Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Programa "Em Foco", tema transporte marítimo de passageiros

Programa da RTP Açores, "Em Foco", apresentado pela jornalista Marta Silva, em que o tema é o transporte marítimo de passageiros, foram convidados: Convidados: Hiraílda Toledo – Guia intérprete / Luís Bettencourt – Técnico de Turismo / Nuno Domingues – Diretor Regional dos Transportes. Pena que as pessoas não entendam que os ferrys podem dar muito mais do que teem dado aos Açores, todos nós sabemos que existe poucos passageiros no inverno, mas meus "amigos" e então a vertente de carga rodada inter-ilhas? Porque diabo havemos de ser uma região diferente dos nosso vizinhos? Então em Setembro são só 2 passageiros? Vídeo RTP Açores.

32 comentários:

Anónimo disse...

Os meus parabéns à RTP Açores, mesmo em janela tem uma qualidade impressionante.

Manuel, quando se refere a sermos iguais aos nossos "vizinhos" refere-se apenas em relação ao serviço ferry certo?

Por no resto, acho que a Madeira não é em nada um bom exemplo para os Açores...

Ricardo disse...

Manuel, seu malandro, já a vários anos a nos mentir e aldrabar com as fotos dos navios sempre a descarregar mais do que dois passageiros, afinal era tudo photoshop seu! Descobrimos a verdade, era tudo as suas técnicas de multiplicação de pessoas só para dizer que o seu porto recebia mais do que dois passageiros por navio...Já agora e as viaturas quantas serão?

LOL sem palavras, abraço Amigo.

Ricardo

Manuel disse...

Caro Visitante, concordo consigo, foi um bom trabalho da jornalista Marta Silva, e a RTPAçores sempre teve e mesmo limitada irá continuar a ter qualidade.

Obviamente que me estou a referir ao serviço ferry, no blog existem vários post sobre isso, incrível que ninguem fale na vertente de carga e passageiros, aliás como digo não se trata de invenção nenhuma apenas copiar e adaptar aos açores algo que se faz em todo o lado.
Cumprimentos,
Manuel

Amigo Ricardo, acredita que não foi photoshop, sabes que a Atlânticoline fez por exemplo em 2010 110 escalas na Graciosa com apenas um cancelamento, e dizem este senhores que a Graciosa era um problema, p... em 2010, 2011 houve 2 ou 3 cancelamentos em 185 viagens num espaço de poucos meses.
Porque tem esta gente medo dos ferrys? Ou será outros que teem medo deles?
Um Abraço,
Manuel

Ildefonso Ávila disse...

Concordo e apoio todos os programas como foi o caso desse. Mas meus amigos convidar pessoas e não vou falar em nomes porque viram a reportagem como eu vi, para comentar assuntos que não estão habilitados a fazer como é o caso dos 2 passageiros em setembro. Enfim parece que as pessoas já esqueceram que levamos anos e muitos anos sem transporte marítimos de passageiros. Agora que temos, só sabemos falar mal. Concordo consigo caro Manuel deve haver muitos interesses para não se fazer transporte em ferrys de carga rodada, mas infelizmente temos o pais que temos, onde os interesses são mais importantes que a razão.
E mais uma coisa, os Açores são 9 ilhas separadas pelo mar, por isso faz todo o sentido termos transportes marítimos de passageiros, ou não faz?.

Manuel disse...

Meu Caro Ildefonso, obrigado pelo comentário.
A sua frase "Açores são 9 ilhas separadas pelo mar, por isso faz todo o sentido termos transportes marítimos de passageiros, ou não faz?." diz tudo, se não podemos ter pontes nem túneis, resta-nos os ferrys para serem essa ponte ou túnel, é quanto a mim essencial aproximar as ilhas quer na vertente social quer económica.
Olhar para os ferrys e apenas pensar nos passageiros e carrinhos, é uma falta de visão, sendo assim para que diabo vamos ter as rampas? Para usar 4 meses por ano e só para smarts e triciclos?
Abraço,
Manuel

Victor disse...

Anónimo: Está errado. A Madeira é um bom exemplo em tudo para os Açores. E pode seguir pelos transportes aéreos. (nem vou falar dos cruzeiros). Vai ser preocupante quando a torneira da UE fechar, aí quero ver como é que o Governo do PS vai andar nos Açores. É que na Madeira essa torneira já fechou há muito tempo por terem um PIB per capita elevado e por isso não serem região objectivo 1. O mais triste é que essa batata quente vai ficar para o PSD Açores.

Fragoso disse...

A senhora no video falou numa coisa interessante. Há gente nos Açores que ainda faz um frete e não tá pa servir o turista. Já vi anónimos (não necessariamente o do 1º comentário mas cheira-me que sim) a comentar em outros blogs que "não tão pa servir", e que os madeirenses são bons nisso a "servir" (em jeito irónico). Recomendo a essa gente que vá a Espanha e pergunte qual é a principal industria do país. ("Industria"). Acorde para a realidade e vá a Canárias ou às Baleares. Isto é assim, quem não quer servir (turismo) em ilhas deste tamanho vai acabar na miséria. E já era tempo de muita gente mudar de mentalidade. É que queijos e leite há de outros sitios e mais perto dos grandes mercados. Estamos num mercado aberto. As pessoas têm de aprender que turismo é uma indústria. É uma coisa séria. Quem tem manias não vai durar muito tempo num mercado aberto. E o turismo justifica depois tudo, mais ligações aereas, mais ligações maritimas, mais comércio, mais tudo que beneficia a população presente e residente. É como ter mais uns bons milhares de habitantes mas com tendência a gastar mais e a consumir mais pois não tem a vida organizada no local de visita para gastar o menos possivel como acontece com um habitante local.

Manuel disse...

Caros amigos obrigado pelos comentários, faço minha as vossas palavras, os ferrys são ferramentas polivalêntes que no meu entender devem estar ao serviço do turismo, da agricultura (rapidez e facilidade do comercio inter ilhas), nos serviços (que poderiam ter um maior mercado), no combate ao desertificação aumentando a mobilidade etc. como bem diz é assim em outros locais, mas cá temos que ser diferentes.
Abraço,
Manuel

Anónimo disse...

Boas, amigo Manuel e restantes leitores, como Açoriano que sou e com muito orgulho, não deixo de dar os parabéns à Madeira pois eles tem um serviço de transporte marítimo de passageiros e carga rolada que é um exemplo a seguir, pois conheço bem. Quanto aos Açores, também temos condições para ter 1 Ferry todo o Ano e de Verão ter 2. Os Açores tem para oferecer tanto aos Açorianos como aos Turistas a nível histórico, cultural, gastronómico, religioso, paisagístico, rural e ambiental mais do que a madeira, pois somos 9 realidades distintas, a Madeira são 2. Sendo assim, quem está neste ramo turístico e marítimo não sabe ainda como tirar partido desta riqueza que temos para oferecer. É pena.
Cumprimentos, Jorge Azevedo.

Anónimo disse...

Em resposta ao senhor Victor, continuo-o a afirmar que tirando matéria de transportes a Madeira é em nada um bom exemplo para nós. E mesmo é só com a ligações com o exterior, porque a nível de rede viária já temos mais kms de vias rápidas e vias expressos que a Madeira.

1º São regiões diferentes.. Vai-me explicar se governar 800 km2 divididos por 2 parcelas separadas por apenas 50 Kms é a mesma coisa que governar 2000 Km2 divididos por 9 parcelas afastadas umas das outras. Queria ver se o Alberto João conseguiria fazer melhor que César. Dúvido....

2º Os Açores deixaram desde 2010 de ser região objectivo 1 e tornou-se a 4ª região económica de Portugal à frente, por exemplo do Norte, Centro e Alentejo. A "torneira" como chama, fechou na Madeira devido à inflação do PIB provocada pelo CINM, prejudicando a ida de fundos para a região.

3º Diz que a Madeira é exemplo para os Açores em tudo, mas resulta que temos o melhor parque escolar do país, um dos melhores hospitais a nível nacional (Terceira), um parque automóvel mais novo, etc, etc e podia continuar aqui o resto da noite, mas não quero estragar o tema de conversa aqui do post.

Por isso cuidado com a utilização da palavra "tudo".

Manuel disse...

Amigo Jorge Azevedo, obrigado pelo comentário, já agora tem recebido os meus mails? Tenho algo que gostava de saber a sua opinião.

Como sabe eu também partilho da sua opinião sobre o modelo praticado na Madeira, estou convicto que esse modelo aplicado aos Açores poderia potenciar a nossa economia.
Não vejo mal algum em aprendermos com outros modelos, o que não compreendo é a teimosia a continuar a apostar num modelo que tem grandes deficiências, não mudar o que não funciona bem é que é uma estupidez.
Um Abraço
Manuel

Caro Visitante, obrigado pelo comentário, penso que o Amigo Victor estava a falar de estradas marítimas e não de asfalto, nós aprendemos sempre mesmos com os erros, como diria um conhecido é mais fácil e mais barato aprender com os erros dos outros.
Cumprimentos
Manuel

Victor disse...

Parte I
Caro anónimo: Parece-me que será mais um que confunde SCUTS com vias rápidas e vias Expresso. 1º devia consultar melhor os seus dados pois nem os dados que vê em sites sobre o nº de kms de vias rápidas na Madeira que estão desactualizados o devem ter esclarecido, e mesmo os que existiem desactualizados, não contavam com a 1ª via rápida delas todas da qual ainda existe um troço desde o Pilar até o nó de São Martinho. O que vc tem desde uma rotunda no Nordeste até à Ribeira grande por exemplo é uma via expresso. Acresce que as vias expresso da Madeira que actualmente nem eu sei em quantos kms já vão (E não vai encontrar mapa nenhum na net que lhe mostre, só mesmo estando cá), apesar de o seu processo de construção estar em muitas zonas suspenso do género fizeram-se os túneis e por falta de dinheiro, faltou acabar todas as pontes, não quer dizer que não venham a ser concluidas. O que vc chama de vias rápidas nos Açores, nem um túnel têm, nem uma ponte, Apenas viadutos. As vias expresso nem túneis têm. Assim também eu mando "espalhar" alcatrão sobre montes. Sai barato e rápido. Se conhecesse a realidade sabia que só as pontes/duplas pontes e túneis/duplo-túneis dessas vias na Madeira dariam para construir essas vias-rápidas nos Açores umas 20 vezes! Não é preciso ser engenheiro para saber porquê. Pergunto-lhe também porque é que em 1991 eu já andava em vias-rápidas na Madeira quando vc ainda andava a alcatroar estradas regionais que estavam em terra e eram a única opção em muitas zonas que nada têm a ver com zonas florestais.
Depois o problema é a qualidade dessas mesmas vias-rápidas e vias-expresso. Nem vou falar dos casos em que vc tem como separador de vias uns bloscos de cimento (faltou dinheiro para os rails? Requer menos largura de alcatrão e assim poupa-se? Pois é...)
O sr. sabe que a sua região vive de subsidios em quase tudo e isso num mercado aberto não tem futuro (e persiste apenas porque o contribuinte português e a UE assim o permitem), mas quer continuar a enganar-se a si própio, faça o favor. Ao falar do parque automóvel também me fez rir, pois aconselho-o a ir consultar à DGV ou ao INE quantos automóveis a Madeira tem por habitante, e já agora quantos automóveis a Madeira tem no seu todo. A diferença para os Açores é abissal, como se isso me interessasse realmente, mas já que é para falar de "mariquices"...
Em relação ao CINM nem vou comentar. Mais um que não sabe fazer contas, mas penso que já em outros blogs onde vc foi com a mesma conversa (e foi "gozado" por isso), já lhe explicaram que o CINM representa os tais 11% que é a Praça Offshore e mesmo essa não tem nada que ser descontada pois então teria eu de mexer no PIB do R.U. (Ilhas com offshores é que não lhes faltam, Bermudas, Ilha de Man, Cayman etc etc), no da Espanha (Zona Franca das Canárias etc), do Luxemburgo, e por aí fora. Já chega o seu César a querer tirar inclusive o PIB da Zona Industrial do Caniçal (que faz parte da Zona Franca) e onde estão grandes empresas regionais a laborar e da Madeira jamais irão sair. Só falta depois querer mexer no registo de navios - MAR). Meu caro, volto à palavra "tudo", por mais que vc goste do César, e para informa-lo que das poucas coisas que "ele fez" de jeito nos últimos anos, nomeadamente "as Portas do Mar", fui EU que sugeri o projecto e inclusive escolhi o arquitecto (não me culpe pelo problema da manga).
Não, não é para rir, é para ir reflectindo sobre com quem é que estará a falar, e sim, sou madeirense, mas não fique agora a matutar sobre como é que uma coisa destas é possivel, senão ainda vai imaginar coisas para lá do que elas são.

Victor disse...

Parte II
E meu caro anónimo, um dia se alguém investir alguma coisa aí (na sua ilha e não só) a mais do que esperado (privado ou público) agradeça-me também a MIM pois apesar de tudo a MIM interessa-me ainda e 1ª as ilhas portuguesas no seu todo, e olhe que na Madeira nem sempre é bem assim. Há muita gente que se interessa mais pelas Canárias, tem casa lá, familia lá e há gerações que suas familias se identificam mais com eles e tão-se bem marimbando para a sua região. É óbvio que agora não lhe vou explicar quem sou ou "o que sou" mas é que realmente a paciência que já tinham tido consigo no blog do Farinha já foi uma benesse mas as benesses nem sempre duram. Comigo duram mais porque tenho esta estranha capacidade de compreender que o bairrismo e sentimento do ilhéu vale para todas as ilhas e é uma coisa que eu aprecio e até cultivo, mas lembre-se, os pés sempre assentes no chão. Voe menos! Se algum dia precisar de ajuda, não hesite em "chamar-me ou passar por cá". Com pessoas das ilhas eu tenho sempre uma atenção especial. São os chamados "companheiros de sofrimento".

