Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 7 de dezembro de 2014

Aplicar o conceito de polivalência ao transporte marítimo inter-ilhas

 © Copyright 1ª foto: Estaleiros Lindenau, Alemanha.
A polivalência, é algo exigido a muitos trabalhadores, principalmente quando existe a necessidade de rentabilizar os recursos humanos em pequenas empresas.
Por vezes dou por mim a pensar se tal polivalência, não poderia ser eventualmente  aplicada ao transporte marítimo inter-ilhas, como sugere um amigo meu.  Bem sei, que se trata de um mero exercício, mas a nossa pequenez como região arquipelágica talvez justificasse uma aposta num conceito de transporte marítimo polivalente. Trata-se de algo absolutamente normal e já aplicado em diversos locais por esse mundo fora.
Apresento dois navios com características técnicas diferentes, mas pensados para serem polivalentes. Trata-se de dois conceitos, que eventualmente poderiam ser aplicados nos Açores, comprimindo  o número de navios, mas rentabilizando o serviço e consequentemente diminuindo o custo.
No primeiro caso, apresento o interessante navio tanque, "Sheychelles Paradise", construído na Alemanha em 2009, que opera nas ilhas Seychelles. Este pequeno navio a transporta combustível líquidos, gás (LPG), efectua bancas, e serve de formação a jovens oficiais. Fica a pergunta, poderia este conceito ser aplicado aos Açores? Seria vantajoso a região possuir um navio tanque com estas características?
No segundo caso, apresentamos o navio Bella Desgagnés, que opera no Canadá, tem a capacidade de transportar carga contentorizada e passageiros, sendo que numa aplicação aos Açores, num anterior post da autoria do Cte. Rui Carvalho, sugere-se a adição da valência ro-ro. Este também seria uma sugestão para serviço inter-ilhas, ficando  o transporte de carga contentorizada Açores-Continente-Madeira, ao encargo dos navios porta-contentores.
Não sei, nem tenho saber, para aconselhar um modelo de transportes marítimos ideal, aliás quem lê este blog sabe que esta não é a minha visão para um sistema de transportes, mas sei que faz falta definir claramente o rumo a seguir e construir algo positivo e duradouro para as gerações futuras.
© Copyright foto: Mac Mackay.

6 comentários:

António Barreto disse...

Uma excelente ideia que me parece óbvia, com esses ou outros tipos de navios. Infelizmente, os governantes centrais e regionais, parecem sempre mais disponíveis para o espalhafato e manipulação dos eleitorados do que com a eficiência dos serviços.

Abraço

Fernando disse...

Concordo com a ideia mas nos Açores há muito lóbi instalado.

Manuel Bettencourt disse...

Caro amigo António e Fernando,

Estas são sugestões que me apresentam alguns amigo nomeadamente como referi no post o Cte. Rui Carvalho. Na minha forma de pensar estou mais inclinado para um sistema ferry puro associado ao sistema de porta-contentores, mas reconheço mérito a esta visão que partilho convosco.
Existe sim interesses instalados, mas também haverá certamente solução para esses interesses fazerem parte da solução e não do problema.

Veremos o que o futuro nos reserva nesta matéria, esperemos que nos traga algo de positivo para as gerações futuros.

Abraço aos dois e bom domingo
Manuel

Anónimo disse...

Neste momento só se fala das low coast de Lisboa para Ponta Delgada, e nem se sabe como será com as outras ilhas, só daqui a muitos anos é que se vai falar da revolução do transporte marítimo nos Açores (se é que vai acontecer), ninguém sabe como vai ser com os ferrys a construir...entretanto pagamos forte e feio pelos fretes.

Manuel Bettencourt disse...

Boa tarde caro visitante,

Tendo razão sobre a questão dos fretes, lembro também que o tempo de trânsito de mercadorias entre determinadas ilhas é absolutamente impeditivo do desenvolvimento económico da nossa região. Julgo necessário construir uma logística interna eficiente e competitiva.

Um Abraço e bom domingo
Mnauel

Elvio Drumond Leão disse...

Boas amigo Manuel, sem duvida que a pilivalencia dos navios iria racionalizar os custos e agilizar os transportes. Essa é uma ideia que há muito defendo para a ligação continente)Madeira http://marportosanto.blogspot.pt/2012/08/um-tipo-de-navio-ideal-para-ligacao-com.html
Abraço
Elvio