Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Aniversário do lançamento à água do N/F "Express Santorini"


Grua Titan, Chantiers Dubigeon, ille de Nantes, França/ Copyright foto:Commons Wikimedia, Guillaume Piolle.





© Copyright fotos: MM Bettencourt; Tito Nóia; Aero Gráfica; Pedro Carvalho; Stefanos Papadopoulos.
Dia 12 de Setembro de 1973, nos estaleiros, Dubigeon, ille de Nantes, França, o N/F "Chartres" (casco nº 137), desce a rampa e entra na água pela primeira vez. O, "Chartres" foi encomendado aos estaleiros Dubigeon, pela SNCF (Société Nationale dês Chemins de fer Francais), nasce assim um ferry com a acrescida capacidade de transportar vagões dos caminhos de ferro na ligação entre as margens do Canal da Mancha, as suas origens são uma das razões para a sua robustez, ainda hoje o navio possui os carris dos caminhos de ferro no seu car-deck. De forma simplista este (e outros) foi um dos antecessores do Euro túnel.

O, "Chartres", foi renomeado de,  "Express Santorini" (1993), pertence actualmente à Portucalence Shipping Company, com sede em Piraeus, que o adquiriu recentemente à Hellenic Seaways, sendo gerido pela, Hellenic  Shipping Transportes Lda., estando nos últimos anos durante o Verão a operar nos Açores ao serviço da Atlânticoline. Este ferry têm  já uma longa história (foi entregue à SNCF a 9-1-1974) , e efectuou desde então ligações entre as margens do Canal da Mancha, até ao transporte de tropas para a primeira guerra do Iraque, evacuação de estrangeiros da Líbia,  e claro o serviço na Grécia e Açores.
Se o, "Express Santorini", mantém-se em actividade infelizmente os estaleiros que o viram nascer fecharam em 1987, o primeiro estaleiro naval da família Dubigeon foi criado em 1760 por Julien Dubigeon, carpinteiro de profissão. No final do sec. XVIII, Nantes torna-se o primeiro porto de comercio francês, e isso contribuiu para o desenvolvimento da vila e para a prosperidade dos armadores de Nantes, com o consequente desenvolvimento do transporte marítimo o estaleiro Dubigeon também foi crescendo, tendo transformado-se num nome de destaque na construção naval. Para preservar esse orgulhoso passado histórico, a edilidade recuperou a zona dos Chantiers Dubigeon, criou-se a Maison des hommes et des Thécniques ( uma espécie de museu), e foi também restaurada e adquirida pela edilidade a grua TITAN.
Fontes: Commons Wikimedia;Wikipedia.




Sem comentários: