Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Ro/Pax "Veteran" na Horta e o modelo de Transportes Marítimos inter-ilhas




© Copyright fotos:  Marco Rosa; Miguel Nóia; Carlos Gregório; José Lopes, Faial.

O tradicional post do dia 1 de Abril (Dia das mentiras) foi inspirado num pequeno ferry, que à data se encontrava em construção nos estaleiros da Damen, na Roménia, destinado a operar nas ilhas de Fogo e Change, na província canadiana de Newfoundland and Labrador (Ver Aqui).
O navio de nome "Veteran", assim se chama, havia sido lançado ao mar no dia 27 de Março do corrente ano. Foi projectado para servir em condições adversas nessa região, estando preparado para enfrentar gelo com espessura que varia entre 40 e 60 cm. Está previsto entrar ao serviço no decorrer deste ano, enquanto que um segundo navio, já entretanto lançado ao mar e baptizado de "Legionnaire", estará operacional em Fevereiro de 2016.
O inesperado mas feliz aparecimento deste navio, que entretanto fundeou na baía da Horta, leva-me novamente a reflectir sobre o modelo de transportes marítimos a aplicar nos Açores. Lembro que em determinada altura falava-se que os novos ferrys da Atlânticoline teriam cerca de 80 metros, que, em termos de comprimento é semelhante a este.
Para além das questões relativas às opções da Atlânticoline, fica novamente a sugestão relativa à empresa Transportes Marítimos Graciosenses (TMG), no adoptar de um novo conceito de serviço, ou seja, um serviço ro/pax de periodicidade anual ligando todas as ilhas do grupo central.
Não sei qual será o caminho a seguir no que ao actual modelo de transportes diz respeito, mas julgo que existe uma clara necessidade de mudança de conceito. Lembro que no arquipélago da Madeira, não se discute a valia das ligações ferry entre a Madeira e o Porto Santo, mas sim, o ressurgimento de uma ligação ferry com o continente, com ligação ao arquipélago das Canárias, algo que se espera para breve.
Enquanto isso, nos Açores, excepção ao chamado “Triângulo” (ilhas de São Jorge, Pico e Faial), a opção marítima para passageiros é ir a nado, ou, esperar que a maré baixe!
Pelas razões acima referidas, é com enorme satisfação que publico as fotos enviadas pelos Amigos, Marco Rosa, Miguel Nóia, José Lopes, e Carlos Gregório, Obrigado!
© Copyright vídeo: Marco Rosa, Faial.
Nome: Veteran
IMO: 9736901
Bandeira: Canadá
Operador: Newfoundland & Labrador
Tipo: Ro/Pax
T.A.B. 4437 tons
T.A.L. 1331 tons
D.W.T. 3262 tons
Ano: 2015
Estaleiro: Damen, Roménia
Proprietário: Governo do Canadá
Comprimento: 80.90 mts
Boca: 23.35 mts
Calado: 4,10 mts
Capacidade: 200 passageiros e 60 viaturas
Potência da máquina principal: 5628 hp
Velocidade de serviço: 14 nós







N/F "Veteran", fundeado ao largo da Feteira, Faial.

6 comentários:

João Bettencourt Mendonça disse...

Caro Manuel Maria Bettencourt é já este o barco que vem para os TMG???

Acho estranho ele ter fundeado na Horta e não na Praia da Vitória, onde a empresa está sediada. Ou será que ele vem é para testes na Atlanticoline, uma vez que esta empresa transferiu a sua sede para o Faial.

Se ele vem para uma empresa ou para outra, é muito bem vindo!!!

(É pena a rampa RO/RO de Angra ainda não estar construída, mas espera-se que seja durante este inverno)

Manuel Bettencourt disse...

Caro amigo João,

Como o mundo é pequeno e engraçado! Brincávamos com este navio e de repente aparece por cá!

Estou nesta altura a negociar um empréstimo com o Ricardo Salgado para adquirir os TMG e traze-los de volta a casa!

Um Abraço,
Manuel

CAP CRÉUS disse...

Então foi este bicho, que eu vi na webcam, da ilha do Faial...
Não é bonito, mas seria bom haver um Navio para os 12 meses.
80 metros atraca no Corvo?
Abraço e bom fim de semana!

Anónimo disse...

Entregar este navio aos TMG era um crime! Tenham juízo!

F. Henriques disse...

Amigo Manuel este navio ainda tem algumas semelhanças ao Gilberto Mariano e Mestre Simão mas com o dobro de cumprimento o que julgo ser o suficiente para os Açores.Abraço

Manuel Bettencourt disse...

Amigo Fernando,

Não discordo, e julgo que tudo deve ser bem ponderado, uma vez que os futuros ferrys representam um grande investimento.

Um abraço
Manuel