Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sábado, 30 de novembro de 2013

Será desta?

Copyright foto original: Autor desconhecido: Montagem MM Bettencourt.
No seguimento da apresentação do novo Ferry (o primeiro de dois encomendados pela RAA) que ligará  as ilhas do “triângulo”, o Presidente do Governo Regional anunciou a intenção  de a Região adquirir ainda mais dois Ferrys , de maior dimensão, para garantir um serviço fiável de passageiros , veículos e mercadorias entre todas a ilhas e  ao longo de todo o ano.
Depois da ultima “aventura “ de tentativa de  aquisição  de dois navios Ferrys , o “Atlântida” e o  “Anticiclone” , ai ai …
Bom, passado é passado  e o melhor mesmo é aprender com os erros  e assim sendo vamos tentar elaborar  alguns pressupostos para ajudar o Governo Regional a tomar uma decisão correta sobre o tema, para assim  não repetir os mesmos erros da ultima “novela” chamada “Atlântida”.
Os Novos Ferrys  não são cruzeiros , o seu objetivo principal  é levar pessoas, veículos e mercadorias (carga rodada) o mais rapidamente possível ao seu destino logo a existência de camarotes não é desejável  pois iria  encarecer o navio e diminuir a sua lotação, o mesmo raciocínio em relação à decoração  e acabamentos de luxo, tudo que é desnecessário só vai encarecer o serviço final.
A rapidez também é fundamental, os novos ferrys tem que assegurar uma velocidade superior a 20  nós  (perto de 40Km/h) , só assim  será viável  e cómodo viajar  entre as ilhas  do Grupo Oriental   e entre estas e o Grupo Central e Ocidental onde as distancias são bem maiores em relação ás ilhas do “triângulo”.
A possibilidade de os novos Ferrys levarem  carga rodada (contentores em “trailers” com ou sem trator de reboque)  tem que estar contemplada. Para viabilizar economicamente a existência  de um serviço de ferry inter ilhas nos Açores, ao longo de todo o ano, só o é possível aproveitando todas as potencialidades  de negocio ou seja alem dos passageiros e veículos o transporte de mercadorias é fundamental. 
Há a acrescentar que  a decisão de , finalmente , introduzir um serviço de Ferry ao longo de todo o ano  na nossa “auto- estrada” marítima  só peca por tardia .
Na realidade os Ferrys têm custos de combustível semelhantes aos  porta-contentores, mas com muito menos custo na carga e descarga; menor exigência ao nível das estruturas portuárias e uma maior rapidez nas operações de carga e descarga em virtude da facilidade e versatilidade da utilização de camiões  no manuseamento de contentores em trailers nas rampas RO-RO, sem necessidade de burocracia .
Falta ainda referir que este tipo de transporte poderá ser uma alternativa ao transporte aéreo de passageiros numa região demasiado dependente  das condições atmosféricas para se viajar de uma ilha para outra.
© Artigo da autoria de, Gonçalo Almiro Matos Costa, S. Miguel.  Publicado no jornal Correio dos Açores, e  aqui publicado  com a sua autorização, Obrigado!
Lembro que a "porta" deste blog está sempre aberta à colaboração dos visitantes, terei todo o gosto em partilhar as vossas ideias opiniões, através de artigos, sendo este um bom exemplo.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Entrega do NRP Figueira da Foz - P361


 © Copyright texto e vídeo: Marinha Portuguesa.
O auto de receção foi assinado, em representação dos ENVC, pelo Engenheiro Jorge Camões e, em representação do Estado português, por delegação de Sua Excelência o Ministro da Defesa Nacional, pelo Almirante José Saldanha Lopes, Chefe do Estado-Maior da Armada.

O NRP Figueira da Foz destina-se prioritariamente a exercer a defesa dos interesses nacionais e a realizar outras tarefas de Interesse Público nas áreas de jurisdição ou responsabilidade portuguesa.

