Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

segunda-feira, 23 de julho de 2012

N/F "Express Santorini", descarregando contentores nas Velas


Meus Amigos,   esta duas primeiras fotos são uma fotomontagem, mas que reflecte de uma forma perfeita aquele modelo que defendo, ou seja um sistema ferry/porta-contentores. No inicio da outra semana o navio porta-contentores "Sete Cidades", encarregue da escala  no porto das Velas, viu-se impossibilitado de descarregar e carregar contentores, devido a uma avaria numa da suas gruas, trata-se de uma situação que pode acontecer a qualquer navio, mas que causa transtornos à economia da ilha.
Se tivéssemos um serviço ferry anual, coordenado com o serviço de porta-contentores, seria perfeitamente possível, que num caso destes os contentores prioritários podiam desembarcar no ferry, isto após serem descarregados num dos portos com gruas portuárias (S. Miguel, Terceira). O caso de S. Jorge, embora grave, fica amenizado pelo facto de esta ilha felizmente possuir escalas semanais, se aplicarmos este principio ás ilhas com escalas quinzenais, maior valia teria quanto a mim o ferry com a chamada carga rodada.
Servindo  o,  "Express Santorini", como exemplo este tem uma capacidade de transportar cerca de 35 atrelados de 10 metros na original configuração da sua "garagem", sendo que a  actual  capacidade situa-se entre 18 a 20 atrelados de 10 metros, diminuição originada pela construção da sua rampa lateral.
Cada vez mais, penso que os armadores nacionais poderiam ter uma palavra a dizer  neste sistema, de forma a que este fosse um complemento e não um concorrente. Obviamente trata-se de uma opinião pessoal.
(©) Copyright fotos: Cpt Stefanos Papadopoulos, "Express Santorini"
Montagens: MM Bettencourt


12 comentários:

Joluvipa disse...

Amigo Manuel

Tenho frequentemente passado pelo teu blogue e concordo contigo nalgumas coisas e estou em desacordo noutras.

No que diz respeito ao transporte marítimo de carga o que a região está necessitando é de uma alteração ao sistema actual. Nos Açores teremos que ter duas portas de entrada e haver um "Vitorino Nemésio" novamente.

Ferry nos Açores nos moldes actuais todo o ano, discordo. Para termos um serviço de ferry com passageiros e carga, é preciso que a Mutualista, Transinsular e Boxline se entendessem e não acho que isso seja possível nos próximos tempos.

José Pastor

Manuel disse...

Boas Amigo Pastor, seja bem vindo. Pelo que leio não discordamos muito.

Gostava de ter um serviço ferry anual, e de preferência com a participação do 3 armadores, nisto estamos de acordo, para ser todo o ano terá que incluir carga inter-ilhas principalmente, e ser como explico no post uma alternativa em casos especiais.

O sistema tipo Vitorino Nemésio, não discordo totalmente, mas tenho medo da ideias de alguns em relação a isso, se estivéssemos a conversar particularmente explicava do que tenho medo, mas aqui posso ser mal interpretado.


Concordamos que o actual sistema precisa ser melhorado para o bem dos Açores e das suas gentes. Efectivamente existem vários modelos possíveis, o que é preciso é ponderar correctamente as opções. As duas primeiras imagens são exemplo do que os ferrys podem trazer à economia açoriana devido à sua natural polivalência.
Vários sectores da economia podem tirar partido de um serviço ferry anual, acho que ainda não percebemos isso.
Claro que não sou dono da razão, mas preocupa-me estas questões, não fazemos mal algum em conversar sobre eles, mesmo que seja ideias discordantes aprendemos sempre algo.

Um Abraço e volta sempre
Manuel

Victor disse...

Manuel, começa a ficar especialista nas fotomontagens. Por momentos fiquei a pensar e já ia perguntar afinal se já tinham carga rodada. Não sei se a montagem está feita à escala correcta mas começei a pensar sobre a altura do atrelado e a altura da porta do Santorini.

A única maneira desses senhores armadores se entenderem só se fosse uma empresa por quotas que incluisse todos e cada um levava o seu quinhão de "lucro". De outro modo não estou a ver aceitarem concorrência Ro-Ro... Ou isso... Ou o estado tomar uma posição firme e usar da força para defender o bem comum.
Ah! Existe ainda aquela hipótese de aparecer um "maluco" com dinheiro para queimar e que avance sozinho mesmo sofrendo "sabotagens" e pressões constantes de todos os outros mas já ouvi dizer que mesmo os milionários alguns são excêntricos, mas não são parvos.

