Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 29 de julho de 2018

Estreia do porta-contentores "Insular" no porto da Graciosa







Registo da estreia do porta-contentores, "Insular", no porto da Graciosa, no dia 26 de Julho. O navio  que está a operar ao serviço da Box Lines, fica agora encarregue de nos visitar quinzenalmente, tal como fazia o seu antecessor, "Laura S, mas agora na semana com número par, ao contrário do que sucedia anteriormente. É sempre agradável ter uma estreia por cá, Sejam Bem-vindos!
Nome: INSULAR.
Tipo: Carga Geral/Contentores.
IMO: 9150420.
Indicativo: CSDD.
MMSI: 263752000.
Bandeira: Portugal.
Porto de Registo: Lisboa.
Donos e Operadores: Transinsular- Lisboa, Portugal.
Classe: Bureau Veritas.
Ano de Construção: 1998.
Data de Entrega: 07/08/1998.
Estaleiro: Estaleiros Navais de Viana do Castelo S.A.- Viana do Castelo, Portugal. Casco#204.
Comprimento Fora a Fora: 119,80 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 112,37 metros.
Boca Máxima: 20,18 metros.
Pontal: 8,30 metros.
Calado: 6,48 metros.
Deslocamento: 10,050 toneladas.
Arqueação Bruta: 5,599 toneladas.
Arqueação Liquida: 2.679 toneladas.
Porte Bruto: 6,700 toneladas.
Numero de Tripulantes: 16.
Potencia de Maquina Principal: 5,943 kw (8,080 hp), 600,00 rpm. 1 helice CP.
Velocidade de Serviço: 16,50 nos.
Potencia de Maquinas Auxiliares: 760,00 kw.
Numero de Thrusters: 1. Potencia Desconhecida.

Estreia do arrastão "Coimbra", no porto da Praia da Vitória


Cte Tiago Fernandes Silva, e o Piloto de Barra, Miguel Pamplona Simões.
© Copyright fotos: Cte Rui Carvalho; Miguel Pamplona.
© Copyright texto: Cte Rui Carvalho.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA.
Esteve hoje no porto da Praia da Vitória para abastecimento de gasóleo o arrastão "COIMBRA", e foi uma estreia da embarcação da Empresa de Pesca de São Jacinto por cá, servindo felizmente para reencontro de velhos amigos (Açoreanos). Depois de uma breve visita lá seguiu apressado rumo a Aveiro para matar saudades após mais de uma centena de dias de fauna. Bom regresso e até já.
Nome: COIMBRA.
Tipo: Arrastão.
IMO: 7228091.
Indicativo: CUFT.
MMSI: 263555000.
Bandeira: Portugal.
Porto de Registo: Aveiro.
Matrícula: A-2204-N.
Donos e Operadores: Empresa de Pesca de São Jacinto SA- Coimbra, Portugal.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 1972.
Estaleiro: Estaleiros de Sao Jacinto S.A.- Aveiro, Portugal.- Casco#93.
Comprimento Fora a Fora: 80,30 metros.
Boca Máxima: 12,55 metros.
Calado: 6,13 metros.
Arqueação Bruta: 1,926 toneladas.
Porte Bruto: 1,598 toneladas.
Potência de Máquinas: 2,207 kW (3,000 hp), 450,00 rpm. 1 hélice CP.
Velocidade de Serviço: 14,50 nós.
Número de Caldeiras: 1.
Potência de Geradores Auxiliares: 1,010 kW.
TIpo de Engrenagem Principal: Redes de Arrasto de Fundo.
Tipo de Engrenagem Secundária: Redes de Arrasto de Meia Água.