Este navio está particularmente vocacionado para atuar na Zona Económica Exclusiva nacional desenvolvendo tarefas específicas no âmbito da busca e salvamento no mar, da fiscalização da pesca e do controlo da navegação, em particular, no que se refere aos esquemas de separação de tráfego, da prevenção e combate a atividades ilegais como o narcotráfico, imigração ilegal, tráfico de armas e outros ilícitos, em colaboração e apoio a outras autoridades nacionais.

Para além destas tarefas, este navio tem capacidade para cooperar em operações militares de baixa intensidade, assim como em ações decorrentes da promulgação do estado de sítio ou emergência e no apoio humanitário na sequência de desastre natural.

O NRP Figueira da Foz incorpora as mais recentes tecnologias de Navios Patrulhas Oceânicos. Com capacidades multifacetadas, está equipado com vários sistemas integrados, nomeadamente, de Navegação, de Controlo e Comunicações, de Controlo da Plataforma, este último permitindo o apoio a operações de aterragem / descolagem diurnas e noturnas de helicópteros de média dimensão. Com uma autonomia considerável, grande manobrabilidade e automação, demonstradas nas provas de mar, o navio pode cobrir a totalidade da Zona Económica Exclusiva Portuguesa.

O NRP Figueira da Foz é comandado pelo Capitão-tenente Ricardo Manuel Correia Guerreiro e tem uma guarnição constituída por 38 militares.

"Marco Polo", no Terminal Marítimo da Horta




© Copyright fotos: Miguel Nóia, Faial. (Galeria do Autor)
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston.
O novo Terminal Marítimo do Porto da Horta, recebeu ontem dia 28 Novembro, a escala do navio de cruzeiros, "Marco Polo", possibilitando ao Amigo Miguel Nóia, mais um conjunto de belas fotos, abrangendo a cidade e o canal Faial-Pico, que por generosidade do autor aqui partilhamos!  De referir que se trata do último navio de cruzeiros do corrente ano a escalar o Porto da Horta.
 Nome: MARCO POLO.  
IMO: 6417097.
Indicativo de Chamada: C6JZ7.
Numero de MMSI: 308693000.
Bandeira: Bahamas.
Porto de Registo: Nassau.
Operadores:Cruise & Maritime Voyages- Essex, Inglaterra, Reino Unido.
Ano de Construcao:1965.
Data de Entrada ao Activo: 14/08/1965.
Estaleiro: VEB Mathias- Thesen Werft- Wismar, Republica Democratica da Alemanha. Casco#126.
Comprimento Fora a Fora: 176,28 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 155,00 metros.
Boca Maxima: 23,63 metros.
Pontal: 13,49 metros.
Calado: 8,20 metros.
Arqueacao Bruta: 23,080 toneladas.
Arqueacao Liquida: 9,081 toneladas.
Porte Bruto: 5,180 toneladas.
Numero de Conves: 4.
Numero de Cabines: 425.
Numero de Camas: 922.
Numero de Tripulantes: 450.
Potencia de Maquinas Principais: 21,000 hp (15,446 kw).
Potencia de Maquinas Auxiliares: 3,720 kw.
Velocidade de Cruzeiro: 20,50 nos.
Potencia de Geradores Auxiliares: 2,560 kw.
Potencia de Thruster: 1,224 bhp (900,00 kw).
Nome Anterior: Aleksandr Pushkin (1965-1991).






quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Descarregando o N/M "Ponta do Sol", em 5 minutos (fast movie)



O porto da Graciosa, voltou ontem a receber mais uma escala  do, N/M "Ponta do Sol", desta vez operado pela Transinsular. Para não repetir imagens que os visitantes estão habituados a ver aquando das escalas deste porta-contentores, desta vez fiz uma pequena inovação/experiência, comprimi um vídeo de 1 hora e 30 minutos, em pouco mais de 5 minutos!
Uma Saudação "bloguista", ao Cte João Silva e restante tripulação do N/M "Ponta do Sol"!
© Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa.


