Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Navio de Carga Geral "JORK" na Praia da Vitoria




© Copyright fotos: Cte. Rui Carvalho; Duarte Vtorino, Praia da Vitória.
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Medford
Veio de Abidjan de com um lote de 4.400 toneladas de sêmea de trigo, e outro de qualquer coisa com destino a Espanha. Uma escala rápida de 24 horas com a ajuda deste verdadeiro dia de verão. Já merecíamos.
Nome: JORK.
IMO: 9535606.
Indicativo: V2QF5.
MMSI: 305656000.
Bandeira: Antigua e Barbuda.
Porto de Registo: Saint John's.
Matricula: 4808.
Operadores: Heinz Corleis Reederei KG- Stade Niederelbe, Alemanha.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 2010.
Data de Entrada ao Activo: 30/11/2010.
Estaleiro: B.V. Scheepswerf Damen- Gorinchem, Holanda. Casco#567310.
Comprimento Fora a Fora: 145,65 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 136,80 metros.
Boca Máxima: 18,33 metros.
Pontal: 10,30 metros.
Calado: 7,40 metros.
Deslocamento: 15,102 toneladas.
Arqueação Bruta: 8,059 toneladas. 
Arqueação Liquida: 3,909 toneladas.
Porte Bruto: 10,872 toneladas.
Número de Tripulantes: 12. Número de Gruas: 2X 80,00 toneladas.
Potencia de Maquina: 4,320 kW (5,873 hp), 600,00 rpm. 1 hélice CP, 159,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,20 nos. Velocidade Máxima: 14,80 nos.
Potência de Maquinas Auxiliares: 1,146 kw. 
Número de Caldeiras: 2.
Potência de Geradores Auxiliares: 1,810 kw.
Potência de Thruster: 650,00 kW(884,00 bhp).


O meu Agradecimento ao Amigo Duarte Vitorino e aos colegas pelas interessantes fotos da operação!

As maiores felicidades, Amigo Melvino


© Copyright foto: Carlos Medeiros, Terceira.
 O nosso Amigo e Colega, António Melvino Lourenço, efectuou hoje o seu último dia de trabalho, fruto da obtenção da sua merecida reforma. Foram 41 anos e 3 meses de histórias de vida portuária para contar, que vão desde a, J.A.P.A.H, passando pela,  A.P.T.G., SA, (onde foi Administrador), e na actual Portos dos Açores, SA.
Várias vezes tivemos o privilégio de contar com a sua presença em serviço no porto da Graciosa, tendo a sua última visita em trabalho sido assinalada, com a foto de família.
Ao Amigo e Colega,  Melvino, que sempre me tratou com simpatia e respeito, Obrigado por tudo! Desejamos-lhe as maiores felicidades, uma merecida e pacífica aposentação junto dos seus, sabendo que deixará saudades em toda a comunidade marítima-portuária, especialmente na Ilha Graciosa onde será sempre reconhecido como um filho da casa. Bem haja !

quarta-feira, 28 de maio de 2014

HSC "Hellenic Wind", em Ponta Delgada



© Copyright fotos: António Simas, S. Miguel.
 HSC "Hellenic Wind", atracado no caís interior das Portas do Mar, dia 27 do corrente mês, aguardando pelo dia 6 de Junho para se juntar ao "colega", "Express Santorini", na operação ferry da Atlânticoline.

N/M "Ilha da Madeira", em operação no porto de Ponta Delgada

© Copyright fotos: António Simas, S. Miguel.
N/M "Ilha da Madeira", em operação no porto de Ponta Delgada dia 27 de Maio de 2014. Lembro que não é frequente a sua presença nos Açores, a sua vinda poderá eventualmente dever-se a falta de capacidade da frota de porta-contentores da linha dos Açores, em transportar toda a carga. Esta semana encontram-se nos Açores os navios porta-contentores, "Ponta do Sol", "Furnas" e "Monte da Guia".

RADIOTERAPIA NOS AÇORES E O PORTO DAS PIPAS

RADIOTERAPIA NOS AÇORES E O PORTO DAS PIPAS
© Texto: Eng. José Ribeiro Pinto
© Copyright foto : Carlos Medeiros, Terceira.
Na passada terça-feira, José Eduardo Machado Soares, com o bom senso e objectividade que todos devemos reconhecer-lhe, publicou no jornal Diário Insular, um brilhante artigo no qual apresenta as suas dúvidas sobre a justificação da implementação de um serviço de radioterapia nos Açores (note-se que ele fala sempre nos Açores, sem se preocupar se devia ser na Terceira ou em S. Miguel), salientando o que teria de grave e de irresponsabilidade decidir sobre a implementação nos Açores de um serviço tão sensível como é a radioterapia sem que tenham sido desenvolvidos os estudos necessários para o efeito.
A leitura deste artigo lembrou-me uns outros, também publicados aqui no DI no início do mês passado, sobre uma eventual ampliação do Porto das Pipas. Aí se dizia que estavam a ser estudadas várias soluções e que o projecto definitivo deverá ser uma realidade este Verão. Também o senhor Secretário Regional do Turismo e Transportes, aquando da apresentação do PIT – Plano Integrado de Transportes, referiu que “O cais de cruzeiros de Angra será substituído por um investimento ao nível da modernização e da operacionalidade do Porto das Pipas, dotando-o de uma rampa ro-ro (roll on, roll-off) e de uma solução que a seu tempo apresentaremos, que visa sobretudo dar a centralidade que Angra sempre teve e fomentar rotas tradicionais, como aquela que existia entre Angra e a Calheta de S. Jorge”.
Ora bem: Se se pretende resolver o problema da rampa para os novos navios “Mestre Simão” e “Gilberto Mariano”, basta construir uma rampa ro-ro – aliás já devia ter sido construída, pois os navios foram encomendados há mais de 3 anos. Como não foi, agora assiste-se à pouca vergonha de ter, a partir de 15 de Junho, um navio a escalar os dois portos, na tal rota tradicional, com capacidade para transportar viaturas, mas sem possibilidade de as carregar/descarregar em qualquer dos dois portos!!!
Afinal parece que há mais. Pretende-se dar a Angra a centralidade que sempre teve. Que centralidade é esta? Antes ela resultava do facto do porto de Angra ser o único da ilha. Agora a centralidade portuária está na Praia da Vitória e os navios são outros. Será que se pretende construir uma infra-estrutura no Porto das Pipas para servir todo o transporte de passageiros inter-ilhas? Vamos construir cais e rampas para o “Santorini” e para o “Helenic Wind” e depois para os dois ferries que já estamos a comprar?
Onde estão os estudos que justificam esta eventual opção que custará uns bons milhões de euros?
Já sabemos todos que os novos ferries só serão rentabilizados (ou pelo menos o seu prejuízo de exploração só será diminuído) se lhe metermos carga juntamente com os passageiros. Mais: Muitos já consideram que eles deverão passar a fazer parte da distribuição inter-ilhas das cargas vindas do Continente deixadas no porto da Praia da Vitória e vice-versa. É óbvio que esta operação nunca poderá ser feita no Porto das Pipas!
Como também é óbvio para quase toda a gente – o deputado Lizuarte Machado disse-o claramente ao senhor Secretário na televisão – que a operação dos ferries só com passageiros daria um prejuízo da ordem dos 10 milhões de euros por ano, resulta que tal operação, só com passageiros, nunca deverá ser feita no Porto das Pipas, pelo que, parafraseando o meu amigo José Eduardo Machado Soares, será grave e irresponsável decidir sobre a implementação de um grande cais neste porto, sem que tenham sido desenvolvidos os estudos necessários para o efeito.
O que me parece de todo aconselhável é construir urgentemente uma rampa no cais interior do Porto das Pipas, no local onde se encontra o cais do “travel-lift” deslocando este para o seu lado exterior. É uma obra rápida e barata que resolve completamente a questão dos navios Angra – Calheta.
Quanto à centralidade de Angra seria muito bom que o senhor Secretário e o senhor Presidente da Câmara de Angra do Heroísmo se inteirassem e alterassem a forma como tem sido feita a promoção do turismo de cruzeiros para os Açores. 
Como é que há dez anos só havia 27 navios de cruzeiros por ano em toda a Região (praticamente 9 em cada um dos três portos PDL, PV e Horta) e agora continua a haver 9 na Terceira e mais de 100 em P. Delgada? Acreditem que não é só o efeito Portas do Mar. Se os turistas que viajam nos cerca de 100 navios que vão a P. Delgada e não vêm à Terceira soubessem que estavam a passar ao largo de uma ilha que tem a única Cidade Património Mundial no Atlântico Norte e não lhes foi dada a possibilidade de a visitar, seguramente reclamariam com as suas Agências de Viagens e Companhias de Navegação!   
O Porto da Praia tem ou pode ter, facilmente, várias hipóteses de receber esses navios de cruzeiro, os quais também podem vir para Angra se preferirem, ficando ao largo como, por exemplo, fazem as centenas de navios de cruzeiros que escalam anualmente a ilha grega de Santorini que tem um porto mais pequeno que o do Corvo!     
Está na altura de repensar estas questões e poupar o dinheiro de todos nós.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Procedimento de contratação pública para reparação do Porto da Praia da Vitória já foi lançado

