Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Vítor Fraga, assegura estar sempre disponível para explicar a opção pela construção dos novos ferrys

© texto e foto: GACS
O Secretário Regional do Turismo e Transportes afirmou ontem que o Governo dos Açores “está sempre disponível para explicar as suas opções”.

Vítor Fraga, que falava aos jornalistas após ter sido ouvido pela Comissão de Economia do parlamento açoriano, acerca do transporte marítimo de passageiros e viaturas interilhas, referiu que “é assim que tem feito, é assim que fará no futuro e a prova disto foi o facto de termos vindo hoje aqui à Comissão de Economia explicar claramente o porquê da opção” da Região, de adquirir dois navios com capacidade para 650 passageiros e 150 viaturas.

“A principal opção que o Governo dos Açores tomou, e isso é que é relevante, é que quer ter transporte marítimo de passageiros e viaturas na Região” adiantou o titular da pasta dos Transportes, porque este “é um instrumento essencial para aumentar a mobilidade dos Açorianos e para desenvolver a economia local de cada uma das ilhas, no contexto do espaço económico regional”.

Vítor Fraga adiantou que “este é o objetivo e estas são as opções que o Governo tomou e que irá implementar para que nos Açores haja uma maior mobilidade e para que haja um desenvolvimento de todas as ilhas por igual”, estendendo “aquilo que hoje é uma realidade numa parcela do arquipélago, que são as ilhas do triângulo, a todo o arquipélago dos Açores”.

O Secretário Regional recordou que “os resultados que obtivemos nas ilhas do triângulo, com o transporte marítimo de passageiros, com a introdução de dois novos navios, são bastante relevantes”, já que, de janeiro a outubro, foram transportadas 5017 viaturas, através dum serviço que anteriormente não existia.

3 comentários:

Anónimo disse...

Sr. MANUEL

Quem fala assim deve ter muitos estudos e pareceres que permitem dizer estas coisas com tanto à vontade.
Pena é que não apresente esses estudos e pareceres a todos os açorianos.
Assim calava todos aqueles que dizem o contrário.

Cumprimentos

LD

Anónimo disse...

Concordo com o transporte de passageiros e viaturas, mas este resultado apresentado pelo Sr. Secretario poderia ser melhor se na Calheta e Angra as rampas existissem ,e na época de inverno não há razão duas vezes ligarem a Horta Pico a Velas por dia e não haver uma por semana a Angra. continuam a transportar ferro no mar.

Manuel Bettencourt disse...

Caros visitantes, obrigado pelos comentários.

Todos nós sabemos que implementação de um serviço ferry permanente nas nossas ilhas, implica uma profunda alteração do sistema de transportes inter-ilhas e consequentemente alguns negócios.

Sem qualquer estudo e sem ser especialista na matéria, de uma coisa tenho a certeza, não se pode continuar a apoiar um sistema que coloca por exemplo a Horta a 8 dias de distância da minha ilha!!! Este é um mero exemplo, outro se podia dar!

Acho que em pleno sec XXI terá chegado a altura de avançar rumo ao futuro que já chegou a outros arquipélagos à muito tempo, dou o exemplo da Madeira onde um sistema ferry-porta contentores assegura a ligação com a ilha do Porto Santo.

Existirá certamente outras opiniões que respeito mas esta é a minha.

Cumprimentos
Manuel