Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 14 de abril de 2019

Paquete "Serenissima" de regresso ao porto da Graciosa




Copyright fotos: MM Bettencourt.
Fonte: Portos dos Açores/Facebook.
O porto da Graciosa registou, hoje, o regresso  do pequeno navio de cruzeiros, "Serenissima", operado pela Noble Caledonia, como é habitual nesta altura do ano. O pequeno paquete chegou pelas 7 horas proveniente do porto da Praia da Vitória e zarpou ,pelas 18 horas, rumo à ilha das Flores. O “Serenissima”, mais uma vez ao serviço da operadora britânica Noble Caledonia, tem escala prevista em todas as noves ilhas do arquipélago, num itinerário denominado Island Hopping in the Azores, que envolve cerca de 90 passageiros, na sua maioria britânicos.
 Nome: SERENISSIMA.
Tipo: Passageiros.Cruzeiro.
IMO: 5142657.
Indicativo: J8B4685.
MMSI: 376439000.
Bandeira: Sao Vicente e Granadinas.
Porto de Registo: Kingstown.
Matricula: 11158.
Donos e Operadores: West Wind Ltd.- Split, Croácia.
Classe: Croatian Register of Shipping.
Ano de Construção: 1960.
Estaleiro: AS Trondhjems Mekaniske Verksted- Trondheim, Noruega. Casco#244.
Comprimento Fora a Fora: 87,41 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 79,25 metros.
Boca Máxima: 13,29 metros.
Pontal: 7,35 metros.
Calado: 4,92 metros.
Arqueação Bruta: 2,598 toneladas.
Arqueação Liquida: 829,00 toneladas.
Porte Bruto: 590,00 toneladas.
Numero de Convés: 7. 5 para Passageiros. Numero de Cabines: 57. Numero de Camas: 117. Numero de Tripulantes: 40.
Gruas: 1X 3,00 toneladas. 2X 1,50 toneladas.
Potencia de Maquina: 2,537 kW (3,449 hp), 170,00 rpm. 1 hélice CP, 160,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 16,00 nos.
Potencia de Maquinas Auxiliares: 980,00 kw.
Potencia de Geradores Auxiliares: 2,160 kw.
Numero de Thrusters: 1. Potencia Desconhecida.
Nomes Anteriores: Harald Jarl (1960-07/2002), Andrea (07/2002-04/2012).




segunda-feira, 8 de abril de 2019

ESTREIA DO N/M "EKARMA" NO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA

©) Copyright texto e fotos: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
O N/M "EKARMA" é o segundo navio em 2019 a descarregar um lote em granel de cereais ou aditivos para rações no porto da Praia da Vitória, onde faz escala de estreia. Este produto (sêmea de trigo) embarcado em Abidjan (Costa do Marfim) tem duas partidas destinadas aos recebedores UNICOL e TERCEIRENSE RAÇÕES.
Nome: EKARMA.
Tipo: Carga Geral/Contentores.
IMO: 9630016.
Indicativo: D5HW8.
MMSI: 636016803.
Bandeira: Libéria.
Porto de Registo: Monrovia.
Número Oficial: 16803.
Donos: Tulshyan Group- Singapura.
Operadores: Femco-West Ltd.- São Petersburgo, Rússia.
Classe: Bureau Veritas.
Ano de Construção: 2011.
Estaleiro: Zhejiang Tianshi Shipbuilding Co. Ltd.- Wenling, China- Casco#TS050.
Comprimento Fora a Fora: 116,23 metros.
Boca: 18,00 metros.
Calado: 7,00 metros.
Arqueação Bruta: 6,601 toneladas.
Porte Bruto: 8,232 toneladas.
Número de Tripulantes: 16.
Gruas: 2X 40,00 toneladas.
Potência de Máquina: 2,500 kW (3,399 hp), 750,00 rpm. 1 hélice FP, 125,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 12,00 nós.
Velocidade Máxima: 13,50 nós.
Potência de Geradores Auxiliares: 780 kW.
Nome Anterior: Chun He (11/2011-11/2012).


