Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 3 de janeiro de 2010

Forte ondulação no Porto da Praia da Vitória

Ainda combalido da forte ondulação que o fustigou no passado dia 01, deixando-lhe algumas feridas abertas nos molhes interiores, o porto da Praia da Vitória foi hoje sujeito a novas provações. Desta vez foram as fortíssimas rajadas de vento de Noroeste que tornaram a sua existência mais infeliz. A passagem de uma depressão moderadamente cavada (993 Hpa) mas com grande actividade a norte dos Açores, associada a uma frente fria e a uma linha de instabilidade que nos ofereceram uma noite de fortes aguaceiros e trovoada, originou ventos de força 8 (escala Beaufort ) com rajadas que atingiram repetidamente força 10 (50 nós). Como poderemos ver no vídeo anexo, a surreada e a vaga associada fazem as defesas dançar uma estranha coreografia contra a muralha dos cais, e não poucas vezes o vento criar vaga com 5 metros de altura dentro do saco do porto com os respingos subirem até 20 metros de altura só de baterem contra o cais. É um porto grande este porto da Praia da Vitória, mas infelizmente não é grande porto para abrigos.

video

(©) Copyright texto fotos e vídeo: Rui Carvalho, Terceira.

Sem comentários: