta questão, que constituiu, sem dúvida nenhuma, a maior revolução em todos os portos portugueses, de Viana do Castelo às Flores, da última década e na qual nós participámos activamente), de forma a permitir o seu controlo efectivo. Deverão ser os Serviços de Exploração portuária da Portos dos Açores a controlar as operações como acontece para qualquer outro navio.
Acho que isto é viável, fácil de avançar e extraordinariamente útil, se para tal houver vontade.
Volto a lembrar que hoje em dia, no caso da Graciosa, por exemplo, o navio de contentores só vai àquele porto de 15 em 15 dias e que os TMG vão uma vez por semana (Terceira-Graciosa-Terceira), o que quer dizer que se uma empresa graciosense pretender enviar umas caixas de melões para o Pico só tem duas hipóteses: ou mete-as num contentor que vai a S. Miguel e depois é que segue para o Pico, demorando pelo menos uma semana, ou vai nos TMG para a Terceira, para na segunda-feira seguinte chegar ao Pico. Se fôr no Santorini, por exemplo, pode embarcar duas ou três vezes por semana e chegar no mesmo dia ao Pico.
Solicito a V. Exas,, mais uma vez, que analisem este requerimento dos deputados da Graciosa e procurem realizar a experiência este Verão. Penso que, qualquer que seja o resultado, se gastará muito pouco dinheiro e todos aprenderemos muito.
Cumprimentos. 
 (©)  Copyright texto: Eng. José Ribeiro Pinto, Terceira

PS: Com este artigo do Sr. Eng. José Ribeiro Pinto, damos inicio a uma séria de artigos da sua autoria, dedicados à análise do sistema de transportes marítimos existente nos Açores. Os próximos 10 artigos serão publicados regularmente às segundas e quinta-feiras . Aproveito  desde já para Agradecer a gentileza do Sr Eng. Ribeiro Pinto em disponibilizar os referidos artigos!

AHTS "SD Northern River", em Ponta Delgada


AHTS, "SD Northern River", atracado no caís comercial do porto de Ponta Delgada dia 26 de Fevereiro de 2013. Um registo do nosso Amigo e habitual Colaborador, António Simas.
Nome: SD Northern River
IMO: 9179323
Indicativo de Chamada: 2FDV4
MMSI: 235090402
Bandeira: Reino Unido
Porto de Registo: Londres
Ano de Construcao: 1998
Data de Entrada ao Activo: 16/03/1998
Estaleiro: Myklebust Mek. Verksted AS- Gursken, Noruega. Casco#18
Casco: Ferro
Numero de Conves: 1
Comprimento Fora a Fora: 83,80 metros
Comprimento entre Perpendiculares: 76,20 metros
Boca: 18,80 metros
Pontal: 7,80 metros
Calado: 6,33 metros
Arqueacao Bruta: 3,612 toneladas
Arqueacao Liquida: 1,468 toneladas
Porte Bruto: 4,550 toneladas
Gruas: 1 grua de 50 toneladas e 1 grua de 20 toneladas
Potencia de Maquinas Principais: 9,598 hp (7,060 kw)
Numero de Motores Auxiliares: 3
Potencia de Geradores Auxiliares: 4,540 kw
Capacidade de Combustivel: 1,117 toneladas
Potencia de Thrusters: 4,258 hp (3,132 kw)
Nome Anterior: Northern River (1998-2011)
(©) Copyright fotos e recolha de dados: António Simas, S. Miguel.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