 © Copyright fotos: Carlos Medeiros, Terceira.
O procedimento de contratação pública para a execução da empreitada de reparação do cais do Porto da Praia da Vitória e pavimentação do acesso ao parque de combustíveis anexo àquela infraestrutura portuária da ilha Terceira acaba de ser lançado.

A empreitada, da responsabilidade da Portos dos Açores, consiste na demolição e reconstrução das lajes de pavimento do cais comercial, que se encontram fissuradas ou partidas, e na pavimentação do acesso ao parque de combustíveis, numa extensão de aproximadamente 180 metros.

Esta empreitada, inscrita na Carta Regional das Obras Públicas, inclui ainda a colocação de tubagem para a rede de incêndios junto ao cais -12, que será ligada à Rede de Combate a Incêndios do Porto da Praia da Vitória. 

Será ainda efetuado o reperfilamento do enrocamento do talude de proteção do topo daquele cais.

O anúncio do concurso público foi já publicado em Diário da República, tendo os interessados 30 dias para apresentação de propostas.
O valor base do procedimento é de 500 mil euros, tendo a empreitada um prazo de execução de seis meses.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

O regresso do, "Express Santorini", ao porto da Graciosa








© Copyright fotos: MM Bettencourt; João Agostinho; José Luís, Graciosa.
O ferry, "Express Santorini", operado pela Atlânticoline regressou  hoje ao porto da Graciosa, chegou proveniente das ilhas do triângulo e seguiu rumo a Ponta Delgada com escala no porto da Praia da Vitória. Esta viagem é especialmente dedicada ás pessoas que pretendem participar na Festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres,   as maiores festas religiosas dos Açores, que decorrem este fim de semana na cidade de Ponta Delgada, ilha de S. Miguel.
No ano anterior, na escala inaugural do "Express Santorini", no porto da Graciosa, decidi celebrar a estreia da rampa e a Amizade! Este ano decidi festejar novamente a Amizade, tendo desta vez a feliz coincidência de contar com a presença do Administrador da Atlânticoline, Sr. Luís Morais. É sempre uma grande alegria voltar a conviver com os meus Amigos do "Santo". Ao meu Amigo Cte. Stefanos, à sua tripulação e Staff, e a todos os que trabalham na Atlânticoline, Votos de uma boa operação!





