Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ferry "Golfinho Azul" ano 2002

Se recordar é viver vamos então recordar o ferry "Golfinho Azul" numa das suas escalas no porto da Graciosa em Agosto de 2002, na altura a operadora era a Açorline que tinha a participação do Grupo Madeirense Sousa. Ao olhar para estas imagens de arquivo, cedidas gentilmente pelo colega e amigo Carlos Medeiros, faz-me pensar que estes últimos 8 anos foram férteis em acontecimentos relacionados com o porto e com o transporte ferry nos Açores. Quanto ao porto cresceu a sua área de terraplenos e linha de caís passando de 190 mts para um pouco mais de 230 mts, tendo originado um novo alinhamento que torna agora as manobras dos navios mais seguras, para além disso o porto encontra-se muito melhor sinalizado com farois de enfiamento e bóias no canal de navegação, o que permite entradas nocturnas desde que as condições metereológicas sejam favoraveis, como é óbvio. Para além de tudo isto o Porto Comercial têm agora na baía a companhia do Porto de Pescas, um sector que evoluiu bastante.
Mas se as estruturas portuárias mudaram já no transporte ferry as mudanças fizeram-se sentir na automação da operação das rampas laterais, no entanto estes ferrys continuam a transportar apenas viaturas e passageiros. Será que a construção das futuras rampas ro-ro nos portos irá originar uma 2ª fase no transporte ferry dos Açores, passando estes a incluir a chamada carga rodada como acontece noutros arquipélagos?
Quanto a este "Golfinho Azul" foi o primeiro nesta novela ferry nos Açores, lembro algumas saídas complicadas no porto da Graciosa com o vento lateral de sudoeste dificultando muito a sua saída. Na altura era necessário ter um ângulo maior de abertura para vencer a cabeça do molhe mas ás vezes lá se abortava a primeira tentativa, depois mudava-se para o plano B e com a perícia do Comandante e a assessoria técnica do Piloto de Barra lá saia. Claro que reboques não havia e a polivalente "Electra" era na altura um sonho, e por falar em lancha de Pilotos a velhinha "Manu" chegou a ficar presa naquele verdugo do casco, a sorte foi o Golfinho Azul ter feito um movimento contrário permitindo à lancha e tripulantes escapar sem grandes danos.
O "Golfinho Azul" foi construído em 1969 pelos estaleiros Jos L. Meyer Verft em Papenburg na Alemanha com o casco nº 545, sendo originalmente nomeado de "Vikinfjord" tendo ainda ostentado os nomes de "Prinz Hamlet II", "Agadir", "Ouranos", e claro "Golfinho Azul". Tinha 108.1 metros de comprimento, 17.4 metros de boca e 5.97 metros de calado, sendo propulsionado por dois motores MAN de 9860 KW com o intuito de atingir uma velocidade de 21,5 nós. Dispondo de uma capacidade para 1000 passageiros e 160 viaturas, foi segundo informação do Blogue dos Navios e do Mar vendido a interesses Indianos, tendo partido do Tejo com o nome de "Golf".

7 comentários:

simão bessa disse...

Caro Manuel será que se importará de me enviar as primeiras quatro fotos? E já agora a operação do golfinho azul era sazonal tal como os de agora?

Manuel disse...

Caro Simão, Obrigado pelo comentário. Sim a operação também era sanzonal, sendo que agora está mais alargada no tempo.
Quanto ás fotos são do Amigo Carlos, mas acho que ele até fica contente de estas fotos de arquivo terem muito valor, e de alguem as querer, enviarei brevemente.
Abraço,
Manuel

New Travel disse...

Caro Manuel, será que se houvesse as rampas nos Açores quando houve este ferry, e o Ilha Azul, o desenvolvimento no sector ferry já não estaria melhor que nos tempos de hoje. Abraço

New Travel disse...

Será que quando esse navio e o Ilha Azul estiveram nos Açores se já existissem rampas, esse sector estaria mais desenvolvido ou acha que os interesses iam falar mais alto?
Abraço

Manuel disse...

Caro New Travel, enquanto não houver vontade política em mudar as coisas nada feito, mas como só os lobbys que fazem pressão sobre os políticos, só vendo para crer.
Quando acabar esta época ferry, teremos uma ideia do que será o futuro!
Abraço
Manuel

Pedro Correia disse...

Eu como antigo tripulante durante 2 anos do Golfinho Azul (provavelmente esta trabalhando no momento dessas fotos num dos bares), tenho que admitir ke este navio era "uma festa" como o slogan da Acorline dizia. Hoje tava procurando recordar e foi bom encontrar algumas fotos... Tb tenho algumas de bons momentos a bordo. parabens pelo blog, hoje em dia estou vivendo longe dos acores mas gostaria de ver melhores ferries nas ilhas que é uma falta enorme para o turismo... lembro de este navio fazer viagens á volta da ilha e as formigas so para lazer... hoje nada disso existe e devia pois temos mercado para isso...

Manuel Bettencourt disse...

Boas Pedro,

Muito mudou desde esses tempos! Julgo que foi os tempos áureos do serviço ferry e mais não digo...

Abraço
Manuel