Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Ferrys, Festas e Férias

Várias vezes aqui escrevi a minha humilde opinião sobre o serviço ferry, mas hoje  quanto a mim faz todo o sentido  voltar a chamar a atenção para as virtudes deste serviço. Também aqui várias vezes  referi que entendo que este serviço devia evoluir para uma operação anual incluindo a carga rodada inter-ilhas, na minha opinião só assim se começaria a desenhar um serviço com sustentabilidade, mas infelizemnte penso estar longe desse meu sonho, continuaremos a proteger certos lobbies sustentando poucos em detrimento de muitos.
Porque me preocupa isto? Bem meus Amigos vivo numa pequena ilha que infelizmente enfrenta um Enorme problema que é a constante perda de população.  Estou convencido que um serviço ferry inteligente  e anual, seria uma "ponte" entre todas as ilhas, possibilitando uma maior, mais fácil e mais barata circulação inter-ilhas, acredito que essas "pontes" seriam factor de maior desenvolvimento sócio-económico dos Açores e poderiam potenciar com a maior circulação de pessoas e bens uma forma de as pequenas ilhas voltarem a ganhar população.Á milhares de anos os romanos  acharam fundamental construírem as suas estradas até à antiga Roma, e nós quanto tempo mais vamos adiar essas "estradas" permanentes inter-ilhas, sendo que a forma mais barata e funcional é um ferry, 10, 20 anos mais?
As fotos deste post são de 11 a 17 de Agosto, período que abrange as Festas do Senhor Santo Cristo, dentro do possível tentei captar algumas fotos que transmitissem o grande numero de passageiros que os ferrys movimentaram, pelo nosso porto terão passado neste últimos dias mais de 2000 passageiros afinal estamos na época de Ferrys-Festas-Férias.
De referir aqui pela positiva o facto da Atlânticoline ter acedido a alterar o horário da saída do "Hellenic Wind" na segunda-feira (15-Ago), algo que possibilitou a vinda de muita gente com o objectivo de assitir á tradicional tourada de praça, quanto a mim é algo que se deve valorizar, ou apenas fica bem criticar?
(©) Copyrights fotos: 6ª e 7ª, João Agostinho Silva; 1ª a 5ª e 8ª a 12ª MM Bettencourt, Graciosa.

10 comentários:

Luís C. F. Henriques disse...

Concordo plenamente com a opinião que tem expressado neste seu blog. Também sou natural de uma ilha ainda mais pequena e distante que a Graciosa (ilha das Flores) e lembro-me bem quando começou o serviço ferry. Primeiramente com o Lady of Mann que, sejamos francos, não possuía condições para uma viagem entre as ilhas mais afastadas e as Flores. Mais tarde, o Golfinho Azul.

Ambos estes navios, quando começaram a operação, trouxeram uma "enchente" de pessoas (no caso particular) à Festa do Emigrante nas Lajes das Flores. Sentia-se quando o "barco estava atracado" e quando deixava o porto.

No caso específico das Flores não sei que se passou ao longo destes cerca de 10 anos, o que é certo é que este espírito de "são vapor" perdeu-se. A meu ver, a ilha das Flores está a passar ao lado de uma oportunidade que não mais virá se não for devidamente explorada. A decisão negativa por parte do Governo Regional relativamente à construção de uma Pousada da Juventude nesta ilha está a contribuir para a extinção desta oportunidade de termos gente na ilha, pelo menos durante os mese de Verão.

Fala-se em apostar no Mar como meio de desenvolvimento mas, como já referi noutras ocasiões, para além de apostar no mar tem que se apostar no que está em terra voltado para o mar - nas infraestruturas (apoio náutico, turismo, etc) que acolhem "quem vem do mar". Nalgumas ilhas houve a visão necessária para o fazer, noutras...

Abraço,

Manuel disse...

Boas Amigo Luís, concordo contigo sobre a questão que para atrair pessoas também se tem que fazer trabalho em terra e muito, os movimento de passageiros não passa só pela Atlânticoline e os seus ferrys, também passa pela divulgação das festevidades das ilhas,passa pelo que cada ilha pode oferecer, passa por um trabalho constante de forma a que um visitante visite uma ilha limpa e bonita, resumindo depende de todos nós também.
Eu visitei as Flores no Golfinho Azul, naveguei num navio cheio, passados muitos anos acho que chegou a altura de se avançar neste serviço, acredito que este poderia ser uma motor de desenvolvimento de todas as ilhas mas principalmente das pequenas, para lutar contra a desertificação precisamos de pessoas e fácil circulação.
Enfim vamos ter esperança no futuro.
Abraço,
Manuel

Luís C. F. Henriques disse...

Eu tento ser optimista...
No Verão passado fiz uma viagem para as Flores no final de Julho com mais cerca de 10 pessoas.

Se viajou nessa altura para as Flores, sabe do que falo. Costumava-se levar lá filarmónicas, grupos folclóricos. Certo ano estiveram lá 4 filarmónicas - somando cerca de 40 musicos por cada uma, é um número razoável de gente para uma ilha da dimensão das Flores.

Temos de ser optimistas

Abraço

FranciscoM disse...

Caro Luis Henrique, naturalmente que muito falta fazer em ilhas como as Flores e a Graciosa, contudo n partilho da sua opinião sobre o estado actual das Flores.

