Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Participação açoriana no Projeto COSTA ajuda Portugal a afirmar-se na Europa

A participação dos Açores num projeto de criação de uma rede europeia de abastecimento de navios com gás natural liquefeito (LNG) – projeto COSTA – “ não se relaciona apenas com o acesso ao conhecimento que resultará deste trabalho. Há nesta área um potencial de atividade económica que deve ser acompanhado logo desde fase inicial”, defendeu, esta sexta-feira, em Ponta Delgada, o Secretário Regional da Economia, Vasco Cordeiro.
O governante, que falava na apresentação pública nacional deste projeto, envolvendo autoridades portuárias de Portugal, Itália, Espanha, Reino Unido, Alemanha e Grécia, salientou o trabalho de parceria desenvolvido entre a empresa Portos dos Açores e o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), considerou esta iniciativa de grande importância na estratégia da Região para o Mar, motivo pelo qual levou a que “fosse acompanhada desde o início”. “Quer pela sua importância para nós enquanto região arquipelágica, mas também porque nos permite, desde fase inicial, acompanhar as questões e as tendências que a nível europeu se vão desenhando” no desenvolvimento desta rede de abastecimento de navios por LNG, referiu.
Além disso, acrescentou o governante, “esta participação permite que os Açores continuem a afirmar-se como um parceiro privilegiado ao nível europeu nas matérias relacionadas como Mar”. “Participámos desde a fase inicial nos debates da Política Marítima Europeia e neste projeto, como noutros, também queremos participar desde a sua fase inicial”, acrescentou o Secretário Regional da Economia,
Assim, reforçou, “este projeto vem também demonstrar que quando falamos da importância do Mar dos Açores para o país e para a sua projeção internacional não nos estamos a referir a algo de etéreo. É algo que pode ter uma concretização muito prática, muito concreta”. “Se é certo que o facto dos portos dos Açores não estarem presentes neste projeto poderia não o invalidar também não é menos verdade que o facto de estarem presentes vem trazer um valor acrescido à presença e ao interesse de Portugal neste processo”, disse.
De facto, acrescentou Vasco Cordeiro, “os Açores são, sob a esmagadora maioria dos critérios, uma pequeníssima região da Europa, mas há um critério no qual se afirmam como uma autêntica potência europeia: o Mar e o seu potencial para toda a União Europeia”.
“Estratégias concretizadas desta forma, com uma postura pró-ativa, presente, interveniente e em parceria com as respetivas entidades nacionais constituem o caminho para o aproveitamento deste potencial pelos Açores” defendeu Vasco Cordeiro salientando, no entanto, que “se esse potencial traz projeção e esta afirmação ao país deve a própria Região colher também os benefícios ou parte dos benefícios do trabalho que resulte desta afirmação e desta projeção”.
“Este é um ponto de partida e agora depende da capacidade das entidades para afirmar a importância do país nesta temática que se ajuizará do sucesso desta presença e deste esforço”, concluiu.
Texto e foto: Gacs

3 comentários:

Rui Carvalho disse...

Caro MMB

O Jornal Diário diz:

"Açores pretendem integrar rede europeia de abastecimento de navios com gás natural.A Região já apresentou a candidatura ao “Projecto Costa”, que tem como objectivo geral contribuir para a implementação da utilização do gás natural como fonte primária de energia para o sector marítimo de passageiros e carga.
Os Açores formalizaram esta sexta-feira a sua candidatura ao "Projecto Costa", na sequência do trabalho preparatório que tem vindo a ser desenvolvido pela Secretaria Regional da Economia e pela Portos dos Açores S.A., empresa responsável pelas gestão das infra-estruturas portuárias regionais.
Estes trabalhos, que decorrem desde o início deste ano, e que obrigaram a uma avaliação, quer das condições existentes nos portos, quer das necessidades financeiras para a sua implementação, têm contado também com a participação do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), que será a entidade gestora do projecto a nível nacional.
O "Projecto Costa" tem como objectivo geral contribuir para a implementação e consolidação da utilização do gás natural como fonte primária de energia para o sector marítimo de passageiros e carga, permitindo desta forma a redução significativa das emissões de gases poluentes para a atmosfera no espaço marítimo europeu.
Os Açores poderão desempenhar um papel relevante na rede de abastecimento de gás natural aos navios que cruzam o Atlântico pela implementação de infraestruturas de armazenamento e abastecimento.
A Região encontra-se na rota dos principais fluxos maritimos, conferindo-lhes uma grande vantagem competitiva para a instalação de uma infraestrutura de abastecimento de gás natural que será integrada numa futura extensa rede mundial de abastecimento deste tipo de energia primária.
Este projecto plurianual enquadra-se na política para a rede de transportes transeuropeia, dentro do contexto da "Estratégia Europa 2020", onde as "Auto-Estradas do Mar" e a sua inerente dimensão marítima tem uma relevância primordial."

Tenho enormes dúvidas que se possa dotar o porto de Ponta Delgada de infraestrutura de armazenagem de LNG, restando o oprto da Praia da Vitória. A dimensão do projecto e os navios alvo são algo que nos ultrapassa de forma avassaladora.
A necessidade de investimento e criação de competitividade obriga a grande competência e "savoir faire" que neste momento só Sines tem.

Abraço

ErrE

Manuel disse...

Amigo ErrE, perante o teu comentário, só me apetece dizer estou sempre a aprender contigo, pena que seja só eu, sei que sabes o que quero dizer.
Abraço,
Manuel

Rui Carvalho disse...

Caro MBB

Apenas simpatia tua.
Eu é que estou sempre a aprender.

Abraço

ErrE