Manuel disse...

Amigo Victor já estava a estranhar não aparecer por cá!

Bem a montagem serviu apenas para chamar à atenção sobre esta possibilidade, até começamos a ter rampas e sazonalmente o ferry, logo temos as ferramentas, temos é que saber tirar partido delas.

Os 3 armadores (não esquecendo a Atlânticoline), podem entender-se, basta olhar para o controlo das linhas insulares,para a ultima reorganização da frota, aproveite e dê uma vista de olhos no site da Transinsular, lá encontra a programação das rotações dos 3, enfim todos vivem do mesmo, seriam loucos se permitissem concorrência.
A verdade é que eles em termos logísticos seriam uma mais valia para este serviço.
Mas como calcula nem imagino o que eles pensam, por mim criava a BTM-Ferrys, SA!

Um Abraço,
Manuel

João Bettencourt Mendonça disse...

Boa noite, caros comentadores.

Construir rampas RO-RO em todas as ilhas e manter o serviço ferry nos moldes atuais, é razão suficiente para decapitar todos os políticos que tomaram tal medida.

Assim, alguma coisa tem de mudar a partir do próximo concurso para o serviço de ferrys nos Açores, já que quanto a construir novos ou adquirir navios próprios, só para o próximo século.

Achei curioso que a minha alternativa está espartilhada nas duas propostas anteriores. Ou seja: Criar duas "portas" de entrada nos Açores, com um "Vitorino Nemésio" a tocar semanalmente as restantes ilhas, complementado com um serviço ferry anual com possibilidade de transportar carga rodada.

E caso não haja entendimento entre armadores, temos um Governo Regional que existe para "TOMAR AS MEDIDAS MAIS ADEQUADAS E RACIONAIS PARA SATISFAZER AS 9 ILHAS DOS AÇORES".
Ou seja: Colocar na ordem todo o tipo de lobbys sorvedouros do dinheiro do contribuinte.

Manuel disse...

Amigo João, como sempre comentários inteligentes, com portas ou janelas gosto especialmente destas tuas palavras "TOMAR AS MEDIDAS MAIS ADEQUADAS E RACIONAIS PARA SATISFAZER AS 9 ILHAS DOS AÇORES".
Ou seja: Colocar na ordem todo o tipo de lobbys sorvedouros do dinheiro do contribuinte. "

Sim somos 9 e não duas, isso é que me preocupa!

Um Abraço,
Manuel

Miguel Nóia disse...

Manuel qualquer dia estás em Hollywood nos efeitos especiais. Já nao acredito nas tuas fotos . Só vendo mesmo. :) Abraço

Manuel disse...

Amigo Miguel, são sonhos tal como os filmes de Hollywood, normalmente nos filmes os bons vencem, mas na vida real nem sempre é assim.
Por falar em viajar que tal um dia irmos até Roterdão?
Um Abraço
Manuel

Victor disse...

Manuel, vi este post:

http://portodamadalena.blogspot.pt/2012/07/curiosidade.html

O que se passa? Afinal vai ou não vai ser usada a rampa? Será que neste escala não havia nenhum veículo para carregar ou descarregar?

Bruno Rodrigues disse...

Provavelmente a forma como arrumam as viaturas no interior do navio está condicionada à utilização da rampa lateral. O Manuel poderá corrigir-me, uma vez que conhece o comandante do Santorini, mas penso que só passarão a utilizar as rampas RO-RO quando estas tiverem disponíveis em todos os portos de escala do itinerário, de modo a deixarem de utilizar a rampa lateral.

Manuel disse...

Desculpem , mas só agora tive tempo para a net, não falei sobre esse assunto, mas tenho a certeza que se trata de uma questão de gestão da garagem do ferry, não se esqueçam que só Velas tem a rampa operacional no grupo central, a arrumação terá que ser feita a contar com os restantes portos que não tem.
Um Abraço,
Manuel

Bruno Rodrigues disse...

Pareceu-me ver hoje (quinta-feira) no climaat o Santorini a operar nas Velas novamente utilizando a rampa RO-RO.