Estreia do N/M "Passat", nas Flores





© Copyright fotos: Tito Nóia, Flores
Registo  fotográfico obtido no dia 28 de Julho, relativo a mais uma estreia no porto das Lajes, ilha das Flores, desta vez trata-se do porta-contentores, "Passat" da Transinsular. Para além do porta-contentores da Transinsular, nota para a presença em porto do "Lusitânia" da EBP, que está encarregue do transporte da carga até à vizinha ilha do Corvo, o rebocador "Montalvo", e a plataforma "Moby Dick", com material destinado à asfaltagem do aeródromo  da ilha do "Corvo" e o navio patrulha da Marinha Portuguesa fundeado.
Nome: Passat
Nº IMO: 9326964
Ind. Chamada: V2GJ8
Bandeira: Antigua & Bermuda
Operador: Transinsular
Tipo: Porta-contentores
T.A.B.: 9990 tons
T.A.L: 6006 tons
D.W.T.: 11209 tons
Ano de construção: 2005
Estaleiros: J.J. Sietas KG Schiffswerft GmbH & Co. - Hamburg Casco No.: 1253
Porto de registo: Saint John´s
Capacidade Teus: 862
Gruas: 2 gruas de 40 tons
Máquina principal: 8399 kw(11419 hp)
Comprimento: 134, 44 mts
Calado: 8,71 mts
Boca: 23,5 mts




quarta-feira, 25 de julho de 2018

Estreia do N/T "VOGE TRUST" no Porto da Praia da Vitória



© Copyright fotos: Cte Rui Carvalho; Luís Costa, Terceira.
© Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA.
Apresentamos algumas fotografias referentes à escala de estreia do N/T "VOGE TRUST" no porto da Praia da Vitória, onde manifesta cerca de 3.497 toneladas de Fuelóleo para o recebedor BENCOM. Este navio é o único químico da classe Handy da operadora Marlin Tankers Inc. que está incorporada no grupo Heidmar. A 17 de Julho de 2016 recebemos a visita inaugural de um seu irmão gémeo, o N/T "BLOOM" (ver aqui).
Nome: VOGE TRUST.
Tipo: Produtos Químicos.
IMO: 9420863.
Indicativo: A8RR2.
MMSI: 636091701.
Bandeira: Libéria.
Porto de Registo: Monrovia.
Número Oficial: 91701.
Donos: Heidmar Inc.- Norwalk, CT, EUA.
Operadores: Marlin Tankers Inc.- Norwalk, CT, EUA.
Classe: DNV-GL.
Ano de Construção: 2009.
Estaleiro: Guangzhou Shipyard International Co. Ltd.- Guangzhou, China- Casco#06130017.
Comprimento Fora a Fora: 182,86 metros.
Boca Máxima: 27,43 metros.
Calado: 11,60 metros.
Arqueação Bruta: 24,066 toneladas.
Porte Bruto: 38,349 toneladas.
Número de Tripulantes: 19.
Potência de Máquina: 9,960 kW (13,542 hp), 127,00 rpm. 1 hélice FP, 127,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,20 nós.
Velocidade Máxima: 15,20 nós.
Potência de Máquinas Auxiliares: 2,880 kW.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,730 kW.
Potência de Thruster: 750,00 kW (1,020 bhp).


segunda-feira, 23 de julho de 2018

Estreia do navio de investigação oceanográfica "PELAGIA" no Porto da Praia da Vitória


  Marco Mouro, Agência Navegação Oceânica.
© Copyryght fotos e texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
Registo da estreia do navio de investigação oceanográfica "PELAGIA" no porto da Praia da Vitória, onde se deslocou para embarque de material de científico e também de investigadores. Este navio pertence ao instituto holandês de pesquisa oceanográfica NIOZ que desde 1876 se dedica à formação de estudantes e serve de base para trabalho de cientistas um pouco por todo o mundo. Voltará a este porto na próxima quarta-feira para mais uma escala técnica.


terça-feira, 17 de julho de 2018

EQUIPA DO CLUBE NAVAL DA HORTA COM PARTICIPAÇÃO MERITÓRIA NO MUNDIAL DE VELA DA 'CLASSE J80'

© Copyright HORTA Nautic.
A equipa do Clube Naval da Horta que participou a semana passada no 17.º Campeonato do Mundo de Vela da 'Classe J80', em França, regressou ao final da tarde desta terça-feira, 17 de julho, à ilha do Faial, depois de ter concluído 13 das 14 regatas da prova, na qual se posicionaram, na classificação final global, em 68.º lugar, com o veleiro denominado "Enjoy Azores".