terça-feira, 26 de novembro de 2013

Imagens fantásticas da viagem inaugural do primeiro Triple-E


Vídeo Canal Yaroslav Karetnikov
Imagens fantásticas da viagem inaugural do primeiro Triple-E,  "MÆRSK MC-KINNEY MØLLER".
Lista dos nomes dos Triple-E:
1-Mærsk Mc-Kinney Møller (delivered July 2013, in service)
2-Majestic Mærsk (delivered July 2013, in service)
3-Mary Mærsk (delivered August 2013, in service)
4-Marie Mærsk (delivered September 2013, in service)
5-Madison Mærsk (delivered July 2013, in service)
6-Magleby Mærsk (under construction)
7-Maribo Mærsk (under construction)
8-Marstal Mærsk (under construction)
9-Matz Mærsk (under construction)
10Mayview Mærsk (under construction)
11-?
12-?
13-?
14-?
15?
16?
17?
18-?
19-?
20-?

Governo dos Açores satisfeito com prolongamento do regime de exceção da pesca do atum bonito no Atlântico

Texto e foto:  Gacs
O Governo dos Açores congratulou-se com a aprovação, que era pretendida pela Região, do prolongamento do regime de exceção da pesca do bonito no Atlântico na votação que decorreu hoje na Cidade do Cabo, África do Sul, no último dia da reunião anual da Comissão Internacional para a Conservação dos Atuns do Atlântico (ICCAT).

Este regime de exceção permite aos armadores açorianos efetuar capturas desta espécie de atum, utilizada pela indústria conserveira sedeada na Região, sem limite de quota estabelecido.

“Com esta votação, a Região pode continuar a manter os níveis de captura existentes até à data, com benefícios para o rendimento dos pescadores e para as conserveiras açorianas”, afirmou o Diretor Regional das Pescas.

Luís Costa destacou ainda a aprovação da proposta de flexibilização do período de defeso para o atum rabilho no Atlântico, desde que por embarcações que exerçam a pescaria com a arte de salto e vara, que é a praticada pelas embarcações açorianas.

Desta forma, a Região poderá flexibilizar o calendário mais adequado para o período de defeso a aplicar no mar dos Açores nas capturas de atum rabilho.

A Região Autónoma dos Açores, além da satisfação destas duas pretensões, também defendeu, nesta reunião anual da ICCAT, o reforço de quota de patudo, mas, como o estado do stock desta espécie de atum será alvo de uma avaliação científica em 2014, a Comissão anunciou que eventuais revisões de quota ficarão dependentes dos resultados dessa avaliação.

Luís Costa reiterou ainda que a Secretaria Regional dos Recursos Naturais pretende incentivar a valorização comercial do atum através da criação de canais de distribuição, nomeadamente com os Estados Unidos.

A próxima reunião anual da ICCAT, comissão responsável pela gestão e conservação de tunídeos e afins, vai decorrer em novembro de 2014, em Itália.
 

N/M "ALGA", no Porto da Praia da Vitória



  © Copyright texto  e fotos: Cte Rui Carvalho, Praia da Vitória.
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston.
Fotos referentes à chegada do N/M "ALGA" ao porto da Praia da Vitória com o objectivo de descarregar 2.739 toneladas de sêmea para os recebedores UNICOL e Terceirense Rações. Curioso o facto de a maioria da tripulação ser de origem Síria, não muito habitual por cá, mas nas bocas do mundo devido à terrível guerra civil que por lá está instalada, e também pelo registo do navio ser das Ilhas Cook, provavelmente um local muito mais pacífico e paradisíaco.
Nome: ALGA.
IMO:8812954.
Indicativo de Chamada: E5U2608.
Numero de MMSI: 518661000.
Bandeira: Ilhas Cook.
Porto de Registo: Avatiu.
Operadores: Lidmar Shipping & Trading Co.- Atenas, Grecia.
Ano de Construcao: 1991.
Data de Entrada ao Activo: 30/12/1991.
Estaleiro: Donghai Shipyard- Shanghai, Republica Popular da China. Casco#8820.
Comprimento Fora a Fora: 91,21 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 84,00 metros.
Boca Maxima: 15,06 metros.
Pontal: 7,60 metros.
Calado: 5,00 metros.
Arqueacao Bruta: 2,854 toneladas.
Arqueacao Liquida: 1,107 toneladas.
Porte Bruto: 2,700 toneladas.
Gruas: 2X 50,00 toneladas.
Potencia de Maquina Principal: 2,300 hp (1,692 kw), 1 helice FP.
Velocidade de Servico: 13,00 nos.
Numero de Boilers: 2.
Potencia de Geradores Auxiliares: 636,00 kw.
Nomes Anteriores: Baltimar Comdiflate (1991-1992), Aotea Link II (07/1992-09/1992), Baltimar Comdiflate (1992-1995), Baltimar Saturn (01/1995-06/1995), Orient Vision (1995-1996), Baltimar Saturn (1996-2010), e Opal (2010-2012).

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Baptismo e apresentação do novo ferry "Mestre Simão"

Ontem decorreu no Terminal Marítimo do Porto da Horta, o baptismo e apresentação pública do novo ferry da  Atlânticoline, "Mestre Simão". A cerimónia foi presidida pelo Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro. Chega assim, felizmente a "bom porto", o processo de construção deste primeiro ferry, estando a entrega do 2º ferry, "Gilberto Mariano", prevista para  Dezembro. Este processo tem sido liderado pelo Dr. Carlos Reis actual Presidente do Conselho de Administração da Atlânticoline.
O Presidente do Governo garantiu hoje que os dois novos navios de transporte de passageiros e viaturas, que vão começar a operar no Grupo Central no início do próximo ano, constituem uma peça essencial na “revolução tranquila” que se está a operar no modelo de transporte marítimo na Região.

A construção destes dois novos navios – “Mestre Simão” e “Gilberto Mariano” – “não foi uma opção política que se esgote na sua entrada em funcionamento”, salientou Vasco Cordeiro, ao assegurar que se integram, sim, na criação de um espaço económico regional, com o consequente potencial de criação de riqueza e de emprego que permite.

O Presidente do Governo falava na cidade da Horta, na cerimónia de bênção e apresentação pública do “Mestre Simão”, que, em conjunto com o segundo navio, que terá o nome “Gilberto Mariano”, representam um investimento de cerca de 18,5 milhões de euros.

A prioridade que o Governo atribuiu à construção destes dois navios constitui, segundo Vasco Cordeiro, o reconhecimento e a resposta ao “caráter verdadeiramente essencial dessa ligação”, desde logo entre o Faial, o Pico e São Jorge, e numa perspetiva mais geral, entre todo o Grupo Central.
“É também para responder a esse potencial, naquilo que ele encerra de desenvolvimento económico pela integração de três mercados insulares distintos, que a opção de elevar a construção destes novos navios a prioridade estratégica nesse domínio encontra a sua justificação”, acrescentou.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo sublinhou que o “Mestre Simão”, além de assegurar maior conforto e segurança aos passageiros, garante ainda uma evolução significativa ao nível do transporte de doentes.

“A possibilidade de transporte de ambulâncias, bem como as orientações que já foram transmitidas, quer à Secretaria Regional da Saúde, quer à Secretaria Regional do Turismo e Transportes, quanto a tornar regra, sempre que tal se justifique do ponto de vista médico, a utilização dessa possibilidade, pretende resolver uma situação há muito reclamada e que tem a ver, em primeiro lugar, com a dignidade e o respeito pela intimidade e o bem-estar daqueles que, afetados pela doença, necessitam de se deslocar a outra ilha para aí receberem os cuidados necessários”, salientou Vasco Cordeiro.

Nos casos em que o transporte em ambulância não seja utilizado, os dois navios estão dotados de enfermaria devidamente preparada, o que assegura condições mais adequadas do que as existentes.

Vasco Cordeiro sublinhou, por outro lado, que o transporte de viaturas passa a estar disponível em ambos os navios, uma inovação na ligação regular entre estas ilhas e que pretende ser uma “aposta e um alicerce na construção de um mercado interno com inegável benefício para a economia” do Faial, Pico e São Jorge.

No caso do “Mestre Simão”, bem como no caso do segundo navio, cuja chegada está prevista ocorrer até ao final do corrente ano, o Governo dos Açores pretendeu homenagear duas das várias figuras de referência do transporte marítimo entre o Pico e o Faial, disse Vasco Cordeiro.

Texto : Gacs

Presidente do Governo dos Açores anuncia construção de novos navios no âmbito da criação de um verdadeiro mercado interno

© Copyright foto e texto: GACS

O Presidente do Governo dos Açores anunciou, este domingo, a construção de dois novos navios de transporte de passageiros e de viaturas, uma decisão que se enquadra na estratégia de criação de um verdadeiro mercado interno açoriano.

“É também ao serviço dessa visão estratégica, dessa ambição de progresso e de desenvolvimento, que estamos a concluir os trabalhos finais para o lançamento do processo de construção de mais dois navios ferry para o transporte de pessoas e de viaturas”, afirmou Vasco Cordeiro, que falava na apresentação do novo navio “Mestre Simão”, que vai assegurar as ligações no Grupo Central a partir do início de 2014.

Segundo o Presidente do Governo, os dois novos navios ferry a construir serão, assim, um “instrumento para que, à escala regional, se possa cumprir e concretizar a criação de um verdadeiro mercado interno açoriano”.

De acordo com Vasco Cordeiro, a evolução do transporte marítimo nos Açores tem sido alvo de uma ligação articulada e lógica com um conjunto de outros investimentos que o Governo dos Açores tem já realizado e com vários trabalhos que tem em curso ou em fase de conclusão.

Na cidade da Horta, o Presidente do Governo salientou ainda que estas opções integram-se na estratégia definida de criação de um mercado interno, de melhoria das condições de mobilidade de pessoas e bens por via marítima e de valorização dessa relação com o Mar.

“É também ao serviço dessa visão que foram realizados os investimentos de dotar os portos da nossa Região com rampas roll on/roll off, que foi construído este Terminal Marítimo em que estamos, que está em construção o Terminal Marítimo da vizinha vila da Madalena do Pico, que temos estado a aperfeiçoar, apesar do desafio técnico e de engenharia que o mesmo representa, o projeto de construção do Terminal Marítimo de São Roque do Pico, que estamos a avançar com o projeto de ampliação do Porto Comercial das Velas de São Jorge, ou com o projeto de construção de rampa roll on/roll off no Porto da Calheta, entre muitos outros”, frisou Vasco Cordeiro.

domingo, 24 de novembro de 2013

Wind Surf em manobra. Tenerife.

 Tenerife. 17.15h ontem.
 
LENGTH: 187m including bowsprit
DRAFT: 5 meters
TONNAGE: 14.745 tons (grt)
BEAM: 20 meters
SAILS:computer-operated  2.600 m2 (*)
MASTS: 5 of 67 meters each
(*) J.S. Elcano with a length of 113m has a
total sail surface of 3.151m2
ENGINES: 4 diesel electric generating sets,
2 electrical propulsion motor
SPEED: 10 to 12 knots with engines only;
up to 15 knots wind and engine assisted

CAPACITY: 310 Guests
CREW: 191 

 
 
  
(©) Copyrights texto y fotos: Antonio Sáez, Tenerife.
 
 7 Days Caribbean
Wind Surf Cruises

Philipsburg / St. Maarten, Le Marin,
Pigeon Island, Roseau, Iles Des Saintes,
Basseterre, Philipsburg / St. Maarten

Prices from:
Suite for two: over $6000
$900 pro two pers/day.
Transatlantic "only"
$700 p/d


O regresso do, N/M "Geysir", ao porto da Praia da Vitória


© Copyright texto e fotos: Cte. Rui Carvalho, Praia da Vitória.
 Após uma longa ausência (11 de Março de 2012) voltou ao porto da Praia da Vitória o nosso conhecido porta-contentores "GEYSIR" afecto ao abastecimento das forças armadas americanas da base aérea das Lajes. Algumas fotos do evento.
Nome: GEYSIR.
IMO: 7710733.
Indicativo de Chamada: WDF3296.
Numero de MMSI: 338669000.
Bandeira: Estados Unidos da America.
Porto de Registo: Norfolk, Virginia.
Operadores: Trans Atlantic Lines Shipholdings- Greenwich, Connecticut, EUA.
Ano de Construcao: 1980.
Data de Entrada ao Activo: 17/06/1980.
Estaleiro: Equitable Shipyards, Inc.- Madisonville, Louisiana, EUA.-Casco#1716.
Comprimento Fora a Fora: 90,07 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 83,52 metros.
Boca: 13,72 metros.
Pontal: 6,71 metros.
Calado: 4,53 metros.
Arqueacao Bruta: 2,266 toneladas.
Arqueacao Liquida: 1,208 toneladas.
Porte Bruto: 2,000 toneladas.
Numero de Conves: 2.
Gruas: 2X 20,00 toneladas, 1X 8,00 toneladas, e 2X 5,00 toneladas.
Potencia de Maquina Principal: 3,001 hp (2,207 kw), 1 helice FP.
Velocidade de Servico: 13,75 nos.
Potencia de Geradores Auxiliares: 800,00 kw.
Numero de Thrusters: 1.
Nomes Anteriores: Amazonia (1980-1984), Rainbow Hope (1984-1999), e Juno (1999-2000).
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston.


How Shipping Containers Are Made


Artigo relacionado: Sistema de identificação dos contentores.

sábado, 23 de novembro de 2013

SUBSÍDIOS PARA O ORDENAMENTO DO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA

Caso se concretize o previsto reordenamento do porto da Praia da Vitória para 2014, sugerimos aqui que seja concentrado o investimento na construção de uma segunda rampa Ro-Ro destinada aos navios ferry da Atlânticoline. A necessidade centra-se na melhoria da operação de transbordo de passageiros e viaturas entre navios, uma vez que é neste porto que a logística nodal é concretizada. Além do mais, os ganhos resultariam numa redução significativa dos tempos de transito e na melhoria da segurança da entrada, saída e permanência das embarcações no porto. Por ultimo importa referir que também se libertava o cais -10 para operações com navios de carga evitando-se assim atrasos ou alterações de programação de escalas por falta de espaço de cais como frequentemente acontece. Lembramos que os horários da Atlânticoline obrigam a que no verão o cais -10 esteja cativo dias inteiros para as escalas dos seus navios.
© Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Praia da Vitória.
© Copyright foto: Desconheço o autor da foto original! Mas terei todo o gosto em atribuir os créditos ao autor!


sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Força Aérea resgatou hoje nove tripulantes de embarcação espanhola "Ghandhi" (Vídeo)