"Express Santorini", de regresso ao porto da Horta




© Copyright fotos: Miguel Nóia, Faial.
Ontem teve inicio mais uma operação ferry da Atlânticoline, com uma viagem Ponta Delgada-Praia da Vitória-Horta. As fotos registam a chegada do navio ao porto da Horta, terminando assim o primeiro dia de operação. Este ano a Atlânticoline volta a contar com os habituais navios da Hellenic Seaways, o "Express Santorini" e o HSC "Hellenic Wind". 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Atlânticoline lança uma nova tarifa destinada a jovens


 ©  Copyright foto: António Simas, S. Miguel.
Texto: Comunicado Atlânticoline

No próximo dia 30 de maio, a Atlânticoline lança uma nova tarifa destinada a jovens, em complemento das tarifas já existentes, permitindo aos jovens que têm alguma limitação orçamental fazerem inúmeras viagens no verão.
A nova tarifa chama-se Atlânticojovem e destina-se a jovens dos 13 aos 22 anos de idade, a quem é concedido um desconto de 50% sobre a tarifa regular, em qualquer percurso. Com esta tarifa, um jovem com a idade alvo pode fazer duas viagens pelo preço de uma, sem qualquer custo adicional.
A tarifa Atlânticojovem permite alterações à reserva, com as regras similares às tarifas regulares, não sendo apenas permitida a devolução do valor pago em caso de anulação. 

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Incidente entre a lancha de Pilotos e o ferry "Nissos Chios"


Vídeo: djmanky
Incidente entre a lancha de Pilotos e o ferry,  "Nissos Chios" (de Balearia), na manobra de saída do porto de Ceuta.

Fragata de Marinha Real Noruguesa, "Fridtjof Nansen" em Ponta Delgada


© Copyright fotos: António Simas, S. Miguel.
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston EUA
Fragata de Marinha Real Noruguesa "Fridtjof Nansen" em Ponta Delgada, dia 19 de Maio 2014.

Nome: Fridtjof Nansen.
Estaleiro: Navantia- Ferrol, Espanha. Casco#F310.
Data de Lançamento: 03/06/2004.
Data de Entrada ao Activo: 05/04/2006.
Bandeira: Noruega.
Deslocamento: 5,290 toneladas.
Comprimento Fora a Fora: 134,00 metros.
Boca: 16,80 metros.
Calado: 7,60 metros.

Propulsão: Two BAZAN BRAVO 12V 4.5 MW diesel engines for cruising.
                   One GE LM2500 21.5 MW gas turbine for high speed running
MAAG gearboxes. two shafts driving controllable pitch propellers
Bow Thruster Retractable (Electric)1 MW Brunvoll
Diesel Generators 4 × MTU 396 Serie 12V 1250 KVA.

Velocidade Máxima: 26,00 nos.

Complement:
120 men, accommodations for 146
Lockheed Martin AN/SPY-1F 3-D multifunction radar
Reutech RSR 210N air/sea surveillance radar
Sagem Vigy 20 Electro Optical Director
MRS 2000 hull mounted sonar
Captas MK II V1 active/passive towed sonar
2 × Mark 82 fire-control radar.

Electronic warfare Terma DL-12T decoy launcher, Loki torpedo countermeasure.
& decoys:

Armamentos: 1 × 8-cell Mk41 VLS w/ 32 × RIM-162 ESSM, 8 × Naval Strike Missile SSMs
4 × torpedo tubes for Sting Ray torpedoes, Depth charges
1 × 76 mm OTO Melara Super Rapid gun, 4 × 12,7 mm Browning M2HB HMG Sea PROTECTOR
2 x LRAD Long Range Acoustic Device, Prepared for, but not equipped with:
1 × Otobreda 127 mm/54 gun to replace the 76 mm
1 × spare 76mm OTO Melara Super Rapid gun, 1 × spare CIWS gun w/ calibre 40 mm or less
3 × spare 8- cell Mk41 VLS launchers
Low cost ASW
ECM: Active Off-board Decoy

Aircraft carried: 1 × NH90 helicopter


Júri admite as três propostas concorrentes à compra do "Atlântida"