Competindo numa frota extremamente exigente, onde mais de seis dezenas de equipas eram constituídas por velejadores profissionais, a representação açoriana - constituída por Armando Castro, Nuno Santos, Luís Carlos  Decq Mota e Pedro Guedes da Rosa, três destes Campeões de Portugal de Vela de Cruzeiro em 2004 - acabou por conseguir uma participação bastante meritória, sendo certo que o colectivo era constituído por desportistas amadores e, ademais, sem conhecimento prévio aprofundado da embarcação na qual competiram.

Na preparação para o "J80 Worlds 2018", que decorreu na cidade de Les Sables d'Olonne, os velejadores açorianos tiveram apenas seis dias de treinos para contacto com esta Classe J80 e com o campo de regatas onde iriam decorrer as provas, tendo, apesar de tudo, numa das regatas, ao final do terceiro dia de mar, obtido um extraordinário 28.º lugar parcial.

O resultado final desta tripulação do Clube Naval da Horta, que acedeu a este importante evento desportivo internacional por convite especial da Municipalidade de Les Sables d'Olonne (cidade que desde 2006 se liga à ilha do Faial, por via da organização conjunta de grandes eventos de vela oceânica de alta competição), acabou também por ser seriamente afectada pela desclassificação a que foram sujeitos no final da 5.ª regata da prova, no segundo dia de regatas, devido a um toque inadvertido numa das bóias delimitadoras da linha de chegada, situação que, na oportunidade, foi alvo de um protesto por parte de outra equipa concorrente.

Outros contratempos foram também surgindo com reflexo directo na prestação final da equipa açoriana, que ao quarto dia de prova viu a sua vela-balão (spinnaker) rasgar-se, ao mesmo tempo que se foi confrontando, ao longo dos diferentes dias de prova, com sérios problemas de afinação do mastro da embarcação, que exigia intervenção entre cada uma das regatas, sem que a equipa tivesse oportunidade de vir a terra para tentar ultrapassar o problema.

Não obstante estas dificuldades ao nível desportivo, a participação da equipa da ilha do Faial traduziu-se num inegável sucesso social e promocional, em face das acções de marketing empreendidas em França, com disponibilização no 'village' do Mundial J80 de queijos e vinhos regionais num stand propositadamente montado para o efeito e na projecção de filmes de divulgação das riquezas naturais e paisagísticas do arquipélago dos Açores. Acresce a isto que a tripulação do Clube Naval da Horta, a única portuguesa em competição, foi uma das mais requisitadas pela comunicação social francesa para entrevistas e reportagens, sendo durante vários dias uma das únicas nove - num universo de mais de 70 equipas em prova - a figurar com imagem de grande plano na página inicial do site oficial deste "J80 Worlds 2018".

O Campeonato do Mundo de Vela da Classe J80, que se encerrou no último fim-de-semana em Les Sables d'Olonne - onde já está, entretanto, uma frota de quase 60 veleiros da Classe Mini 6.50 prontos a fazer-se ao mar, para a 7.ª edição da regata «Les Sables / Les Açores / Les Sables», que larga de França no próximo domingo, 22 de Julho -, contou com um total de 73 equipas participantes (de quatro a seis velejadores cada, num máximo acumulado de 350 kg de peso humano), representando nove países diferentes: França, Bélgica, Holanda, Grã-Bretanha, Irlanda, Espanha, Portugal, Rússia e Oman.

De entre a frota em competição contavam-se 62 equipas masculinas, 3 femininas e 8 mistas, as quais se achavam repartidas em dois grupos, entre amadores ('Corinthian') e profissionais ('J80') e de acordo com a idade das tripulações, neste caso separadas em três grupos, entre jovens, seniores e masters, aqui se incluindo os maiores de 46 anos de idade.