domingo, 7 de abril de 2019

ESTREIA DO N/T "SONGA RUBY" NA PRAIA DA VITÓRIA Estreia do N/T "Songa Ruby" na Praia da Vitória


©) Copyright texto e fotos: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
Registo da estreia do N/T "SONGA RUBY" no porto da Praia da Vitória para descarga de um lote de fuelóleo para o recebedor BENCOM. Este navio é gémeo do N/T "SONGA SAPPHIRE" que nos visitou este ano a 12 de Março (ver aqui).
Nome: SONGA RUBY.
Tipo: Produtos Químicos.
IMO: 9444479.
Indicativo: 9HA4874.
MMSI: 248941000.
Bandeira: Malta.
Porto de Registo: Valletta.
Número Oficial: 9444479.
Donos: Arne Blystad A/S- Oslo, Noruega.
Operadores: Navix Maritime Chartering AB- Gotemburgo, Suécia.
Classe: Korean Register of Shipping.
Ano de Construção: 2008.
Estaleiro: Samho Shipbuilding Co. Ltd.- Tongyeong, Coreia do Sul- Casco#1203.
Comprimento Fora a Fora: 144,00 metros.
Boca Máxima: 22,63 metros.
Calado: 9,21 metros.
Arqueação Bruta: 11,259 toneladas.
Porte Bruto: 17,604 toneladas.
Número de Tripulantes: 21.
Potência de Máquina: 5,920 kW (8,049 hp), 173,00 rpm. 1 hélice FP, 173,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,00 nós.
Velocidade Máxima: 14,70 nós.
Potência de Máquinas Auxiliares: 2,400 kW.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,250 kW.
Potência de Thruster: 493,00 kW (670,00 bhp).



segunda-feira, 1 de abril de 2019

N/F "Azores Express" (ex:Aeolos) e o HSC "Mega Jet" serão os navios da operação ferry 2019

Fonte:ellinikiaktoploia.net
Hoje o site grego "Ellinokiaktoploia", publica uma notícia referente à operação ferry da Atlânticoline para 2019 (VER AQUI). Segundo refere o site, o navio que formará dupla com o conhecido HSC "Mega Jet", é o N/F "Aeolos" que será renomeado brevemente de "Azores Express". Em breve farei um post mais detalhado sobre as características e história do navio.
IMO:  7207451
MMSI:  247322000
Ind. Chamada:  IBDB
Bandeira:  Italy [IT]
T.A.B.:  5435
DWT:  1118 t
Comprimentos:  114.55m 
Boca: 18.61m
Ano:  1975



domingo, 31 de março de 2019

ESTREIA DO N/T "TILDA KOSAN" NO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA


© Copyright texto e fotos: Cte Rui Carvalho, Terceira; Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston.
Depois das visitas este ano dos N/T "CORAL LOPHELLIA" (ver aqui) e N/T "GAS ALICE" (ver aqui) registamos mais uma estreia no porto da Praia da Vitória com a escala do N/T "TILDA KOSAN". Numa viagem com escalas em três portos dos Açores, este navio descarrega um lote de gás de petróleo liquefeito para o recebedor TERPARQUE  e que se destina a consumo doméstico e industrial na Ilha Terceira.
 Nome: TILDA KOSAN.
Tipo: Gás Liquefeito de Petróleo.
IMO: 9174359.
Indicativo: ZIQT4.
MMSI: 235508000.
Bandeira: Ilha de Man.
Porto de Registo: Douglas.
Numero Oficial: 734746.
Donos e Operadores: Lauritzen Kosan A/S- Hellerup, Dinamarca.
Classe: Bureau Veritas.
Ano de Construção: 1999.
Estaleiro: Hyundai Heavy Industries Co. Ltd.- Ulsan, Coreia do Sul- Casco#1123.
Comprimento Fora a Fora: 106,30 metros.
Boca Máxima: 15,72 metros.
Calado: 7,25 metros.
Arqueação Bruta: 4,693 toneladas.
Porte Bruto: 5,992 toneladas.
Potência de Máquina: 3,500 kW (4,759 hp), 170,00 rpm. 1 hélice CP, 170,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 15,00 nós.
Potência de Geradores Auxiliares: 1,534 kW.
Potência de Thruster: 300 kW (408,00 bhp).
Nome Anterior: Tarquin Dell (1999-07/2002).