N/M "Corvo", e o itinerário dos porta-contentores para o mês de Março


Navio "Corvo", do armador Mutualista Açoreana, zarpando de Ponta Delgada, rumo a Lisboa, no dia 19 de Fevereiro 2013. Junto ás fotos, os itinerários dos porta-contentores da linha dos Açores, disponível como é habitual na página da Transinsular.
Nome: Corvo
IMO: 9381275
Indicativo de Chamada: CSBH
MMSI: 204709000
Bandeira: Portugal
Porto de Registo: Ponta Delgada
Ano de Construcao: 2007
Data de Entrada ao Activo: 18/07/2007
Casco: Ferro
Estaleiro: Estaleiros Navais de Viana do Castelo, S.A.- Viana do Castelo, Portugal. Casco#210
Numero de Conves: 1
Comprimento Fora a Fora: 119,80 metros
Comprimento entre Perpendiculares: 112,90 metros
Boca: 20,00 metros
Pontal: 8,38 metros
Calado: 7,90 metros
Arqueacao Bruta: 7,064 toneladas
Arqueacao Liquida: 3,259 toneladas
Porte Bruto: 8,893 toneladas
Gruas: 2 gruas de 45 toneladas cada
Potencia de Maquina Principal: 8,158 hp (6,000 kw)
Velocidade de Servico: 16,50 nos
Potencia de Geradores Auxiliares: 1,500 kw
Capacidade de Combustivel: 100,00 toneladas
Capacidade de Thrusters: 1,156 kw (850 kw)
(©) Copyright fotos e recolha de dados: António Simas, Ponta Delgada.
Itinerário: Transinsular


Descarga de milho- N/M "BULK HORIZON" (C/Vídeo)




 No dia de ontem foram descarregadas 5.379 toneladas de milho do navio "BULK HORIZON" entre as 10 e as 24 horas, com paragem para almoço e jantar. Desde que me lembre, constitui a maior quantidade de cereal descarregada num só dia no porto da Praia da Vitória, ainda que não completo, correspondendo a uma média horária de 448 toneladas. Prever-se-à uma redução da média à medida que os porões se esvaziem e se proceda à sua limpeza, mas é de facto uma média muito razoável para uma única grua portuária destas características.
(©) Copyright texto fotos e vídeo: Cmdt Rui Carvalho, Praia da Vitória.


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Draga "ILHÉU DA MINA", regressa ao activo depois de longa paragem



 A última descarga manifestada pela draga "ILHÉU DA MINA" no porto da Praia da Vitória reporta ao dia 18 de Maio de 2012. Registamos hoje com muito agrado a primeira dragagem após um longo período de pausa, devido a uma lenta docagem e reparações em Aveiro. A conjectura desfavorável no mercado da construção civil, com especial evidência para as obras públicas, provocada pela crise financeira e à falta de bom senso dos sucessivos governos nacionais e regionais, desembocou nesta abrupta desalanvacagem económica de consequências imprevisíveis a curto e médio prazo. É de facto uma tristeza! Esperamos que sejam novamente acesas as luzes do fim do túnel. 
(©) Copyright texto e fotos: Cmdt Rui Carvalho, Praia da Vitória.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

N/M "BULK HORIZON" na Praia da Vitória







O segundo navio com cereais/aditivos para a fabricação de rações a escalar o porto da Praia da Vitória no ano de 2013 é este N/M "BULK HORIZON". Com bandeira das Ilhas Marshall e tripulação filipina, oferece-se a descarregar 12.000 toneladas manifestadas para os recebedores UNICOL e TERCEIRENSE RAÇÕES, ambas com instalação no parque industrial, sito na freguesia de Cabo da Praia, mesmo junto ao porto comercial. Em 08.12.2012, num navio do mesmo armador, N/M "BULK SUNSET", foi efectuado o desembarque e a respectiva assistência médica no Hospital de Angra do Heroísmo a um tripulante que apresentava um quadro de infecção por malária, navio do qual não conseguimos infelizmente registo fotográfico. Por fim, e para memória futura, o total de toneladas acumulado anual é de 14.700.
Nome: Bulk Horizon
IMO: 9118238  
Indicativo de Chamada: V7JE6
MMSI: 538002505
Bandeira: Ilhas Marshall
Porto de Registo: Majuro
Ano de Construcao: 1996
Data de Entrada ao Activo: 06/05/1996
Estaleiro: Tianjin Xingang Shipyard- Tianjin, Republica Popular da China. Casco#292
Casco: Ferro
Numero de Conves: 1
Comprimento Fora a Fora: 143,34 metros
Comprimento entre Perpendiculares: 134,00 toneladas
Boca: 22,00 metros
Pontal: 12,20 metros
Calado: 8,86 metros
Arqueacao Bruta: 10,421 toneladas
Arqueacao Liquida: 5,324 toneladas
Porte Bruto: 17,386 toneladas
Gruas: 3 gruas com capacidade de 25 toneladas cada
Potencia de Maquina Principal: 5,302 hp (3,900 kw)
Velocidade de Servico: 13,50 nos
Nomes Anteriores: Eos IV e Ocean Ellie (1996-2007), Porto Vitilo (2007-2012).
(©) Copyright fotos: Duarte Lourenço, Praia da Vitória.
(©) Copyright texto: Cmdt Rui Carvalho, Praia da Vitória.
Recolha de dados: Paulo Peixoto, Boston.



