Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sábado, 20 de novembro de 2010

N/M "FLINTERWAVE" na Praia da Vitória


"Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser

Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...
É a Hora!

Fernando Pessoa
"
DADOS:
Nome: FLINTERWAVE
Data e Hora da entrada: 19-11-2010 - 07:00
Indicativo de chamada: PHBZ
Nº IMO: 9313785
Porto de registo: HAREN.

Bandeira: HOLANDA.
Ano de construção: 2004.
Comprimento f. a f.: 89.78 mts.
Boca máxima: 14.00 mts.
Porte (DWT): 4535 tons.
Arqueação bruta: 2999 Mtons.
Arqueação líquida: 1640 Mtons.
Calado máximo à entrada: 5,90 mts.
Último porto: BAYONNE (França).
Próximo porto: Aguarda Ordens.
Tipo de carga: 4151 Tons de Milho.
Potência da máquina principal: 2640 KW.
Potência do auxiliar de proa: 340 KW.
Armador: Wave BV.
Agência: Oceânica, Agência de Navegação - Jorge Meneses.
Nome do Comandante: Wiepko T. Bos (Holanda).
Piloto de serviço: Rui Carvalho.
(©) Copyrights fotos: Rui Carvalho, Praia da Vitória.

3 comentários:

Manuel disse...

Amigo Rui, Obrigado pelo post, e por este poema interessante do Fernando Pessoa.
Mas quando ele fala em nevoeiro, eu diria que é fumo intenso e sufocante, resultado de uma fogueira feita pela "Elite", que assim se vai aquecendo em redor dessa fogueira enquanto sufoca o Povo, e ao mesmo tempo contam anedotas sobre esse pobre Povo. Uma das anedotas que essa Elite, conta é aquela muito justa de que o Povo para chegar à reforma têm que trabalhar até já lhe restar poucos anos de vida, enquanto eles que fazem leis para si próprios podem-se reformar com 8 anos de serviço aquecendo-se à volta da fogueira. Que raio de país é este que permite que um gestor de uma empresa publica venha dizer que era insustentavel a manutenção da Groundforce em faro, quando esse à volta da tal fogueira, ganha um ordenado completamente absurdo.
Está a ser preciso a implementação de uma Nova Ordem.

Orlando Miguel08 disse...

Os navios Flinters...Já por cá passaram alguns Flinters, com diversas mercadorias. Parece que por ai também utilizam gruas Gootwald, aqui em Aveiro temos três dessas, ou melhor uma igual a essa, e duas com mais capacidade.
Abraço amigo Manuel.

Manuel disse...

Boas Amigo Orlando, sim já vi no vosso blog que Aveiro também têm gruas desta marca, e já estive para perguntar se eram iguais.
Abraço,
Manuel