De um total de 15 regatas previstas foram levadas a efeito a quase totalidade, 14 - uma seria cancelada por falta de vento -, cada com cerca de 6 milhas de extensão e pouco mais de uma hora de duração, tendo o domínio total ido para as equipas espanholas, com quatro colocadas nos cinco primeiros lugares da tabela geral ao final dos cinco dias de prova (Espanha ficou com os 1.º, 2.º, 4.º e 5.º classificados). Nos dez primeiros situaram-se quatro tripulações francesas (nos 3.º, 7.º, 8.º e 9.º lugares), ficando em 6.º a formação da Rússia e em 10.º uma das tripulações da Irlanda presente neste "J80 Worlds 2018". Refira-se, por curiosidade, que o conjunto de velejadores do Oman situou-se no lugar 52 deste Campeonato do Mundo.

O veleiro que agrupa esta classe é uma embarcação de fibra de vidro, com 8 metros de comprimento e 2,49 de largura, que tem um calado de 1,5 metros, desloca 1450 kg de peso e é construído pelo Estaleiro J. Composite, estando disseminado por cerca de 15 países, onde se encontram 1200 proprietários de embarcações inscritos na Associação Internacional da Classe J80.

A representação açoriana no "J80 Worlds 2018" contou com o apoio do Governo dos Açores para a sua presença nesta importante competição desportiva internacional, sendo também relevantes os patrocínios prestados a este projecto pela Câmara Municipal da Horta, pelo Clube Naval da Horta, pela Municipalidade e pela Agglomération de Les Sables d'Olonne, bem como pela Associação Les Sables d'Olonne Vendée Course au Large e pela Portos dos Açores, S.A., além de diversas empresas locais e regionais, como a Mutualista Açoreana, a LactAçores, a Aerohorta, o Hotel Horta e o Espaço X.

O Campeonato do Mundo de Vela da Classe J80 foi, este ano, uma organização do Sports Nautiques Sablais e da Associação da Classe J80-France, sob a chancela oficial da Federação Francesa de Vela e decorreu pela quarta vez em terras gaulesas, depois ali também se ter realizado em 2002 (La Rochelle), em 2007 (La Trinité Sur Mer) e em 2013 (Marselha).

Obras da Barra (Parte V)




© Copyryght fotos: MM Bettencourt; Júlia Bettencourt, Graciosa.
Fotos obtidas no passado domingo, que mostram o actual estado da obra que decorre na baía da Barra.
"O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, adjudicou à empresa Tecnovia-Açores a empreitada de proteção e estabilização da zona costeira da Barra, em Santa Cruz da Graciosa, num investimento superior a sete milhões de euros.Esta intervenção, inscrita na Carta Regional de Obras Públicas, tem um prazo de execução de 18 meses e consistirá na construção de um quebramar com cerca de 225 metros de comprimento, enraizado no lado norte da baía.A empreitada prevê ainda a proteção marginal de uma nova área de terrapleno de 3.500 metros quadrados, bem como trabalhos de dragagem e a construção de um passadiço pedonal elevado. As obras de proteção e requalificação da orla costeira da Barra vão permitir valorizar esta zona da ilha Graciosa, possibilitando investimentos futuros. texto: GACS."




sexta-feira, 13 de julho de 2018

Estreia do mega yate "Vive la Vie", no porto da Graciosa












O porto da Graciosa teve o prazer de registar hoje, a estreia do mega yate de luxo, "Vive la Vie". Este  yate, é uma estreia absoluta neste segmento de navios no nosso porto.
O "Vive La Vie" foi entregue pela Lürssen em 2009, e conta com todo o tipo de ambiente e comodidade de uma verdadeira mansão. Por exemplo, a sua sala de jantar tem uma característica incomum: a mesa de jantar pode ser levantada até ao teto para permitir que o espaço possa ser usado como discoteca. Este "diamante", é propriedade do empresário suíço, Willy Michel, estando avaliado em cerca de 80 milhões de USD. 
Com um comprimento de 60 metros, possuí capacidade para receber 12 convidados em 6 cabines, dispondo também de 8 cabines destinadas aos 18 tripulantes.
Em actualização...