Há algum tempo atrás foi inaugurado um Hotel de boa qualidade:

http://www.inatel.pt/unidhoteleira.aspx?menuid=673

Há um mês foi a vez da marina, que já está ser utilizada pelos velejadores para suas pinturas:

http://4.bp.blogspot.com/-4IgoIO97OX8/TirUPJIfifI/AAAAAAAAArQ/98B-4sUFlFA/s1600/IMGP2759.JPG

O turismo cresceu até ao momento 40%

http://estatistica.azores.gov.pt/upl/%7B1172fc01-3a4f-46f8-af95-179a1ff043f2%7D.htm

O Aeroporto 10%

http://estatistica.azores.gov.pt/upl/%7Bf3cd3d80-1954-458e-8922-c02612f7e881%7D.htm

Parece-me que esses dados são efectivamente muito positivos para a época que vivemos.

Manuel disse...

Amigo Luís e Francisco, penso que todos nós estamos de acordo numa coisa a importancia dos ferrys nos Açores.
Nesta breve conversa acho que estamos a ir numa direcção interessante que é: O aumento da circulação de pessoas não pode passar só pela Atlanticoline, cada ilha também tem que fazer o seu trabalho de casa de forma séria, claro que seria injusto se não reconhece-se que por exemplo na minha ilha algumas coisas mudaram e para melhor, começando pelo porto, o hotel, as Termas, as obras da Caldeira, etc, mas teremos que ser inventivos e saber tirar partido dessas mais valias.
Um Abraço,
Manuel

Jorge Ferreira disse...

Caros comentatores do blog "o porto da graciosa", caros leitotes caro amigo Manuel Bettencurt e publico em geral.
Gostava de expressar a minha ideia/sugestão. É importante haver um ferry a operar nas ilhas dos Açores a efectuar viagens entre todas as ilhas sem exepção e durante todo o ano, não apenas durante o verão. E como já foi debatido neste excelente blogue temos de ir mais longe e tem de haver maior competividade em termo de preço-qualidade-produto, e isso so é possivel não apenas com as linhas entre todas as ilhas nos açores, mas tambem com uma linha entre os Açores e o Continente. É impressionante como nenhuma operadora de cá (Portugal) ainda não terem a ideia de haver um ferry a operar entre as Ilhas dos Açores e o Continente e a Madeira. No Continente dizem que estamos todos unidos, mas afinal não estamos todos unidos quanto isso... a area de mar de Portugal e 9x superior ao nosso território e nos não aproveitamos? Tem de haver uma maior competitividade de preços/navios a operarem entre todas as ilhas. Conheço virtualmente as caracteristicas so porto da Graciosa e de alguns Portos das Ilhas dos Açores e vejo perfeitamente que existem condições para o express Santorini (por exemplo) efectuar as linhas entre o Continente e todas as ilhas dos Açores... No caso da Madeira teve de ser uma empresa espanhola ter a ideia de fazer a ligação entre a Continente, porque ninguem teve ideia... E ate obrigatoriamente tinha de existir uma linha entre a Madeira e os Açores. Como e possivel que entre as duas ilhas mais perefericas não existem uma ligação entre ferries? Tem de haver companhias a fazerem estas linhas. Voltando ao assunto das ligações entre as ilhas nos açores durante todo o ano, era uma linha que dava muito lucro e era de louvar a companhia que fizesse essa linha. Excelente era mesmo o Express Santorini a fazer essa linha, visto que tem mais condições para os mares do Atlantico...
Abraço e cumprimentos a todos
Jorge Ferreira

Manuel disse...

boas Jorge, Obrigado pelo comentário e pela simpatia. Bem quanto à linha açores-Madeira-continente, alguns amigos dentro deste assunto dizem-me que dificilmente será rentavel, quanto aos ferrys inter-ilhas se funcionassem todo o ano poderia ser uma revolução nos transportes, mas isso seria mau para alguns, depois explico-te por mail o que quero dizer ( há coisas que não posso dizer aqui).
Um Abraço,
Manuel

Jorge disse...

Boas Amigo Manuel e restantes seguidores do Blog.
Belo registo fotográfico do movimento Ferry no porto da Graciosa.
Quanto aos comentário feitos, concordo plenamente e mais digo precisava uma mobilização dos Açorianos ( Particulares e Empresas ) para que tenhamos de uma vez por todas e com urgência um Serviço Ferry anual de qualidade. Falo por mim, por vezes encomendas que a minha empresa envia da Terceira para clientes de outras Ilhas fora do grupo central levam uma semana ou mais, infelizmente é a realidade.
Quanto ao preço das passagens eu considero um pouco carro, se os utentes do Cartão Interjovem pagassem a tarifa pela metade não sobrecarregava os preços das tarifas para os restantes passageiros.
Cumprimentos
Jorge Azevedo.

Manuel disse...

Boas Amigo Jorge, a sua empresa ganhava e outras tambem certamente.
Dou o exemplo da exportação de meloa da minha ilha para as outras, essa exportação nos ferrys seria muito mais rápida, por exemplo meloa que saisse da graciosa pelo meio dia ao fim da tarde estaria no Faial por exemplo sem perder qualidade, enfim tanto que se poderia ganhar com esse serviço, mas o problema é o que alguns poderiam perder.
Abraço,
Manuel

Jorge Ferreira disse...

Boas Amigo Manuel!
Sendo assim, fico a espera do mail :)
Também depois aproveito para lhe dizer explicar algumas coisas que se passa nos ferries locais...
Abraço
Jorge Ferreira