Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

REABERTA A NAVEGAÇÃO, SEM RESTRIÇÕES, NO PORTO DE VELAS – ILHA DE SÃO JORGE


Comunicado:Portos dos Açores
Tendo em conta a passagem da tempestade ‘Kyllian’ pelos Açores, no último fim-de-semana e considerando os efeitos que se fizeram sentir em alguns dos espaços sob jurisdição da Portos dos Açores, S.A. e concretamente no Porto de Velas, ilha de São Jorge, bem como na perspetiva de esclarecer, neste âmbito, a comunicação social, vem a administração portuária informar o seguinte, no seguimento do comunicado anterior, lançado no passado domingo:

1. Na sequência da passagem de ondulações com altura e energia anormais, decorrentes do trânsito pelo arquipélago dos Açores da depressão ‘Kyllian’, que atingiu variadas infraestruturas portuárias viradas aos quadrantes de Sul do Grupo Central, foi especialmente afetado o Porto da vila de Velas, na ilha de São Jorge, onde ocorreram galgamentos do molhe-cortina e do cais, provocando o arrastamento para o mar de quatro contentores que se encontravam estacionados em terrapleno, dois dos quais viriam a afundar-se na baía local.

2. A Portos dos Açores, S.A. iniciou, de imediato, a avaliação da extensão dos estragos verificados, tendo promovido mergulhos e outras diligências, o que resultou que ainda no dia de domingo tivesse sido possível recuperar para terra um contentor frigorífico, que havia sido deslocado, à superfície do mar, até à entrada da Marina de Velas.

3. Entretanto, no dia de segunda-feira a administração portuária promoveu, com recurso à lancha de pilotos “João Vaz Corte-Real”, trabalhos de sondagem com equipamento próprios, com vista a apurar a localização exata dos contentores afundados, tarefa que foi concluída, com sucesso, na tarde de ontem.

4. Mesmo assim, por precaução e considerando a necessidade de garantir a segurança da navegação de embarcações e navios e para salvaguardar a vida humana, foi mantido, desde domingo, o condicionamento de acesso àquele porto, determinado pela Autoridade Marítima.

5. Já na manhã desta terça-feira, tendo em conta a acentuada melhoria das condições de mar, foi confirmada, através de contato visual estabelecido com recurso a mergulhos subaquáticos, a posição daqueles dois contentores no fundo da baía das Velas, em localizações e profundidades que não afetam minimamente as operações de tráfego de navios.

6. Em consequência, acaba de ser reaberto à navegação, sem restrições, pela Autoridade Marítima, o Porto de Velas, na ilha de São Jorge.

7. A empresa pública Portos dos Açores, S.A. irá prosseguir, no imediato, com todas as diligências no sentido remover do mar os dois contentores afundados, bem como um terceiro contentor que se encontra estabilizado no enrocamento exterior do molhe de proteção da Marina de Velas.

8. A Portos dos Açores, S.A. reafirma o seu empenho em que a operação marítima, nos espaços sob sua jurisdição, se faça com respeito pelas condições de total segurança para pessoas e bens e releva o empenho conjugado das diferentes entidades que permitiu a ultrapassagem, com notória rapidez, da situação de constrangimentos à entrada e saída de navios no Porto de Velas, constrangimentos agora já totalmente abolidos.


Horta, PA-SA, 26 de Fevereiro de 2019


Portos dos Açores, S.A.
Departamento Jurídico, Administrativo e de Comunicação

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

PASSAGEM DA TEMPESTADE ‘KYLLIAN’ DEIXA ALGUNS ESTRAGOS NOS PORTOS DOS AÇORES


Comunicado
Tendo em conta a passagem da tempestade ‘Kyllian’ pelos Açores, ao longo de todo o dia de ontem, sábado e considerando os efeitos que se fizeram sentir em alguns dos espaços sob jurisdição da Portos dos Açores, S.A., bem como na perspetiva de esclarecer, neste âmbito, a comunicação social, vem a administração portuária informar o seguinte:

  1. Os diferentes espaços portuários dos Açores sofreram ao longo de todo o dia de ontem e, sobretudo, ao final da tarde e noite, quando a ondulação se tornou mais significativa, os efeitos da passagem pelo nosso arquipélago da tempestade ‘Kyllian’, tendo esta empresa pública acompanhado ao longo de todo o sábado e também durante a noite seguinte a evolução da situação, com objetivo de minimizar a possibilidade de ocorrência de danos, que, para já, ainda estão por determinar, concretamente ao nível dos molhes de proteção.

  1. As infraestruturas portuárias viradas aos quadrantes de Sul do Grupo Central foram as mais afetadas, com especial destaque para o Porto das Lajes do Pico e para o das Velas, na ilha de São Jorge, mas também ocorreram galgamentos de molhes-cortina e cais nos Portos do Corvo (Porto da Casa), Lajes das Flores, Madalena e Calheta (São Jorge).

  1. A Portos dos Açores, S.A. encontra-se, ainda, a avaliar a extensão dos estragos verificados, o que prosseguirá nos próximos dias e especialmente quando as condições de mar o permitam, com total segurança para os recursos humanos envolvidos, sendo, neste momento, a situação mais relevante a do Porto das Velas, onde quatro contentores estacionados na plataforma e no parque de contentores foram arrastados para o mar.

  1. Dois desses contentores foram estabilizados e um deles foi já recuperado para terra, embora quanto aos outros dois ainda não tenha possível determinar a sua posição exata, no fundo do porto, o que levou, como medida de precaução, a que a Autoridade Marítima, por edital de “aviso à navegação”, condicionasse o acesso àquele porto, até apuramento de estarem reunidas as condições de segurança para o normal retomar das operações de tráfego de navios.

  1. No dia deste domingo foram já realizados, entretanto, mergulhos na bacia do Porto das Velas, embora, em virtude das águas se apresentarem com reduzida visibilidade, os trabalhos levados a efeito não tenham sido conclusivos, pelo que irão prosseguir já amanhã.

  1. A Portos dos Açores, S.A. reafirma o seu empenho em que a operação marítima, nos espaços sob sua jurisdição, se faça com respeito pelas condições de total segurança para pessoas e bens e, dessa forma, também, para recuperar, no mais curto prazo de tempo, a normalidade das operações portuárias nas Velas.


Horta, PA-SA, 24 de Fevereiro de 2019


Portos dos Açores, S.A.
Departamento Jurídico, Administrativo e de Comunicação

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Reparação dos danos da cabeça do molhe poente do Núcleo de Recreio Náutico das Lajes das Flores

A empresa pública Portos dos Açores, S.A. acaba de lançar um concurso público com vista à execução da “empreitada para reparação dos danos causados pelos temporais de 26 a 28 de fevereiro e de 2 e 3 de março de 2018 na cabeça do molhe poente do Núcleo de Recreio Náutico do Porto das Lajes das Flores”, tendo o respetivo anúncio do procedimento sido publicado ontem, no Diário da República (Anúncio de procedimento n.º 1646/2019 - Diário da República n.º 35/2019, Série II de 2019-02-19 / Parte L – Contratos Públicos). Este concurso público, com um preço base em € 700.000,00 (setecentos mil euros), acrescidos do IVA à taxa legal em vigor e é hoje também publicitado no Jornal Oficial da Região Autónoma dos Açores (Anúncio n.º 42/2019 – Jornal Oficial, II Série, n.º 36, de 2019-02-20), sendo o prazo definido para a execução dos trabalhos de 15 meses. A obra compreende, em concreto, a remoção do bloco da cabeça do molhe poente que foi derrubado, a dragagem do canal de entrada e bacia do núcleo de recreio náutico, para recuperação das respetivas cotas de serviço e, ainda, a reconstrução da estrutura danificada, com consolidação das respetivas fundações e reinstalação do farolim de assinalamento marítimo. Acresce a isto a reabilitação da cabeça do molhe exterior (Norte), do mesmo núcleo de recreio náutico, com a reposição de enrocamentos removidos pelos últimos temporais verificados, bem como a recuperação dos pontões flutuantes danificados e respetivas redes técnicas.
Portos dos Açores, S.A. Departamento Jurídico, Administrativo e de Comunicação

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Estreia do N/M "Ocean Jazz" no Porto da Praia da Vitória





©) Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
Depois da visita do N/M "NORFOLK" a 29 de Dezembro do ano passado (ver aqui) para descarga de três viaturas especiais,  coube agora ao N/M "OCEAN JAZZ" o  transporte de regresso aos Estados Unidos da América das viaturas especiais substituídas.
Nome: OCEAN JAZZ.
Tipo: Transportador de Carga Pesada, semi submersível.
IMO: 9509970.
Indicativo: WDJ4909.
MMSI: 367782370.
Bandeira: Estados Unidos da America.
Porto de Registo: New Orleans, LA.
Número Oficial: 1271950.
Donos: Wilmington Trust Co.- Wilmington, DE, EUA.
Operadores: Intermarine LLC- New Orleans, LA, EUA.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 2010.
Estaleiro: Lloyd Werft Bremerhaven GmbH- Bremerhaven, Alemanha- Casco#115. Casco construído em Gdansk, Polónia.
Comprimento Fora a Fora: 169,40 metros.
Boca: 25,40 metros.
Calado: 6,60 metros.
Arqueação Bruta: 17,538.
Porte Bruto: 10,662 toneladas.
Número de Tripulantes: 17.
Gruas: 2X 350,00 toneladas, 1X 200,00 toneladas.
Potência de Máquinas: 8,960 kW (12,182 hp), 750,00 rpm. 2 hélices CP, 161,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 15,00 nós.
Velocidade Máxima: 16,00 nós.
Potência de Máquinas Auxiliares: 1,300 kW.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,940 kW.
Potência de Thrusters: 5,577 kW (7,582 bhp).
Nomes Anteriores: Combi Dock IV (01/2010-10/2011), OIG Giant II (10/2011-12/2016), Ocean Jazz (12/2016-02/2017), Industrial Jazz (02/2017-05/2017).




Aquisição de grua todo-o-terreno para o Porto da Casa, na ilha do Corvo



A empresa pública Portos dos Açores, S.A. acaba de lançar um concurso público internacional com vista à “aquisição de grua todo-o-terreno de estaleiro (rough terrain crane)” para o Porto da Casa, ilha do Corvo, tendo o respetivo anúncio do procedimento sido publicado hoje mesmo, no Diário da República (Anúncio de procedimento n.º 1421/2019 - Diário da República n.º 32/2019, Série II de 2019-02-14).

Este concurso público internacional para aquisição de grua para movimentação de mercadorias e alagem de embarcações, nomeadamente a lancha de passageiros “Ariel”, da Atlânticoline, no Porto do Corvo, tem um preço base em € 420.000,00 (quatrocentos e vinte mil euros), acrescidos do IVA à taxa legal em vigor e é agora também publicitado no Jornal Oficial da União Europeia.

A nova grua que a administração portuária pretende adquirir para a mais pequena ilha do arquipélago dos Açores é um equipamento móvel, do tipo todo-o-terreno de estaleiro (rough terrain crane), com capacidade nominal de 60,0 toneladas e capacidade de elevação mínima de uma carga de 10,0 toneladas, em conformidade com a norma europeia EN13000, a um afastamento do centro da grua de 12,0metros e a uma altura mínima do gato ao pavimento de 20,00 metros. A grua em questão deve comportar grupo de potência de motor diesel e lança telescópica.

Com a aquisição de uma nova grua todo-o-terreno para o Porto da Casa, na ilha do Corvo, a Portos dos Açores, S.A. pretende proceder à substituição de equipamento com semelhantes funcionalidades existente naquela ilha, que apresenta já alguma degradação, em face da sua antiguidade e horas de trabalho, garantindo, em simultâneo, a fiabilidade e segurança das operações naquela infraestrutura portuária, que agrega funções mistas de pequeno comércio, transportede passageiros e apoio às frotas de pescas, da náutica de recreio e das atividades marítimo-turísticas.
Copyright foto: Liebherr 
Texto: Portos dos Açores, SA

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

ESTREIA E RECORDE DO N/M "IVS TEMBE" NO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA


©) Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
A 19 de Novembro de 2018 (ver aqui) fizemos registo neste Blog do estabelecimento de uma nova quantidade máxima de toneladas de cereal descarregadas numa única operação portuária (15.567 toneladas) que se encontravam a bordo do N/M "SERVET ANA". Hoje temos o prazer de informar que esse recorde será largamente ultrapassado após a descarga do N/M "IVS TEMBE" que manifesta 18.333 toneladas de milho carregadas no porto Romeno de Constança.
Nome: IVS TEMBE.
Tipo: Carga Geral.
IMO: 9726164.
Indicativo: 9V2741.
MMSI: 563933000.
Bandeira: Singapura.
Porto de Registo: Singapura.
Número Oficial: 399377.
Donos: Grindrod Shipping South África Pty. Ltd.- Durban, África do Sul.
Operadores: Island View Shipping- Singapura..
Classe: Nippon Kaiji Kyokai.
Ano de Construção: 2016.
Estaleiro: Kanda Zosensho K.K.- Kawajiri, Japão- Casco#554.
Comprimento Fora a Fora: 179,90 metros.
Boca: 30,00 metros.
Calado: 10,52 metros.
Arqueação Bruta: 23,224 toneladas.
Porte Bruto: 37,735 toneladas.
Número de Tripulantes: 20.
Gruas: 4X 30,50 toneladas.
Potência de Máquina: 6,250 kW (8,498 hp), 108,00 rpm. 1 hélice FP, 108,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,20 nós.
Velocidade Máxima: 15,70 nós.
Nome Anterior: IVS Singita (12/2015-01/2016).

sábado, 9 de fevereiro de 2019

ESTREIA DO N/T "CORAL LOPHELIA" NO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA


©) Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
Depois de na sua viagem inaugural aos Açores não ter escalado o porto da Praia da Vitória, fez agora a sua estreia neste porto o N/T "CORAL LOPHELIA" para descarga de Gás Butano Liquefeito em granel para o recebedor TERPARQUE.
 Nome: CORAL LOPHELIA.
Tipo: Produtos Químicos.
IMO: 9350886.
Indicativo: D5HG9.
MMSI: 636016683.
Bandeira: Libéria.
Porto de Registo: Monrovia.
Número Oficial: 16683.
Donos: Anthony Veder Rederij BV - Roterdão, Holanda.
Operadores: Anthony Veder Gas Carriers BV , Holanda.
Classe: Bureau Veritas.
Ano de Construção: 2006.
Estaleiro: Cant. Nav. de Poli S.p.A.- Pallestrina - Itália - Casco #228.
Comprimento Fora a Fora: 108,00 metros.
Boca Máxima: 17,00 metros.
Calado máximo: 6,66 metros.
Arqueação Bruta: 5,440.
Porte Bruto: 4,999 toneladas.
Potência de Máquina: 4,500 kW, 165 rpm. 1 hélice CP.
Velocidade de Serviço: 14,50 nós.
Potência de Geradores Auxiliares: 986 kW.
Potência de Thruster: 442 kW.