domingo, 17 de março de 2019

ESTREIA DO N/T "JEMMA" NO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA


©) Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
Registo da estreia do N/T "JEMMA" no Porto da Praia da Vitória para descarga de combustíveis líquidos refinados para o recebedor TERPARQUE. Dois dos seus irmãos gémeos já por cá passaram, a saber, o N/T "VOGE TRUST" (ver aqui) e o N/T "BLOOM" (ver aqui).
Nome: JEMMA.
Tipo: Produtos Químicos.
IMO: 9384095.
Indicativo: 9HA4616.
MMSI: 248337000.
Bandeira: Malta.
Porto de Registo: Valletta.
Número Oficial: 9384095.
Donos e Operadores: Ancora Investment Trust Inc.- Atenas, Grécia.
Classe: American Bureau of Shipping.
Ano de Construção: 2008.
Estaleiro: Guangzhou Shipyard International Co. Ltd.- Guangzhou, China- Casco#05130009.
Comprimento Fora a Fora: 183,00 metros.
Boca Máxima: 27,43 metros.
Calado: 11,60 metros.
Arqueação Bruta: 24,112 toneladas.
Porte Bruto: 38,402 toneladas.
Número de Tripulantes: 20.
Potência de Máquina: 9,480 kW (12,889 hp), 127,00 rpm. 1 hélice FP, 127,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,20 nós.
Velocidade Máxima: 15,20 nós.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,730 kW.
Potência de Thruster: 740,00 kW (1,006 bhp).
Nomes Anteriores: Meriom Ruby (06/2008-08/2008), Mare Baltic (08/2008-07/2017).


terça-feira, 12 de março de 2019

ESTREIA DO N/T "SONGA SAPPHIRE" NO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA


©) Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
Partilhamos aqui algumas fotografias e os dados relativos à estreia do N/T "SONGA SAPPHIRE" no Porto da Praia da Vitória, onde descarregou um lote de Fuelóleo.
Nome: SONGA SAPPHIRE.
Tipo: Produtos Químicos.
IMO: 9444467.
Indicativo: 9HA4873.
Bandeira: Malta.
Porto de Registo: Valletta.
Número Oficial: 9444467.
Donos: Arne Blystad A/S- Oslo, Noruega.
Operadores: Navig8 Chemicals Inc.- Westport, CT, EUA.
Classe: Korean Register of Shipping.
Ano de Construção: 2008.
Estaleiro: Samho Shipbuilding Co. Ltd.- Tongyeong, Coreia do Sul- Casco#1202.
Comprimento Fora a Fora: 144,00 metros.
Boca Máxima: 22,63 metros.
Calado: 9,21 metros.
Arqueação Bruta: 11,259 toneladas.
Porte Bruto: 17,596 toneladas.
Número de Tripulantes: 20.
Potência de Máquina: 5,349 kW (7,273 hp), 170,00 rpm. 1 hélice FP, 170,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,00 nós.
Velocidade Máxima: 14,70 nós.
Potência de Máquinas Auxiliares: 2,400 kW.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,250 kW.
Potência de Thruster: 493,00 kW (670,00 hp).

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

REABERTA A NAVEGAÇÃO, SEM RESTRIÇÕES, NO PORTO DE VELAS – ILHA DE SÃO JORGE


Comunicado:Portos dos Açores
Tendo em conta a passagem da tempestade ‘Kyllian’ pelos Açores, no último fim-de-semana e considerando os efeitos que se fizeram sentir em alguns dos espaços sob jurisdição da Portos dos Açores, S.A. e concretamente no Porto de Velas, ilha de São Jorge, bem como na perspetiva de esclarecer, neste âmbito, a comunicação social, vem a administração portuária informar o seguinte, no seguimento do comunicado anterior, lançado no passado domingo:

1. Na sequência da passagem de ondulações com altura e energia anormais, decorrentes do trânsito pelo arquipélago dos Açores da depressão ‘Kyllian’, que atingiu variadas infraestruturas portuárias viradas aos quadrantes de Sul do Grupo Central, foi especialmente afetado o Porto da vila de Velas, na ilha de São Jorge, onde ocorreram galgamentos do molhe-cortina e do cais, provocando o arrastamento para o mar de quatro contentores que se encontravam estacionados em terrapleno, dois dos quais viriam a afundar-se na baía local.

2. A Portos dos Açores, S.A. iniciou, de imediato, a avaliação da extensão dos estragos verificados, tendo promovido mergulhos e outras diligências, o que resultou que ainda no dia de domingo tivesse sido possível recuperar para terra um contentor frigorífico, que havia sido deslocado, à superfície do mar, até à entrada da Marina de Velas.

3. Entretanto, no dia de segunda-feira a administração portuária promoveu, com recurso à lancha de pilotos “João Vaz Corte-Real”, trabalhos de sondagem com equipamento próprios, com vista a apurar a localização exata dos contentores afundados, tarefa que foi concluída, com sucesso, na tarde de ontem.

4. Mesmo assim, por precaução e considerando a necessidade de garantir a segurança da navegação de embarcações e navios e para salvaguardar a vida humana, foi mantido, desde domingo, o condicionamento de acesso àquele porto, determinado pela Autoridade Marítima.

5. Já na manhã desta terça-feira, tendo em conta a acentuada melhoria das condições de mar, foi confirmada, através de contato visual estabelecido com recurso a mergulhos subaquáticos, a posição daqueles dois contentores no fundo da baía das Velas, em localizações e profundidades que não afetam minimamente as operações de tráfego de navios.

6. Em consequência, acaba de ser reaberto à navegação, sem restrições, pela Autoridade Marítima, o Porto de Velas, na ilha de São Jorge.

7. A empresa pública Portos dos Açores, S.A. irá prosseguir, no imediato, com todas as diligências no sentido remover do mar os dois contentores afundados, bem como um terceiro contentor que se encontra estabilizado no enrocamento exterior do molhe de proteção da Marina de Velas.

8. A Portos dos Açores, S.A. reafirma o seu empenho em que a operação marítima, nos espaços sob sua jurisdição, se faça com respeito pelas condições de total segurança para pessoas e bens e releva o empenho conjugado das diferentes entidades que permitiu a ultrapassagem, com notória rapidez, da situação de constrangimentos à entrada e saída de navios no Porto de Velas, constrangimentos agora já totalmente abolidos.


Horta, PA-SA, 26 de Fevereiro de 2019


Portos dos Açores, S.A.
Departamento Jurídico, Administrativo e de Comunicação

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

PASSAGEM DA TEMPESTADE ‘KYLLIAN’ DEIXA ALGUNS ESTRAGOS NOS PORTOS DOS AÇORES


Comunicado
Tendo em conta a passagem da tempestade ‘Kyllian’ pelos Açores, ao longo de todo o dia de ontem, sábado e considerando os efeitos que se fizeram sentir em alguns dos espaços sob jurisdição da Portos dos Açores, S.A., bem como na perspetiva de esclarecer, neste âmbito, a comunicação social, vem a administração portuária informar o seguinte:

  1. Os diferentes espaços portuários dos Açores sofreram ao longo de todo o dia de ontem e, sobretudo, ao final da tarde e noite, quando a ondulação se tornou mais significativa, os efeitos da passagem pelo nosso arquipélago da tempestade ‘Kyllian’, tendo esta empresa pública acompanhado ao longo de todo o sábado e também durante a noite seguinte a evolução da situação, com objetivo de minimizar a possibilidade de ocorrência de danos, que, para já, ainda estão por determinar, concretamente ao nível dos molhes de proteção.