© Copyright foto: L. Ré, Viana do Castelo.
O júri do concurso público internacional para a venda do ferry  "Atlântida",  navio que o Governo dos Açores encomendou aos estaleiros de Viana e depois rejeitou, comunicou aos três concorrentes a admissão das respetivas propostas. Leia o artigo completo no Açoriano Oriental AQUI

terça-feira, 20 de maio de 2014

N/M "DOMINICA", em Ponta Delgada



Com fotos do Amigo, António Simas (S. Miguel), pesquisa de dados técnicos do Amigo, Paulo Peixoto  (Boston), aqui fica mais um post  desta vez relativo à passagem pelo porto de Ponta Delgada no dia 19 do corrente mês do navio "Dominica".
Nome: DOMINICA.
IMO: 9232204.
Indicativo: CQNQ.
MMSI: 255803960.
Bandeira: Portugal.
Porto de Registo: Madeira.
Matricula: 1398.
Operadores: Ership SAU- Madrid, Espanha.
Classe: Germanischer Lloyd,
Ano de Construcao: 2001.
Estaleiro: Jiangsu Yangzijiang Shipbuilding Co. Ltd.- Jiangyin, Republica Popular da China. Casco#YZJ99C589.
Comprimento Fora a Fora: 127,32 metros.
Boca Maxima: 21,20 metros.
Calado: 8,55 metros.
Arqueacao Bruta: 10,132 toneladas. Arqueacao Liquida: 4,536 toneladas.
Porte Bruto: 13,022 toneladas.
Numero de Tripulantes: 19.
Gruas: 3X 40,00 toneladas.
Potencia de Maquina: 5,400kW (7,342hp), 136,00 rpm. 1 helice FP.
Potencia de Thruster: 750,00kW(1,020bhp).
Nome Anterior: Elisabeth Bolten (2001-2010).


segunda-feira, 19 de maio de 2014

HSC "Hellenic Wind", já se encontra no porto de Lisboa



© Copyright fotos: Rui Minas Agostinho, Lisboa.
O HSC "Hellenic Wind", já se encontra no porto de Lisboa, aguardando os necessários certificados para operar  nos Açores ao serviço da Atlânticoline. Chegou no passado dia 15 e tem a sua partida rumo a Ponta Delgada programada para dia 22 do corrente mês. O inicio da sua operação nos Açores está marcada para dia 6 de Junho com a ligação, Ponta Delgada-Praia da Vitória.
O HSC " Hellenic Wind" pertence à família dos MDV1200 (conhecidos como Superseacat ), são uma série de hight speed crafts (HSC), construídos pelos estaleiros Fincantieri, Itália, para a Ocean Bridge Investments e Sea Containers, Lda. entre 1996 e 1999, tendo sido construídos 6 destes navios. Os primeiros 2 navios do tipo MDV1200, foram o HSC Pegasus One e HSC Pegasus Two, construídos para a Ocean Bridge Investments em 1996 e 1997 respectivamente, mais 4 destes navios foram construídos para a Sea Containers, Lda. entre 1997 e 1999. A Sea Containers Lda originalmente tinha encomendado um navio Auto Express 78 á Austal Ships, mas o primeiro da série falhou a velocidade requerida e foi recusado, tendo então a Sea Containers, Lda. se virado para os Estaleiros Fincantieri e encomendado 2 destes 
navios MDV1200, e depois mais dois. Características dos Superseacat: Comprimento 100,3 metros, boca 17,1 metros,calado 2,6 metros, 689 passageiros, 120 viaturas e 4 autocarros, velocidade de serviço 35 nós e máxima 40 nós, motores 4x Ruston V 20 RK270 diesel, com 6875 KW de potência, fornecida a 4 jactos de água Kamewa S112, impulsor de proa Brunvoll FU-45 LTC 1225-330 KW. De salientar que o desenho exterior deste tipo de navio foi concebido pelos famosos escritórios de design Pininfarina, Itália que conta com clientes famosos, como a Ferrari, Maserati, Volvo, e projectos de arquitectura como por exemplo o estádio da Juventus, entre outros .