Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Navio "Mistral" da Marinha Francesa em Ponta Delgada

O porto de Ponta Delgada, recebeu ontem a escala do navio da Marinha Francesa, L1903 "Mistral", trata-se  de um Navio de Projecção e Comando BPC ( bâtiment de projection e commandement). Este navio tem um comprimento de 199 metros, tem capaciade para transportar uma unidade militar tipo batalhão com 450 elementos, veículos de combate até 1000 toneladas, 16 helicópteros, 2 hovercrafts, e 4 LMC ( lanchas de desembarque convencionais).
O Navio navega rumo aos EUA, onde irá participar no exercicio militar "Bold Alligator 2012", que envolve marinhas de vários países.
(©) Copyrights fotos: António M. Dias de Simas, Ponta Delgada.
Imagen: Autor desconhecido

7 comentários:

Victor disse...

O mês passado este navio esteve vários dias no terminal norte do porto do Funchal, também a caminho dos EUA para participar nuns exercicios. Era um navio destes que Portugal precisava. A catástrofe na Madeira há 2 anos atrás chamou mais uma vez a atenção para essa necessidade. Vamos sonhando.

http://naviosfunchal.blogspot.com/2012/01/navio-da-marinha-de-guerra-francesa.html

Manuel disse...

Amigo Victor, este navio é uma máquina de guerra espectacular, pois é versátil, clica na fonte Area Militar, no fim dessa página eles falam num projecto para a marinha portuguesa da classe Roterdam, mas não tive tempo de investigar.
Abraço,
Manuel

Victor disse...

Manuel: o NAVPOL que se falava para a Marinha Portuguesa com a crise que se instalou no país é melhor esquecer. Pagarmos os submarinos já é um pau!

Victor disse...

Uma das vantagens destes navios da classe Mistral é que rapidamente pode ser montada uma rampa na parte frontal do navio transformando-o num porta-aviões. Aliás o navio foi mesmo desenhado a pensar nisso. Assim de repente a França em caso de necessidade pode passar de 1 porta-aviões para 4! Isto porque já tem 3 navios da classe do Mistral. Um factor a ter em conta caso alguém "se meta" com a França.

Manuel disse...

Amigo Victor, não o conheço mas já percebi que é uma pessoa bem informada e conhecedora do mundo do shipping, continue a comentar pois gosto de aprender consigo.
Quanto a navios de guerra nacionais, dava-me por satisfeito mandarem o NRP Viana do Castelo para os Açores, tenho por opinião que deviamos ter uma marinha adequeada à necessidades e moderna.
Um Abraço,
Manuel

Victor disse...

Manuel, sempre que eu puder acrescentar alguma info para além de um simples comentário é um prazer. Por acaso já houve uma altura em que eu passava algum tempo em foruns navais de defesa ou simples foruns militares e sempre deu para ir aprendendo alguma coisa. O caso do NAVPOL foi dos que mais acompanhei e na altura como é óbvio falou-se também neste exemplo francês mas é "muita areia para a nossa camioneta". Optariamos sempre por uma versão mais reduzida. Na verdade dentro das nossas possibilidades nunca esperei algo superior a um LPD da classe do Galicia. Infelizmente nem isso vamos ter tão cedo. Acerca dos "patrulhões" nem vou falar para não começar a dizer mal do meu país.
Um abraço.

Manuel disse...

Amigo Victor, sempre disse que este blog serve em primeiro lugar para eu aprender, fazer amigos e partilhar info sobre o meu e outros portos, por isso os comentários são sempre bem vindos.
Sobre os partulhões, tem razão certos temas devemos evitar, eu tenho um que gostava de falar sobre ele mas é demasiado complexo e pode ofender, o meu amigo sabe certamente qual é.
Um Abraço,
Manuel