Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

terça-feira, 21 de agosto de 2012

O projecto da Younicos irá reduzir as escalas dos navios tanque no porto da Graciosa



(©) Copyright fotos: MMBettencourt, Graciosa
O N/T "Chem Daisy", efectuou na passada sexta-feira a sua 9ª escala no porto da Graciosa no corrente ano, a manter a mesma frequência chegaremos ao fim do ano com uma média apróximada de um navio por mês. Se até aqui, esta redução de escalas tem a ver com o aumento da capacidade de armazenagem do parque de combustíveis da Bencon, nos próximos anos essa redução poderá ser muito maior devido ao projecto que os alemães da Younicos pretendem levar a cabo na ilha.
No ambito desse projecto foi assinado no passado dia 9 de Agosto o "Master Agreement", entre a EDA e a Younicos.
"A assinatura do “Master Agreement” entre a EDA e a Younicos “é mais um passo no sentido da afirmação dos Açores como região pioneira no aproveitamento das energias renováveis e na utilização das mais modernas tecnologias disponíveis para maximizar esse aproveitamento”. Assim considerou Carlos César o acordo hoje assinado entre a empresa elétrica açoriana e a aquela empresa alemã, numa cerimónia à qual presidiu.
 A parceria EDA/Younicos incide sobre um projeto, com um investimento inicial de 25 milhões de euros, que vai ser iniciado agora na Graciosa, assente no uso da tecnologia de armazenagem de energia através da utilização de baterias de última geração.
 A evolução das baterias nos últimos anos tem sido imensa e têm a vantagem de responder instantaneamente às variações da rede provocada pela intermitência das fontes renováveis de energia e da demanda.
 Nesse contexto de procura de soluções para a otimização do uso das energias renováveis, esta parceria tem para o Governo dos Açores três objetivos.
 O primeiro é demonstrar a viabilidade, técnica e económica, da utilização de baterias, de grande capacidade de armazenagem de energia, para aumentar a penetração de energia renováveis. Pretende-se com este conjunto de baterias obter uma penetração de renováveis na rede elétrica da ordem dos 70%. Atualmente a Graciosa tem uma penetração de energia renovável da ordem dos 10%, dependente apenas da energia eólica.
 Um segundo objetivo é o de demonstrar, igualmente, a viabilidade da utilização de baterias na estabilização da rede não só devido à intermitência das fontes de energias renováveis, como também devido às oscilações da procura.
 Um último objetivo que é o de provar que nos Açores, e especialmente na Graciosa, é viável economicamente obter níveis de penetração de energias renováveis na rede elétrica da ordem dos 70% a partir da energia do vento e do sol.Texto e foto retirado do Gacs.




Sem comentários: