Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sábado, 13 de julho de 2013

Eventuais alterações na Linha dos Açores e Madeira



N/M "Ponta do Sol", no porto da Graciosa, dia 10 de julho 2013.
Quando  no fim do mês passado publicava a programação das escalas dos 3 Armadores que asseguram a carga contentorizada na Linha dos Açores, referia que aventava-se a hipótese de sair mais um navio desta linha, e uma possível troca na Linha da Madeira.
Tudo aponta que as "conversas de caís",  passem a algo de concreto, ou seja, que a linha dos Açores que actualmente é assegurada por 7 navios, seja reduzida para 6 (3 por semana, já foram 8). O navio a sair da linha será tudo indica o, "Insular", que será transferido para a Linha da Madeira, substituindo o navio "Ruby", na frota da Boxlines.
Contudo na linha dos Açores, parece haver mais alterações, nomeadamente a ilha de S. Jorge, em que as ligações dos porta-contentores (semanais), são asseguradas de forma rotativa pela Transinsular e Mutualista Açoreana,  passam a ser asseguradas apenas pela Mutualista Açoreana, mantendo as escalas semanais.

Outra das alterações diz respeito, à operação do N/M "Ponta do Sol", que mantendo as escalas quinzenais, terá a particularidade de operar pela Boxlines e Transinsular. Ou seja, uma viagem  será operado pela Boxlines e na viagem seguinte opera pela Transinsular. Ficaremos assim com dois operadores a escalar a ilha Graciosa, mas com o mesmo navio. Esta nova política, faz-me lembrar a liderança bicéfala do Bloco de Esquerda .
Não percebo (nem tenho que perceber), esta decisão da Boxlines, se aparentemente será melhor do que enviar o "Madeirense 3", para a Madeira e ficar  apenas com um navio nos Açores (boato antigo),  esta também me parece "estranha", e não a vejo como uma meia vitória mas sim como uma meia derrota. Mas compreender a nossa "Troika" de Armadores, é quase tão difícil como compreender o mistério da Santíssima Trindade.
Esperemos nós pela confirmação destas "histórias", que provavelmente terão outras "histórias", para contar... em euros!

4 comentários:

Rui Carvalho disse...

Caro MMCB

Ouvi dizer em cima do cais que além disso os fretes vão aumentar, será ?
Se for assim, depois de todas estas manobras de corte de despesa de escala (e bem a meu parecer), será um duplo prémio para os armadores da cabotagem.

Abraço

ErrE

Manuel disse...

Amigo ErrE, se calhar houve alguns cortes mas devia haver mais, para compensar a impossibilidade de haver mais cortes, aumenta-se o frete!

Se um dia pudesse fazer uma pergunta aos 3 armadores seria: Porque não querem mais carga nos vossos navios inter-ilhas? Eu vejo tanta!

Abraço
Manuel




Victor Insular disse...

Bem, visto daqui parece-me um reforço da Transinsular na Madeira e um aumento de capacidade naquela linha visto que o Insular tem maior capacidade que o Ruby. Já agora para onde irá o Ruby ou simplesmente "desaparece" ou é "devolvido", essa é outra questão. Quando vejo na programação de escalas no site da Transinsular os navios dos vários armadores todos como que "operando para um" já nem digo nada. Se calhar já nem faz sentido estarmos a argumentar se este ou aquele armador reforça sua posição. Parece estar tudo "acordado" ("cartelizado"?)Deve ser aquilo que chamam de "sinergias"... hehe . Mas a aliança P3 entre a Maersk, MSC e CMA CGM também será o quê? :)

Manuel disse...

Amigo Victor, o Insular vai operar pela Box lines, mas de facto a Transinsular fica com dois navios ocupados na linha da Madeira.

Pelo que oiço o Ruby, vai para "casa"!
Quanto aos nossos 3 armadores estão mais avançados em alianças que a P3!
Um dia destes com calma gostava de fazer um post sobre conferencias de armadores, é um assunto bem interessante!

Abraço
Manuel