Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sábado, 11 de outubro de 2014

Graciólica "ameaça" escalas do N/T "Chem Daisy"




© Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa.
Fonte: GACS/Younicos.
Aquando da última visita estatutária do Governo Regional dos Açores à ilha Graciosa em Abril, foi atribuido um incentivo financeiro no âmbito do SIDER, Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento Estratégico, no valor de cinco milhões de euros, sob a forma de incentivo não reembolsável, e de 2,9 milhões de euros, como empréstimo reembolsável, à empresa Graciólica, Lda., que prevê realizar um investimento de 25 milhões de euros na ilha Graciosa. Quanto à constituição da Graciólica, deduzo que esta seja uma empresa com participação da alemã Younicos (VER AQUI) e da EDA (AQUI)
Este projeto de investimento prevê a construção de um parque eólico com capacidade para produzir 5,4 MWp, de um parque fotovoltaico com capacidade para produzir 1 MWp e, para armazenar a energia produzida, uma central de baterias que permita o armazenamento de 2,7 MW/10MWh. 
A realização deste investimento permitirá que 65% da energia consumida na ilha Graciosa seja proveniente de fontes renováveis. Tendo em conta que o maior consumidor da ilha é a, EDA-Empresa de Electricidade dos Açores, será fácil de prever que as escalas do N/T "Chem Daisy", sofrerão uma acentuada redução, até porque actualmente 100% energia eléctrica é produzida na central termoeléctrica, uma vez que foi  desactivado o parque eólico da ilha.
Espero dentro do possível ir acompanhando esta "revolução" energética que irá decorrer na ilha.


3 comentários:

Anónimo disse...

Portanto, a EDA desactivou o seu parque eólico e agora vai comprar energia produzida por um parque eólico/fotovoltaico de um privado.

Eu também gostava de ter clientes sempre garantidos na minha empresa sem eu ter que fazer qualquer esforço. Só falta eu conhecer as pessoas certas para que uma empresa monopolista passe a ser minha cliente.

cacra disse...

Boa noite. O Parque eólico da ilha já estava obsoleto para o desactivarem?

Cumprimentos

Cláudio

Manuel Bettencourt disse...

Boas,

Quanto à primeira questão, penso que EDA e a Younicos fazem parte desta empresa, mas se alguém poder ajudar agradecia.

Quanto ao parque eólico, julgo que foi desactivado e transferido para S. Jorge, porque estava previsto o projecto da Younicos.
Deduzo, embora não tenha encontrado informação nesse sentido que a Graciólica executará o projecto da Younicos.

Abraço
Manuel