Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Partida do N/F "Atlântida", para a Noruega -Fotos


© Copyright fotos: Cláudio Alves, Viana do Castelo.
© Captura de ecrâ: Marine Traffic.
Num dia cinzento, tal como todo o processo que o envolveu,  lá seguiu  ontem a "vergonha" com destino a melhores mares que os nossos. Parte assim como havíamos referido em anterior post para a Noruega onde vai integrar a frota da Hurtigruten,  com o nome de "Norway Explorer", que tenha Sorte! 
Um agradecimento ao Cláudio Alves, pelas imagens.



terça-feira, 30 de junho de 2015

N/M "Lusitânia", zarpando da ilha do Corvo

© Copyright foto: Kathy Rita, Corvo.
Navio "Lusitânia", da Empresa Barcos do Pico, encarregue do transporte de carga entre as duas ilhas do grupo Ocidental, saindo hoje da ilha do, Corvo,  com a aproximação da lancha, "Ariel", ao fundo na imagem, esta afecta ao transporte de passageiros e propriedade da empresa publica Atlânticoline.
Um Agradecimento pelo envio da foto ao amigo, Luís Henriques, e à  Kathy Rita autora da mesma.

N/F "Espírito Santo", varado no porto da Praia da Vitória



© Copyright fotos: João Manuel Bettencourt Mendonça, Terceira.
Algumas imagens da autoria do amigo, João Mendonça, que nos dão conta da fase final da estadia do pequeno ferry, "Espírito Santo",  dos TMG, Lda. na zona de varagem/elevador existente no porto da Praia da Vitória, depois de um período de manutenção.  A empresa,  Transportes Marítimos Graciosenses Lda,  foi fundada em 1861 por João da Cunha Vasconcelos, natural da ilha Graciosa. Inicialmente dedicava-se ao transporte marítimo de carga e passageiros. Atualmente efetua só transporte de carga marítima no grupo central dos Açores.  A TMG, opera na ilha Terceira, ilha Graciosa, ilha do Pico, ilha do Faial e ilha de São Jorge. 
O navio “Espirito Santo" é o mais pequeno da frota dos TMG, Lda.- Transportes Marítimos Graciosenses, com 37,5 metros de comprimento e 8,5 metros de boca, este navio foi construído em 1964 em Løland MV, Leirvik, Noruega, como um ferry combinando com o transporte de carga, a capacidade para transportar 50 passageiros e 11 viaturas. Seu primeiro nome foi “Nauma” nome que ostentou até 1985 quando foi renomeado de, "Vefsna", de 1985 - 1993 fez a rota entre a pequena cidade Sandnessjøen e a ilha Træna para a Helgeland Trafikkselskap. e em 1993 os TMG, Lda., adquiriram-no e passou então a chamar-se “Espírito Santo”.
Post relacionado:
NOVO NAVIO dos TMG, “ESPIRITO SANTO” e NOVAS ROTAS








segunda-feira, 29 de junho de 2015

"Atlântida", segue para a frota da Hurtigruten com o nome de "Norway Explorer"

© Copyright foto: Cláudio Alves, Viana do Castelo.
O infeliz N/F "Atlântida", adquirido à comissão liquidatária dos ENVC, pela  Douro Azul, de Mário Ferreira, por 8,7 milhões de euros, foi  vendido à Norueguesa Hurtigruten por 17 milhões, devendo partir segundo informação disponibilizada no site, "Porto de Mar de Viana do Castelo" no dia 6 de Julho. Com a mudança de armador o navio muda também de nome, sendo renomeado de "Norway Explorer".
© Copyright imagem: Hurtigruten


sexta-feira, 26 de junho de 2015

Debate na Assembleia da República sobre petição para reactivação da Linha Marítima Madeira - Continente


Debate na Assembleia da República sobre petição para reactivação da Linha Marítima Madeira - Continente, da qual já demos conta neste blog.  Depois de ouvir este debate, fica mais uma vez patente o nosso atraso na aplicação de um serviço ferry moderno sem limitações nos Açores! Se neste debate se refere que os Açores e Madeira são as duas únicas regiões ultra periféricas europeias sem ligação de passageiros com o continente, que havemos de dizer dos Açores onde apenas temos ligações ferrys 5 a 6  meses por ano? 
Parabéns ao lobby anti-ferry açoriano, continuem a atrofiar o desenvolvimento dos Açores! 
Post´s relacionados:

