Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Victória Reefer

Longe vão os tempos em que as manobras no porto da Praia da Vitória eram normalmente efectuadas sem o auxilio de rebocadores, recorrendo-se quando extremamente necessário para navios de grande porte aos rebocadores do porto de Ponta Delgada ou mesmo dos portos do Continente. A ausência desses equipamentos auxiliares gerava grandes desafios á realização das manobras, utilizando-se muitas vezes o ferro dos navios para as socorrer, isto quando não eram canceladas por falta de condições de segurança.Desde a aquisição do rebocador “O Bravo” pela APTG, S.A. em 2004, situações deste tipo raramente ocorrem no porto da Praia da Vitória.Das minhas recentes recordações, lá por 2002 ou 2003, o navio frigorífico "Victoria Reefer" foi aquilo o que considerei um grande desafio. Lembro-me muito bem dessa manobra porque, chegados a bordo, uma das primeiras coisas que o Comandante nos informou foi que aquele navio era o mais antigo navio frigorifico da marinha mercante mundial no activo, mencionando orgulhosamente que o navio mantinha a sua classe original. Mal sabíamos o que nos esperava! O navio era realmente muito mau de manobra, não respondendo ao leme de forma efectiva nem ao passo do hélice, e muito menos possuía impulsor de proa. Era aquilo que nós definimos como uma lata de sardinhas em termos de manobra. Foram hora e meia para meter o menino ao cais, e só depois de largar o ferro de BB para ajudar a rotação do navio pois já não havia mais “presunto para cerrar”. E finalmente uma eternidade depois “Head-Out” com a muralha por estibordo, que já estava na hora do “Breakfast”.A estiva não teve melhor sorte, pois o navio era cheio de reentrâncias nos porões e com as cavernas à vista, além de que com as pequeníssimas escotilhas foi uma carga de trabalhos para descarregar as 700 toneladas de atum congelado.Com o nosso “Bravo” ao costado eram 10 minutinhos e com direito a um bife de atum na brasa.Bons Tempos!!!
Navio características:
Comprimento: 114,90 metros
Boca: 16,03 metros
Arqueação bruta: 4750 tons
Caládo máximo á entrada: 6,32 metros
Nacionalidade: Panamá
Porto de registo: Panamá
Ano de construção: 1962
Nº da IMO: S106433
(©) Copyright texto: Guilherme Bettencourt, Terceira
(©) Copyright Foto: Eng. Rogério Silva, Terceira
Os meus Agradecimentos ao Amigo Guilherme e ao Eng. Rogério Silva por este post.

Sem comentários: