Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Navios Patrulha STANFLEX 300


Um vídeo da Marinha Portuguesa, que apresenta os navios Patrulhas,  STANFLEX 300, recentemente adquiridos à Dinamarca.

Veleiro encalhado na ilha do Pico


Veleiro "Chilom", encalhou na costa da ilha do Pico. Recentemente a Força Aérea Portuguesa havia resgatado os dois tripulantes, desta embarcação.

quarta-feira, 29 de Outubro de 2014

Passos Coelho, visitou ontem o Porto da Praia da Vitória, onde lhe foi apresentado o Projecto Costa



© Copyright foto: Radio Renascença.
© Copyright fotos: João Mendonça; Carlos Medeiros; Rui Carvalho; MM Bettencourt.
 O Primeiro Ministro, Pedro Passos Coelho, visitou ontem ao fim do dia o Porto da Praia da Vitória, onde lhe foi apresentado o projecto Costa. Projecto que consiste na criação de uma rede europeia de abastecimento de navios com gás natural liquefeito (LNG), que se pretende ver aqui implementado.
“A participação dos Açores não se relaciona apenas com o acesso ao conhecimento que resultará deste trabalho. Há nesta área um potencial de atividade económica que deve ser acompanhado logo desde fase inicial”, referia algum  tempo atrás o, Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, aquando da apresentação pública nacional deste projeto, envolvendo autoridades portuárias de Portugal, Itália, Espanha, Reino Unido, Alemanha e Grécia. Salientar o trabalho de parceria desenvolvido entre a empresa Portos dos Açores e o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), considerou esta iniciativa de grande importância na estratégia da Região para o Mar, motivo pelo qual levou a que “fosse acompanhada desde o início”. “Quer pela sua importância para nós enquanto região arquipelágica, mas também porque nos permite, desde a fase inicial, acompanhar as questões e as tendências que a nível europeu se vão desenhando” no desenvolvimento desta rede de abastecimento de navios por LNG, referiu.
Fonte: Gacs
Julgo oportuno voltar a publicar um texto do Cte Rui Carvalho, sobre as potencialidades do Porto da Praia da Vitória, publicado neste blog em Novembro de 2010.
Potencialidades do Porto da Praia da Vitória
© Copyright texto: Cte Rui Carvalho
Imagem: Google Earth /Montagem MM Bettencourt.
Há por aí quem não encontre no Porto da Praia da Vitória potencialidades alavancadoras da economia Açoriana, em minha opinião faltar-lhes-á visão ou então pura e simplesmente recusar-se-ão a ver, sendo este o pior cego como se sabe.
A mais pura racionalidade financeira determina que para alguns portos dos Açores as suas localizações, limitações ou massa crítica empresarial inibem ou impossibilitam o crescimento afastando-os da 1ª liga e das necessárias exigências dos portos do século XXI.
No entanto, este perfil de limitação não se enquadra no Porto da Praia da Vitória que oferece amplos espaços para crescimento, quer em área alagada, quer em área seca.
No seu interland inclui-se um aeroporto internacional que tem grande potencialidade como plataforma logística de carga aérea, infelizmente muito mal aproveitada.
O plano de investimento portuário concentrado no Porto da Praia da Vitória deverá incluir a construção do alongamento do molhe norte junto ao actual terminal P.O.L., movendo-se uma magistratura de influência diplomática junto do governo dos EUA de forma a adaptar este terminal com as devidas e necessárias obras para ali criar o futuro caís de cruzeiros da ilha Terceira.
Do outro lado da baía onde estão concentrados todos os serviços portuários, incluir-se-ia o aumento do actual caís -12 em 110 metros, passando este a ter uma nova frente de atracação com um comprimento total de 460 metros.
Para além do crescimento do cais -12 torna-se necessário também a construção de um novo cais multi-propose de 200 metros com uma rampa ro-ro e paralelo ao actual cais -7, conhecido por cais dos ferry´s, permitindo a operação simultânea de dois navios e principalmente melhorar a operacionalidade do terminal de cimento.
Acompanhará este novo cais -7 a construção de um amplo parque de estacionamento destinado ao parqueamento das viaturas para embarque e zona para o público, permitindo assim a reorganização e ordenamento de toda aquela área evitando o caos de trânsito que se tem verificado ao longo dos últimos anos.
Rebuscando ainda a ideia de ali concentrar o tráfego ferry, lembro que uma das indicações do estudo da BTM, tão badalado pela Atlânticoline e Governo Regional, aconselha uma maior inter-mobilidade, ou seja, a actividade ferry e os seus passageiros poderiam ganhar em termos de economia de escala com a localização do aeroporto internacional das Lajes a poucos quilómetros, como já foi aqui referido.
Esta é apenas uma ideia das eventuais potencialidades de crescimento do actual porto da Praia da Vitória, cada um terá certamente a sua visão e opinião, mas que o porto tem pontencial de crescimento lá isso têm, ficando também por desenvolver uma gama de oportunidades empresariais que se sabe um porto alavancar.
Veremos pois o que o futuro nos reserva, até porque no estudo BTM se refere como estratégico a criação de Hubs logísticos nos Açores, e o modelo concentrionista de Ponta Delgada não desenvolve os Açores por igual.


segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

Navio de cruzeiro, "Nooordam", no porto da Horta.





© Copyright fotos: Miguel Nóia, Faial.
 Registo fotográfico, da autoria do Amigo, Miguel Nóia, relativo à escala hoje no porto da Horta do navio de cruzeiros "Noordam".
Nome: NOORDAM.
IMO: 9230115.
Indicativo: PHET.
MMSI: 246028000.
Bandeira: Holanda.
Porto de Registo: Roterdão.
Matricula: 47738.
Operadores: Holland America Line NV- Seattle, Washington, EUA.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 2006.
Data de Entrada ao Activo: 31/01/2006.
Estaleiro: Fincantieri- Veneza, Italia. Casco#6079.
Comprimento Fora a Fora: 285,24 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 253,93 metros.
Boca Máxima: 32,25 metros.
Pontal: 36,98 metros.
Calado: 8,00 metros.
Altura: 61,80 metros.
Deslocamento: 45,267 toneladas.
Arqueação Bruta: 82,897 toneladas.
Arqueação Liquida: 48,361 toneladas.
Porte Bruto: 10,939 toneladas.
Numero de Convés Para Passageiros: 11. Numero de Cabines: 924. Numero de Camas: 1,918.
Numero de Tripulantes: 820.
Potencia Total de Maquinas Principais: 75,140 kw (102,162 hp), 4,628 rpm. 2 hélices Azimuth.
Velocidade de Serviço: 22,00 nos.
Potencia de Maquinas Auxiliares: 1,278 kw.
Numero de Caldeiras: 5.
Potencia de Thrusters: 5,700 kw (7,749 bhp).
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston, EUA.



domingo, 26 de Outubro de 2014

Navio de cruzeiros, "Noordam", hoje em Ponta Delgada


© Copyright fotos: António Simas, S. Miguel.
Algumas fotos do navio de cruzeiros, "Noordam", hoje  em Ponta Delgada.
Nome: NOORDAM.
IMO: 9230115.
Indicativo: PHET.
MMSI: 246028000.
Bandeira: Holanda.
Porto de Registo: Roterdão.
Matricula: 47738.
Operadores: Holland América Line NV- Seattle, Washington, EUA.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 2006.
Data de Entrada ao Activo: 31/01/2006.
Estaleiro: Fincantieri- Veneza, Itália. Casco#6079.
Comprimento Fora a Fora: 285,24 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 253,93 metros.
Boca Máxima: 32,25 metros.
Pontal: 36,98 metros.
Calado: 8,00 metros.
Altura: 61,80 metros.
Deslocamento: 45,267 toneladas.
Arqueação Bruta: 82,897 toneladas.
Arqueação Liquida: 48,361 toneladas.
Porte Bruto: 10,939 toneladas.
Numero de Convés Para Passageiros: 11. Numero de Cabines: 924. Numero de Camas: 1,918.
Numero de Tripulantes: 820.
Potencia Total de Maquinas Principais: 75,140 kw (102,162 hp), 4,628 rpm. 2 hélices Azimuth.
Velocidade de Serviço: 22,00 nos.
Potencia de Maquinas Auxiliares: 1,278 kw.
Numero de Caldeiras: 5.
Potencia de Thrusters: 5,700 kw (7,749 bhp).
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston


sábado, 25 de Outubro de 2014

HLSSV "Dockwise Vanguard", carregando a plataforma, "Jack & St. Malo" (Vídeo)


O HLSSV "Dockwise Vanguard", carregando na Coreia do Sul, o casco da plataforma  Jack & St. Malo. Embora o vídeo não seja actual (Jun-2013), vale a pena ver, são imagens fantásticas de um navio extraordinário.

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

"Electra", os Pilotos e o "Chem Daisy"




© Copyright fotos: MM Bettencourt.
 Acompanhando as fotos da escala do N/T "Chem Daisy", no porto da Graciosa, no dia 21 do corrente mês, publico um vídeo obtido pelo Amigo Victor Fonseca, com imagens do embarque dos pilotos no navio, "Ponta do Sol" e "Chem Daisy".






terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Arribada do N/M "ELEKTRA" ao fundeadouro de Angra do Heroísmo





© Copyright fotos: João Bettencourt Mendonça e Guilherme Bettencourt
© Copyright texto: Rui Carvalho
 Registo fotográfico da arribada do N/M "ELEKTRA" ao fundeadouro de Angra para desembarque de um tripulante acidentado a bordo. Proveniente de Southampton e com destino a New York, rapidamente desembarcou o doente que de imediato foi encaminhado para o hospital de Santo Espírito para tratamento. Sobra dizer que é uma presença habitual destas águas, e que para os mais atentos, é muitas vezes apanhado pelas antenas açorianas de localização e posicionamento de navios.
 Nome: ELEKTRA.
Tipo de Navio: Carregador de Viaturas.
IMO: 9176577.
Indicativo: 9V8798.
MMSI: 564614000.
Bandeira: Singapura.
Porto de Registo: Singapura.
Matrícula: 396256.
Operadores: Wallenius Wilhelmsen Logistics- Lysaker, Noruega.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 1999.
Estaleiros: Eastwood Heavy Industries Ltd.- Geoje, Coreia do Sul. Casco#4420.
                  Hyundai-Vinashin Shipyard Co. Ltd.- Ninh Hoa, Vietnao.
Comprimento Fora a Fora: 227,95 metros.
Boca Máxima: 32,29 metros.
Calado: 11,00 metros.
Arqueação Bruta: 67,264 toneladas.
Porte Bruto: 28,126 toneladas.
Número de Tripulantes: 30.
Número de Viaturas: 7,194.
Potência de Máquina: 16,358 kW (22,240 hp), 105,00 rpm. 1 hélice FP, 105,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 20,50 nos.
Potência de Máquinas Auxiliares: 4,189 kw.
Número de Caldeiras: 2.
Potência de Geradores Auxiliares: 4,478 kw.
Potência de Thrusters: 2,250 kw (3,059 bhp).



Está tomada a decisão política de construir o Terminal de Passageiros no Porto de São Roque do Pico, garante Vasco Cordeiro

© Copyright texto e fotos: GACS/PC
O Presidente do Governo dos Açores garantiu hoje que está tomada a decisão política de construir um Terminal de Passageiros no Porto de São Roque do Pico, mas salientou que, pela sua complexidade, esta obra só deve avançar depois de assegurada a melhor solução técnica possível.

“Relativamente à construção do novo Terminal de Passageiros para o Porto de São Roque, ainda este ano – e cumprindo o nosso compromisso - devem ocorrer os ensaios de laboratório para comprovar a adequação do projeto-base que tem sido desenvolvido”, avançou Vasco Cordeiro, que falava na inauguração do novo Terminal de Passageiros da Madalena.

No início da visita estatutária à ilha do Pico, o Presidente do Governo salientou que esta é uma obra importante e bastante exigente do ponto de vista técnico, que “não se compadece com uma avaliação menos ponderada, mais ligeira ou irresponsável”.

“Esta obra é demasiado importante e significa um tal volume de investimento que só deve avançar quando estiver garantida a melhor solução técnica possível”, afirmou Vasco Cordeiro, ao precisar que este compromisso assumido passa por melhorar as condições de segurança e do transporte de pessoas e bens, através da construção de um novo terminal de passageiros.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou, por outro lado, que o Terminal de Passageiros da Madalena 'João Quaresma', que representou um investimento de cerca de nove milhões de euros, enquadra-se na estratégia de desenvolvimento dos transportes delineada para a Região, e que, na ilha do Pico, incluiu uma série de outras obras já concretizadas, assim como outras em fase de projeto.

“Refiro-me, especificamente, à construção das infraestruturas portuárias e às obras de melhoramento das condições de abrigo deste porto, que representaram um investimento total superior a 12 milhões de euros”, frisou o Presidente do Governo, para quem o total de mais de 20 milhões de euros que, nos últimos anos, foram investimentos no Porto da Madalena revelam bem a importância que o Governo dos Açores atribui às ligações marítimas e o potencial do mar como via de comunicação.

Segundo o Presidente do Governo, o transporte marítimo de passageiros assume-se, cada vez mais, como uma operação fundamental e essencial para a economia regional e para a mobilidade dos Açorianos, como provam os cerca de um milhão de passageiros transportados todos os anos entre as ilhas, em especial no canal Faial-Pico.

Nesse sentido, o Governo dos Açores tem avançado ao longo dos anos com a requalificação, a remodelação e o melhoramento dos portos, adaptando-os a novas realidades, como a operação de navios ferry e o transporte de viaturas.

“Foi assim com a construção das rampas Ro-Ro nas Lajes das Flores, na Horta, em São Roque do Pico, nas Velas, na Praia da Graciosa, na Praia da Vitória, em Ponta Delgada e em Vila do Porto”, recordou Vasco Cordeiro, ao lembrar que, no global e até agora, já foram investidos mais de 10 milhões de euros neste tipo de infraestruturas, estando ainda prevista a construção de rampas semelhantes no porto da Calheta de São Jorge e, também, em Angra do Heroísmo.

De acordo com Vasco Cordeiro, todo este trabalho já feito, assim como os muitos desafios, enquadram-se num dos grandes desígnios deste mandato, que é aumentar a coesão territorial dentro de cada uma e entre todas as ilhas dos Açores, sem esquecer a componente fundamental da ligação do arquipélago ao exterior.

O Presidente do Governo adiantou ainda que o ano de 2015 será, nesta área, marcado pela continuação da implementação do Plano Integrado dos Transportes dos Açores, através de políticas e de medidas que assegurem o seu objetivo último: o aumento da mobilidade de pessoas e bens, através da redução do custo de acesso e, ainda, o reforço da facilidade de interligação e de comodidade entre os vários níveis de transporte ao dispor dos Açorianos.

Desenhado a pensar no conforto, na eficiência e na segurança, o novo Terminal de Passageiros da Madalena disponibiliza aos passageiros salas diferenciadas para embarque e desembarque, dois balcões de check-in, bem como espaços para posto de turismo, bar com esplanada, três balcões comerciais e uma sala reservada para apoio à transferência de doentes, preparada para o acesso de macas à ponte-cais, que lhe fica contigua.

Na ocasião, Vasco Cordeiro fez questão de fazer uma referência especial ao 'patrono' desta infraestrutura, João Quaresma, uma “figura maior” das ligações no canal Faial-Pico, salientando que a atribuição do seu nome pretendeu honrar “todos aqueles que, ao longo dos anos, em condições bastante mais desafiantes e difíceis, deram o melhor do seu trabalho, do seu esforço e do seu saber para garantir as ligações entre estas ilhas”.

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

"Thialf", o maior navio grua do mundo

© Copyright desenho: Paulo Sousa, S. Miguel.
© Copyright fotos: António Simas, S. Miguel (Arquivo)
O "THIALF", é o maior navio grua semi-submersível do mundo, tendo uma capacidade de elevação (em tandem), pelas suas duas  gruas principais de 14 200 M/Tons, podendo elevar uma carga até 95 metros acima do deck e baixar uma carga até uma profundidade de 460 mts no raio mínimo das gruas. Este poderoso e fantástico navio grua, pertence à HEEREMA MARINE CONTRACTORS (que possui mais navios deste tipo), tendo sido construído para a MCDERMOTT, em 1985 como DB-102,  nos estaleiros Mitsui Engineering & Shipbuilding, e adquirida pela Heerema Marine Contractors em 1997.Como outros navios deste tipo está equipada com um sistema de posicionamento dinâmico Class III, que inclui 6 thrusters de 5 500 KW, em águas menos profundas poderá usar o seu sistema de ancoragem que inclui 12 ancoras de 22,5 tons cada, e para bombar  lastro possui um sistema com uma capacidade de  20 800 metros cúbicos por hora.
Em termos de acomodação fica-se pelas 685 pessoas, dispõe também de um heliporto com capacidade para operar um helicoptero Boeing 234 Chinook.
Junto a algumas fotografias da passagem por Ponta Delgada a 29 de março, um excelente desenho da autoria do Amigo, Paulo Sousa.
Dimensões: Comprimento 206,6 metros; Boca: 83,4 metros; Calado: 11,5 a 31, 16 metros.
Fontes: Heerema Marine Contractors; Wikipédia.