Comunicado da Atlânticoline - Entrada em operação do "Hellenic Wind", e alteração de horários

COMUNICADO
26.06.2015, 11h05
A Atlânticoline informa a todos os seus passageiros que o navio Hellenic Wind inicia, hoje, a operação, com viagem de reposicionamento desde o Porto de Ponta Delgada para o Porto da Praia da Vitória. A partida da Praia da Vitória com destino a Ponta Delgada será pelas 16h30.
Por forma a causar o menor transtorno possível aos passageiros os horários atuais, até ao próximo dia 7 de julho, serão mantidos na sua generalidade, com as seguintes condições:
- O navio “Hellenic Wind” fará ligações entre a Praia da Vitória e o Grupo Oriental;
- Em virtude do navio “Hellenic Wind” ter uma velocidade de navegação superior, todas as horas de chegada serão antecipadas;
- A viagem São Miguel – Terceira prevista para as 23h30 do dia 28 de junho será realizada pelas 00h05;
- A viagem São Miguel – Terceira prevista para as 23h30 do dia 5 de julho será realizada no dia 6 pelas 09h30;
- No dia 1 de julho será realizada a primeira Escapadinha de Ponta Delgada a Santa Maria com partida às 08h30 e regresso às 19h00;
- Por forma a facilitar o regresso dos passageiros que se deslocam à Semana Cultural das Velas, São Jorge e à Festa da Nossa Senhora da Guia, na Graciosa, será realizada, no dia 5 de julho, uma viagem extraordinária com o seguinte percurso:
Praia da Vitória – Velas: partida 20h30 / chegada 0h30
Velas – Graciosa – partida 1h320 / chegada 03h35
Graciosa – Praia da Vitória – partida 04h05 / chegada 07h20
- No dia 7 de julho, com saída da Praia da Vitória às 17h30, haverá ainda uma viagem extraordinária para reposicionamento do navio Express Santorini no porto da Horta – Faial.
A partir do dia 8 de julho, inclusive, serão mantidos os horários inicialmente divulgados.
No decorrer do dia de hoje, serão disponibilizados no sistema de vendas os horários definitivos para a operação da Atlânticoline.
Todos os passageiros com reserva, cujas viagens sofrerão alterações, serão previamente avisados pela Atlânticoline.
A Atlânticoline lamenta qualquer transtorno causado a todos os nossos passageiros e clientes.
Gabinete de Comunicação da Atlânticoline


quinta-feira, 25 de junho de 2015

Manobra de atraque do, "Europa 2", no Porto da Praia da Vitória


© Vídeo: Cte Rui Carvalho, Praia da vitória.
© Copyright foto: Município da Praia da Vitória.
Referente à estreia do luxuoso navio de cruzeiros, "Europa 2", dia 23 de junho, no porto da Praia da Vitória, publicamos um pequeno vídeo relativo à manobra de entrada do navio da Hapag-Lloyd, assim como uma foto relativa à  Cerimónia de Boas Vitória Vindas que decorreu a bordo com a presença do Administrador da Portos dos Açores, Dr. Miguel Correia, o Director de Operações Portuárias da DGPTG, Cte Rui Carvalho, e do Sr. Vereador da Câmara Municipal da Praia da Vitória.
Mais fotos da cerimónia e da visita ao interior, podem ser visualizadas na página do Facebook do Município da Praia da Vitória, ou na página do Porto da Praia da Vitória também na referida rede social.
Da esquerda para a direita: Cte do "Europa 2"; Dr Miguel Correia (Administrador da Portos dos Açores, SA); Cte Rui Carvalho (Director de Operações Portuárias da DGPTG).

Impressionante! Primeiros testes de fecho e abertura das novas comportas do Canal do Panamá


Vídeo: Canal do Panamá TV/Youtube
O Canal do Panamá, informou que no passado dia 23 de junho foram efectuadas com sucesso os primeiros testes de abertura e fecho da comporta nº8 das novas eclusas de Agua Clara, em Gatun. Está cada vez mais próximo a conclusão das grandiosas obras de ampliação do Canal do Panamá.