Força Aérea resgatou hoje nove tripulantes de embarcação espanhola, "Ghandhi" que afundava a cerca de 240 Km a Sudoeste do Cabo Espichel.
Fonte: Força Aérea Portuguesa.
Vídeo: Canal relpubfap
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston.
Nome: GHANDHI.
IMO: 9163427.
Indicativo de Chamada: EA3023.
Numero de MMSI: 224058150.
Bandeira: Espanha.
Porto de Registo: Vigo.
Matricula: 3-VI-78-97.
Donos: Baz Alonso A.
Ano de Construcao: 1997.
Data de Entrada ao Activo: 16/04/1997.
Estaleiro: Montajes Cies S.L.- Vigo, Espanha. Casco#28.
Construcao de Casco: Ferro.
Construcao Fora a Fora: 20,25 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 15,50 metros.
Arqueacao Bruta: 99,60 toneladas.
Arqueacao Liquida: 18,00 toneladas.
Porte Bruto: 60,00 toneladas.
Maquina: 1X Volvo-Penta (Suecia), TAMD163A, 6 cilindros, 375,00 hp (276,00 kw), 1,500 rpm.
Tipo de Engrenagem Principal: Palangres a Deriva.

Nome Inicial: Xon.

"Mestre Simão", atingiu nos teste de mar 16,7 nós


 Os estaleiros Armon Burela, Espanha,  efectuaram a 17 de Setembro, os testes de mar da sua nova construção casco nº "734", ou seja o novo ferry da Atlânticoline, "Mestre Simão". Embarcação  que foi classificada pelo Bureau Veritas. 

Durante os testes efectuados, verificou-se que o navio atingiu uma velocidade máxima no teste de navegação de, 16,7 nós, tendo atingido com carga total 16,34. Quanto à velocidade de serviço, deverá situar-se nos 14-14,5  nós.

De salientar, a ausência de vibrações, um nível de ruído muito baixo, equipado com um excelente ar condicionado,  apresenta excelente capacidade de manobra, além de oferecer excelente conforto., entre outras virtudes que serão realçadas na devida altura.
VICUSdt foi contratada para projectar as hélices com que o navio está equipado. A velocidade contratada para este projecto pelo armador (Atlânticoline), era 16 nós. Os testes foram bem sucedidos quer para VICUSdt, quer para o estaleiro.  A Atlânticoline vê assim este processo decorrer dentro da normalidade com o cumprimento do estabelecido no contrato, nomeadamente a questão da velocidade contratada.
Fonte: VICUSdt
As principais características das hélices projectadas:
Número de lâminas 5
Diâmetro 2260 milímetros
Material de Cu Ni Al
Peso 1,143 kg
2240kW de potência
rpm 327

© Foto: VICUSdt

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Imagens espectaculares relativas à expansão do Canal do Panamá (Vídeo)


Vídeo aéreo espectacular que mostra, as obras de expansão do  Canal do Panamá no lado Atlântico.
Vídeo: Elcanaldepanamatv

Mais um vídeo, que faz uma apresentação da obra e do actual estado da mesma.
Vídeo: PanamáCanalOline
Vídeo: Canal Giulio Giuliano

Vídeo: Canal Sarens NV

"Gilberto Mariano", assim será nomeado o 2º ferry da Atlânticoline

Captura do Site VesselFinder
"Gilberto Mariano", assim será nomeado o 2º ferry da Atlânticoline, que está sendo construído nos Armon Burela, em Espanha. Informação deixada no espaço dos comentários pelo Visitante, Sr. Silva, Obrigado!
Agradeço também ao Amigo Nelson Tavares o link que me ajuda a perceber que foi o picoense, Gilberto Mariano!
 Arquivo: Mestre Simão

BENÇÃO E APRESENTAÇÃO DO NOVO NAVIO PARA TRANSPORTE DE PASSAGEIROS E VIATURAS LIGEIRAS “MESTRE SIMÃO”


A cerimónia de BENÇÃO E APRESENTAÇÃO DO NOVO NAVIO PARA TRANSPORTE DE PASSAGEIROS E VIATURAS LIGEIRAS “MESTRE SIMÃO”, terá lugar no dia 24 de novembro de 2013, pelas 16 horas, no Terminal Marítimo de Passageiros do Porto da Horta.
Esta cerimónia será presidida por Sua Excelência o Presidente do Governo Regional dos Açores.
Nota de imprensa : Atlânticoline
Copyright foto: Miguel Nóia, Faial.