  1. As infraestruturas portuárias viradas aos quadrantes de Sul do Grupo Central foram as mais afetadas, com especial destaque para o Porto das Lajes do Pico e para o das Velas, na ilha de São Jorge, mas também ocorreram galgamentos de molhes-cortina e cais nos Portos do Corvo (Porto da Casa), Lajes das Flores, Madalena e Calheta (São Jorge).

  1. A Portos dos Açores, S.A. encontra-se, ainda, a avaliar a extensão dos estragos verificados, o que prosseguirá nos próximos dias e especialmente quando as condições de mar o permitam, com total segurança para os recursos humanos envolvidos, sendo, neste momento, a situação mais relevante a do Porto das Velas, onde quatro contentores estacionados na plataforma e no parque de contentores foram arrastados para o mar.

  1. Dois desses contentores foram estabilizados e um deles foi já recuperado para terra, embora quanto aos outros dois ainda não tenha possível determinar a sua posição exata, no fundo do porto, o que levou, como medida de precaução, a que a Autoridade Marítima, por edital de “aviso à navegação”, condicionasse o acesso àquele porto, até apuramento de estarem reunidas as condições de segurança para o normal retomar das operações de tráfego de navios.

  1. No dia deste domingo foram já realizados, entretanto, mergulhos na bacia do Porto das Velas, embora, em virtude das águas se apresentarem com reduzida visibilidade, os trabalhos levados a efeito não tenham sido conclusivos, pelo que irão prosseguir já amanhã.

  1. A Portos dos Açores, S.A. reafirma o seu empenho em que a operação marítima, nos espaços sob sua jurisdição, se faça com respeito pelas condições de total segurança para pessoas e bens e, dessa forma, também, para recuperar, no mais curto prazo de tempo, a normalidade das operações portuárias nas Velas.


Horta, PA-SA, 24 de Fevereiro de 2019


Portos dos Açores, S.A.
Departamento Jurídico, Administrativo e de Comunicação

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Reparação dos danos da cabeça do molhe poente do Núcleo de Recreio Náutico das Lajes das Flores

A empresa pública Portos dos Açores, S.A. acaba de lançar um concurso público com vista à execução da “empreitada para reparação dos danos causados pelos temporais de 26 a 28 de fevereiro e de 2 e 3 de março de 2018 na cabeça do molhe poente do Núcleo de Recreio Náutico do Porto das Lajes das Flores”, tendo o respetivo anúncio do procedimento sido publicado ontem, no Diário da República (Anúncio de procedimento n.º 1646/2019 - Diário da República n.º 35/2019, Série II de 2019-02-19 / Parte L – Contratos Públicos). Este concurso público, com um preço base em € 700.000,00 (setecentos mil euros), acrescidos do IVA à taxa legal em vigor e é hoje também publicitado no Jornal Oficial da Região Autónoma dos Açores (Anúncio n.º 42/2019 – Jornal Oficial, II Série, n.º 36, de 2019-02-20), sendo o prazo definido para a execução dos trabalhos de 15 meses. A obra compreende, em concreto, a remoção do bloco da cabeça do molhe poente que foi derrubado, a dragagem do canal de entrada e bacia do núcleo de recreio náutico, para recuperação das respetivas cotas de serviço e, ainda, a reconstrução da estrutura danificada, com consolidação das respetivas fundações e reinstalação do farolim de assinalamento marítimo. Acresce a isto a reabilitação da cabeça do molhe exterior (Norte), do mesmo núcleo de recreio náutico, com a reposição de enrocamentos removidos pelos últimos temporais verificados, bem como a recuperação dos pontões flutuantes danificados e respetivas redes técnicas.
Portos dos Açores, S.A. Departamento Jurídico, Administrativo e de Comunicação