Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Rebocador "Montenovo", rumo ao Corvo com o primeiro caixotão









© Copyright fotos: João Martins; Guilherme Bettencourt; Rui Carvalho, Terceira.
Algumas imagens obtidas ontem no porto da Praia da Vitória, referentes ao início do processo de reboque do primeiro caixotão com destino à obra de ampliação do porto da Ilha do Corvo. Posteriormente será também rebocado o segundo caixotão, que à semelhança deste foi construído no porto da Praia da Vitória (Ver Aqui). Este primeiro segue a reboque do, "Montenovo" da Rebonave.
O meu Agradecimento, ao Sr. João Martins, e aos colega Guilherme Bettencourt e Rui Carvalho.
Nome: MONTENOVO.
Tipo: Rebocador.
IMO: 9276119.
Indicativo: CSDT.
MMSI: 263619000.
Bandeira: Portugal.
Porto de Registo: Setubal.
Matricula: S-62-RC.
Donos e Operadores: Rebonave- Setubal, Portugal.
Ano de Construcao: 2003.
Estaleiro: Astilleros Ria de Aviles SL- Nieva, Espanha- Casco#87.
Comprimento Fora a Fora: 28,40 metros.
Boca: 8,60 metros.
Calado: 3,35 metros.
Arqueacao Bruta: 239,00 toneladas.
Traccao Fixa: 45,00 toneladas.
Potencia de Maquinas: 2,762 kW (3,756 hp), 1,650 rpm. 2 helices Z.
Velocidade Maxima: 12,00 nos.








sábado, 26 de agosto de 2017

Estreia do N/M "TUNDRA" no porto da Praia da Vitória



© Copyright texto e fotos: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston.
O N/M "TUNDRA" é o nono navio graneleiro a escalar o porto da Praia da Vitória em 2017, e na sua estreia manifesta 11.550 toneladas de milho para os recebedores UNICOL e TERCEIRENSE RAÇÕES, em partidas iguais. Estes nove navios descarregaram 60.268 toneladas de cereais e aditivos para a fabricação de rações para animais, principalmente bovinos. Antes da chegada à Praia da Vitória escalou o porto de Ponta Delgada e seguirá para alto mar aguardando ordens do seu operador.
Nome: TUNDRA.
Tipo: Graneleiro.
IMO: 9415208.
Indicativo: 5BVN2.
MMSI: 209015000.
Bandeira: Chipre.
Porto de Registo: Limassol.
Número Oficial: 9415208.
Donos: Navarone SA- Atenas, Grécia.
Operadores: Canfornav Inc.- Montreal, QC, Canadá.
Classe: DNV-GL.
Ano de Construção: 2009.
Estaleiro: Avic Weihai Shipyard Co. Ltd.- Weihai, China- Casco#SN317.
Comprimento Fora a Fora: 185,01 metros.
Boca Máxima: 23,75 metros.
Calado: 10,41 metros.
Arqueação Bruta: 19,814 toneladas.
Porte Bruto: 30,892 toneladas.
Número de Tripulantes: 18.
Gruas: 3X 30,00 toneladas.
Potência de Máquina: 7,200 kW, 118,00 rpm. 1 hélice FP, 118,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 13,50 nós.
Potência de Máquinas Auxiliares: 2,250 kW.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,040 kW.
Potência de Thruster: 900,00 kW 



"Aranui 5", um navio com um conceito diferente


Fotos:http://www.cruisemapper.com
A polivalência é algo exigido por muitas empresas aos seus colaboradores, principalmente quando existe a necessidade de optimizar os recursos humanos, sendo esta uma preciosa ajuda à sustentabilidade. Tal polivalência é também aplicada no transporte marítimo, sendo vários os exemplos de navios com várias valências.
Nos Açores, região arquipelágica,  com ilhas de dimensão populacional e territorial relativamente pequenas, seria interessante estudar seriamente a aplicabilidade de um conceito polivalente  nos transportes marítimos inter ilhas. Para quem habitualmente seguia este blogue, sabe que a minha opção passa por uma aposta num sistema ferry convencional para a ligação inter-ilhas, mas existe muitas outras opções com vantagens e desvantagens que merecem ser estudadas.
O exemplo de hoje é relativo a um conceito diferente, que combina a vertente carga com a de um navio de cruzeiro. Trata-se do "Aranui 5", um navio e um conceito que podia ter aplicabilidade nos Açores.

Desenhado e construído com o conforto dos passageiros em mente, o "Aranui 5", navega nas ilhas Marquesas, um dos cinco arquipélagos da Polinésia Francesa. Efectua cruzeiros de 14 dias de descoberta pelas várias ilhas, seguindo os caminhos de Paul Gauguin, Robert Louis Stevenson, Thor Heyerdahl e Jacques Brel. O "Aranui 5", como entretenimento aposta na divulgação das tradições locais.
Desenhado para oferecer todo o conforte de um navio de cruzeiro,o navio tem lotação para 254 passageiros em 103 camarotes. Possui 126 metros de comprimento, 22 metros de boca, e 5,20 metros de calado. A sua velocidade de cruzeiro fica-se pelos 15 nós


  • 1 Sala de Jantar
  • 2 Espaçosos lounges & 2 salas de conferÊncias
  • 4 bares incluindo 1 bar panorâmico (Skybar)
  • 1 Sala de Fitness
  • 1 Piscina
  • 1 Loja
  • 1 Massagens



  • quarta-feira, 16 de agosto de 2017

    Estreia do N/T "WOLGASTERN" no Porto da Praia da Vitória


      © Copyright  texto e fotos: Cte Rui Carvalho, Terceira.
    Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston.
     Algumas fotos que registam a estreia do N/T "WOLGASTERN" no porto da Praia da Vitória, que escalou para descarga de 3.585 toneladas de gasolina 95, gasóleo e JET embarcadas no porto de Sines para o recebedor TERPARQUE.
    Nome: WOLGASTERN.
    Tipo: Produtos Químicos.
    IMO: 9183817.
    Indicativo: CQLH.
    MMSI: 255804950.
    Bandeira: Portugal.
    Porto de Registo: Madeira.
    Número Oficial: TEMP150M.
    Donos: Nordic Tankers A/S- Hellerup, Dinamarca.
    Operadores: Nordic Womar Pte. Ltd.- Singapura.
    Classe: American Bureau of Shipping.
    Ano de Construção: 1999.
    Estaleiro: Stocznia Gdynia SA- Gdynia, Polónia- Casco #8189/1.
    Comprimento Fora a Fora: 162,16 metros.
    Arqueação Bruta: 14,400 toneladas.
    Porte Bruto: 21,823 toneladas.
    Número de Tripulantes: 17.
    Potência de Máquina: 7,860 kW, 129,00 rpm. 1 hélice CP, 129 rpm.
    Velocidade de Serviço: 15,00 nós.
    Potência de Máquinas Auxiliares: 2,091 kW.
    Potência de Geradores Auxiliares: 2,700 kW.
    Potência de Thruster: 736,00 kW.