Navios da Marinha Alemã, "Main A515" e "U-32", em Ponta Delgada



(©) Copyright fotos: António M. D. de Simas, S. Miguel.
Sábado, 23 de Fevereiro de 2013, o porto de Ponta Delgada, recebeu dois navios da marinha alemã, o navio auxiliar "Main A515", e o submarino "U-32". O "Main A 515", é um navio auxiliar da class Elbe, construído para o apoio a esquadrões, submarinos, caça-minas, etc. Preparado para transportar, combustível, água, alimentos, munições e outro material. Além disso possui uma "estação" médica, embora os médicos não façam parte da tripulação habitual.
Em geral a Class Elbe (6 unidades), é rapidamente configuravel, para o apoio a outros esquadrões, contudo um dos navios é modificado para o apoio aos submarinos, neste caso trata-se do "Main A 515", que continuando a ser da class Elbe, é visto como uma sub-class.
Quanto ao seu "acompanhante", trata-se do "U-32", o segundo navio da Class-212A, desenvolvido pela Howaldtswerke-Deutsche, construído nos estaleiros, Thyssen Nordseewerk em Emden e em Howaldtswerk em Kiel. O "U-32", foi o primeiro submarino não nuclear a marter-se submergido por 2 semanas.
Dados "Main A515"
Comprimento: 100.55 metros.
Boca: 15.4 metros.
Calado: 4.05 metros.
Velocidade: 15 nós.
Capacidade: 24 contentores (20 pés).
700 m3 de combustível.
60 m3 de combustível (helicopteros).
280 m3 água.
160 tons de munições.
40 tons de diversos.
Dados "U-32"
Comprimento: 56 metros.
Boca: 6 metros.
Calado: 6 metros.
Velocidade submergido, 20 nós.
Velocidade emergido, 12 nós.
Alcance: 8 000 milhas nauticas.
Teste de profundidade:700 metros.
Tripulação: 27.
Fonte: Wikipédia.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

N/M "Hacinin Ahmet", continua arrestado em Ponta Delgada


A 15 de Dezembro de 2012, publicávamos algumas fotos do porto de Ponta Delgada, onde se incluía um navio mercante turco de nome, "Hacinin Ahmet" (IMO 7500554). O navio havia entrado no porto de Ponta Delgada  a 2 de Dezembro, rebocado pelo rebocador, "Pêro de Teive", devido a uma avaria no propulsor. Entretanto o navio foi arrestado pelo Tribunal  de Ponta Delgada, o que complicou a  situação.
 O jornal, "Açoriano Oriental", noticiava a 5 de Janeiro de 2013, que os nove tripulantes do navio estavam num cenário eminente de passar fome,  não fosse a intervenção do Capitão do Porto de Ponta Delgada, Matos Nogueira, que pediu apoio à Secretaria da Solidariedade Social. 
Entretanto estamos a 24 de Fevereiro de 2013, e o navio  "Hacinin Ahmet", continua atracado no caís comercial do porto de Ponta Delgada, parece evidente que não se trata de uma situação de fácil resolução.
 O "engraçado", que obviamente não tem graça nenhuma, é que este navio é irmão do N/M "Faola" (IMO 7500566), que viveu situação semelhante em Fevereiro de 2011, no porto da Praia da Vitória! (Ver Aqui)