HSC "Hellenic Wind", já chegou a Ponta Delgada

© Cpatura Marinetraffic.
O HSC "Hellenic Wind", propriedade da Hellenic Seaways, e operado pela Atlânticoline, chegou ontem ao Porto de Ponta Delgada depois da deslocação à ilha de Gran Canária, para reparação no estaleiro de Astican, da avaria provocada pelo embate do navio com um objecto no passado dia 10 deste mês.
Face à sua chegada, mais cedo do que previsto será de esperar para breve a retoma do antigo horário da Atlânticoline.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

O PORTO DE PONTA DELGADA E O NOSSO DINHEIRO

O Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, Mário Fortuna, considerou no ‘Correio dos Açores’ a necessidade de um porto complementar ao actual porto comercial de Ponta Delgada, defendido por largos sectores da actividade económica micaelense, como “um projecto de competitividade” e, por esta via, “um investimento estratégico” para São Miguel e para os Açores.
Salienta, por outro lado, que “temos que nos preparar também para os granéis gasosos porque se eles vão ser substancialmente mais baratos no futuro, é fundamental que o porto de Ponta Delgada esteja capacitado para abastecimento dos barcos que aqui operam como também o gás que vai ser utilizado quer na hotelaria, como é fundamental, nas nossas indústrias transformadoras, particularmente os lacticínios”.
“Basicamente, Ponta Delgada não pode ficar afastada dos factores de competitividade energéticos que possam surgir num futuro próximo”, afirmou Mário Fortuna.
O ‘patrão dos patrões’ entende mesmo que este projecto “deve, desde já, ser contemplado no actual Quadro Comunitário de Apoio, fazendo-se uma adequada reprogramação do investimento”.
O Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada deixa mesmo claro que este tema “está a ser colocado na nossa agenda como sendo um tema de interesse para melhorar a competitividade de São Miguel. Não temos a veleidade de querer resolver problemas de outras ilhas”, concluiu.
Está tudo dito! Clarinho como água!
O Porto da Praia da Vitória existe? Tem capacidade para alguma coisa de útil para os Açores? O Governo Nacional e o Governo dos Açores estão a trabalhar junto da União Europeia para “definir o Porto da Praia da Vitoria como o porto abastecedor nacional de GNL - Gás Natural Liquefeito, para as travessias transatlânticas e consequente candidatura nacional do mesmo ao Programa European Connecting Facility? Metade dos contentores de Lisboa para os Açores (Terceira, Pico, S. Jorge, Graciosa, Faial, Flores e Corvo) transportados directamente para o Porto da Praia da Vitória e depois distribuídos tornam o sistema de transporte marítimo mais eficaz, ou seja, mais rápido e barato?
Nada disso interessa ao Senhor Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada e, provavelmente com razão!
De facto, o que é que se tem feito? 
Perante a questão da distribuição inter-ilhas a partir da Praia da Vitória, vem Faial e Pico cramar que não podem deixar de ter transportes directos do Continente, quando estamos fartos de saber que a grande maioria dos seus contentores são descarregados em P. Delgada e baldeados para outros navios e vice-versa.
Perante a questão dos novos ferries, insiste a Atlânticoline, correia de transmissão do Governo, que vai comprar dois ferries de 600 passageiros, 120 viaturas e 10 a 20 contentores, não se vendo qualquer abertura para a realização de um estudo comprovativo da melhor solução, apesar dos alertas entretanto lançados.  
O Governo dos Açores continua “fixado” na inacreditável e escandalosamente desnecessária ideia de gastar 10 milhões de euros no Porto de Angra do Heroísmo, em vez de os investir no Porto da Praia da Vitória.
O mesmo Governo promete fazer um novo Terminal em S. Roque do Pico sem ter qualquer estudo sobre o transporte marítimo nos Açores, a não ser uns palpites da Atlânticoline. 
Sinceramente acho tudo isto espantoso. Como é possível vir o Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada reivindicar “um porto complementar ao actual porto comercial de Ponta Delgada” sem primeiro ter todas as respostas anteriores? E tem os estudos reais? Sabe quanto custa?
Alguém já analisou, a começar pela Portos dos Açores e depois o Governo Regional e finalmente a Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, como é que funciona actualmente o Porto de Ponta Delgada? Será que não haverá muita coisa a melhorar – Portos dos Açores, Empresa de Estiva (OPERPDL) e Sindicato?
E o que é que fazem as outras ilhas, a começar pela Terceira, que já tem o tal porto, perante tal desvio desnecessário de dinheiros para S. Miguel?
Hoje, infelizmente, começa a ser claro que tal coisa é possível, pela simples razão de que já não somos uma Região, embora o dinheiro seja de todos nós! 
© Copyright texto: Eng. José Ribeiro Pinto