Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Portos dos Açores - Dia Internacional sem Sacos – 3 de Julho de 2019

O objetivo da data é chamar a atenção para a produção e para o consumo excessivo de sacos plásticos a nível mundial, propondo-se alternativas para resolver este sério problema ambiental.
Sacos plásticos e problemas ambientais:
Estima-se que um cidadão na Europa consome cerca de 500 sacos plástico por ano, que acabam no lixo ao fim de meia hora de utilização ou então no meio-ambiente, criando-se vastas ilhas de lixo plástico nos oceanos - 80% da poluição marinha.
Como os animais confundem o plástico com alimentos, eles acabam por morrer pela ingestão de plástico e, se não morrem entram na cadeia alimentar de outras espécies como nós humanos.
Os sacos de plástico são constituídos por resinas tóxicas oriundas do petróleo e levam cerca de 500 anos a decompor-se. Apesar da gravidade da situação, apenas 2% da população recicla sacos plásticos.
Considerando a importância desta temática, e o seu alinhamento com os “Objetivos Mundiais de Sustentabilidade Ambiental”, a Portos dos Açores não deixou passar esta data sem contribuir para a Redução de Sacos Plásticos, tendo promovido a distribuição de Sacos de Panos Reutilizáveis com o lema “Nós Dizemos Não ao Plásticos”, por todos os colaboradores.
Texto e foto:Portos dos Açores, Departamento de GAHST (Gestão Ambiental, Higiene e Segurança no Trabalho)
Acúmulo de lixo plástico flutuando na costa norte de Honduras, em foto de Caroline Power: o problema é global (Copyright Foto: Caroline Power Photography)

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Estreia do navio escola da Coast Guard Americana "EAGLE" no Porto da Praia da Vitória


©) Copyright fotos: Miguel Pamplona Simões, Terceira
©) Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA
O navio escola "EAGLE" visita o porto da Praia da Vitória numa viagem de instrução de cadetes e candidatos a oficiais da Guarda Costeira Norte-americana. Este navio foi o segundo de cinco semelhantes que foram construídos no estaleiro alemão Blohm & Voss, sendo o primeiro aquele que deu o nome à classe o "GORCH FOCK", o terceiro a ser construído é o nosso "SAGRES", o quarto o Romeno "MIRCEA" e finalmente o "HERBERT NORKUS" que nunca chegou a navegar verdadeiramente tendo sido afundado voluntariamente em 1947. O "EAGLE" (ex-HORST WESSEL) foi transferido para a marinha Norte-americana no final da segunda guerra mundial como pagamento de reparação de guerra por parte da Alemanha, onde se manteve no activo até aos dias de hoje.
Nome: EAGLE.
Tipo: Navio Escola.
IMO: 6109973.
Indicativo: NRCB.
MMSI: 303990000.
Bandeira: Estados Unidos da America.
Porto de Registo: New London, CT.
Número de Galhardete: WIX-327.
Donos e Operadores: Governo Americano- Guarda Costeira- Washington, DC, EUA.
Classe: Gorch Fock.
Ano de Construção: 1936.
Estaleiro: Blohm & Voss- Hamburgo, Alemanha.
Comprimento Fora a Fora: 89,70 metros.
Boca: 11,90 metros.
Calado: 5,30 metros.
Deslocamento: 1,813 toneladas.
Guarnição: 230 (12 oficiais, 68 tripulantes, 150 estagiários).
Potência de Máquina: 750,00 kW (1,000 hp).
Velocidade de Cruzeiro: 10,00 nós ( Máquina).
Velocidade Máxima: 19,00 nós (Velas),
Potência de Geradores Auxiliares: 320,00 kW
Área Vélica: 2,070 m2.
Nome Anterior: Horst Wessel (09/1936-05/1946).
Em serviço da guarda costeira Americana desde o dia 15 de Maio de 1946.