Nome: Hacinin Ahmet
IMO: 7500554
Indicativo de Chamada: TCCO
MMSI: 271000114
Bandeira: Turquia
Porto de Registo: Istambul
Ano de Construcao: 1984
Data de Entrada ao Activo: 03/11/1984
Estaleiro: Denizcilik Bankasi T.A.O.- Camialti, Istambul, Turquia. Casco#207
Casco: Ferro
Numero de Conves: 2
Comprimento Fora a Fora: 108,70 metros
Comprimento entre Perpendiculares: 102,58 metros
Boca: 17,00 metros
Pontal: 9,40 metros
Calado: 7,52 metros
Arqueacao Bruta: 4,446 toneladas
Arqueacao Liquida: 2,265 metros
Porte Bruto: 7,509 toneladas
Gruas: 4 gruas de 12,50 toneladas cada
Potencia de Maquina Principal: 6,000 hp (4,413 kw)
Velocidade de Servico: 15,50 nos
Potencia de Geradores Auxiliares: 1,800 kw
Capacidade de Combustivel: 138,00 toneladas
(©) Copyright fotos e recolha de dados: António Simas, S. Miguel.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

N/T "GAS RENOVATIO" na Praia da Vitória


Registamos aqui a escala vespertina do N/T "GAS RENOVATIO", no porto da Praia da Vitória com o objectivo de descarregar 496 toneladas de gás butano para o recebedor TERPARQUE, Armazenagem de Combustível, Lta.
(©) Copyright texto: Cmdt Rui Carvalho, Praia da Vitória.
(©) Copyright fotos: Duarte Lourenço, Praia da Vitória.

A rampa o futuro e a prosa

Apresento um conjunto de imagens relativas à construção da rampa ro-ro do porto da Graciosa, que se encontra em fase avançada de construção. As imagens são referentes ao dia de ontem e de hoje, dia que marca o inicio da fase de betonagem do "piso".
Tenho enormes expectativas depositadas nesta rampa, não por esta resolver sozinha qualquer problema, mas por permitir que exista condições para que  possa "nascer", uma nova era no que aos transportes marítimos insulares diz respeito. 
Não serei capaz de compreender, que existindo condições para haver um serviço ferry nos Açores como existe nos arquipélagos vizinhos à dezenas de anos,  se limite a sua futura utilização afim de proteger alguns "Illuminati". 
(©) Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa.

Entre a Praia da Terceira
E a Praia da Graciosa
A manobra é certeira
Quer em rima quer em prosa.
Os ferry's galgam o mar
E os portos com fartura
Quando querem atracar
Têm de haver rampa segura.

Somos os bons passageiros
O luxo da Região
No Verão bons marinheiros
Com direito a diversão.

Bem-haja quem nos recebe
Em cada porto de mar
E também pra quem concebe
O "roll" pra sair e voltar.

(©) Copyrights: Poema de Rosa Silva ("Azoriana") -Azoriana Blogue





Terminal Operations in Hong Kong


Terminal Operations in Hong Kong from Maersk Line on Vimeo.

N/M "FRI PORSGRUNN", carregando "malotes" com destino à Figueira da Foz





 O N/M "FRI PORSGRUNN", chegou ao porto da Praia da Vitória no dia 20 de Fevereiro  com um carregamento de  colza, com destino ao recebedor UNICOL. Após essa descarga  procedeu ao embarque de cerca de 3.000 toneladas de eucalipto em "malotes" com destino ao porto da Figueira da Foz, e ao cuidado do recebedor CELBI S.A. (Celulose Beira Industrial), que certamente terão como destino a transformação em pasta de papel.
(©) Copyright fotos: Cmdt Rui Carvalho, Praia da Vitória.