Fragoso disse...

Anónimo: Não concordo com a sua ideia dos Açores serem 9 realidades distintas.. A mim pareceu-me exactamente "mais do mesmo", mas sou suspeito. Realidades distintas a todos os niveis (não só paisagistico) vejo sim da Madeira para o Porto Santo ou de Lanzarote/Fuerteventura para Tenerife/La Palma. Digamos que o que a Madeira não tem, o Porto Santo tem. Queria já agora ver o César governar uma região que tem uma ilha como a Madeira com a orografia que tem, com os custos que isso trás e com a população que tem (E falo de população Presente e não a Residente, pois a Presente é a que realmente vive lá/está lá e interessa). Já agora diz que quem está no ramo turistico nos Açores não sabe tirar partido do que têm nos Açores. Bom talvez tenha então umas cunhas lá em cima com o São Pedro pois o 1º problema é logo o clima. Boa sorte a tentar resolve-lo. Isso só mesmo Deus. É Deus?

Manuel disse...

Amigo Victor, sobre estradas e afins não posso comentar, mas posso reafirmar que gosto muito de o ter por cá e os meus amigos madeirenses.
Um Abraço
Manuel

Manuel disse...

Caro Fragoso, o S. Pedro anda de trombas neste últimos dias, é melhor não o chatear muito pois quero sol para tirar uns bonecos aos navios hehhe.
Cumprimentos,
Manuel

Victor disse...

Manuel, desculpe a saída de tópico ali atrás mas é que às vezes há gente que assina quase sempre como "anónimo" quando quer levar o assunto para o lado de "Madeira vs AÇORES" e não lhes faz confusão nenhuma falar de outras coisas que nada têm a ver com o mundo maritimo e ainda acrescentam alguma motivação politica a isso. Pois se é para ir por ali também vou mas vamos perder tempo precioso. Vi acontecer o mesmo no blog do Farinha em certo post já para não falar na edição online do DN Madeira (aí sim mais grave e de forma continuada).
Mas indo ao assunto do post, achei interessante o programa, mais uma achega para eu ir sabendo o que é vai ser preciso fazer para melhorar a questão dos ferrys ou ligações maritimas de passageiros nos Açores em geral. Quanto mais gente se ouvir e mais opiniões se recolher melhor. Manter um projecto viável, servir toda a gente o melhor possivel combatendo a sazonalidade é e será sempre realmente um bicho de 7 cabeças. Se tivéssemos petróleo ou fossemos ricos, metade do problema estaria resolvido. E digo "metade" porque mesmo quem é rico tem obrigação de manter uma certa eficiência e viabilidade pois nunca se sabe o dia de amanhã e quem mais tem depois mais tarde também mais contas terá de prestar. (Esta última parte "está" na Biblia caso alguém já tenha tido oportunidade de ler! hehehe)

Manuel disse...

Amigo Victor, não tem que pedir desculpas este blog também é seu, gosto que participe, quanto a levar isto para Madeira vs Açores, não irá acontecer, farei o mesmo que fiz ao tema do Atlântida.
Amigo Victor a questão de sanzonalidade, está na quantidade de operadores nos açores, já reparou e fez as contas quantos são e quantos navios são? Teria que haver uma reorganização muito grande e não existe coragem para o fazer de partido nenhum, porque os partidos antes de representar as pessoas representam certos interesses que estão lá instalados, esse é o problema do País também.
Um Abraço,
Manuel

Victor disse...

Manuel, no post acima sobre o "Baía dos Anjos", sem ter lido o seu último comment aqui eu já estava a dar uma ideia sobre como resolver isso. Mas uma coisa é dar uma ideia, mas daí até conseguir que seja aceite ou po-la em prática...

DavidB disse...

Um Agradecimento ao Sr Vitor e ao Sr Fragoso pelos esclarecimentos sobre algumas não verdades sobre a Madeira ...

Eu como Madeirense penso que não deveria haver guerras entre nos e vosses os Açorianos pelo contrario deveriamos tentar relacionarmos mais para podermos crescermos mais ....


Hoje li que as negociações para retoma das ligações em ferrys entre a Madeira e o continente continuam ( o que é um bom sinal) , claro que este tipo de noticias não aparece nos bloges Madeirenses dedicados a Ferrys , não lhes interessam , não é do querido Armas que se fala ...

E para acabar "Viva o Povo Del Hierro" (Canarias)
o Sr Manuel sabe porque ...

Manuel disse...

Amigo DavidB, obrigado pelo comentário faço minhas as suas palavras.
Quanto Hierro não sei mas será por aquela história da Armas?
Abraço,
Manuel

DavidB disse...

claro

Anónimo disse...

Boas, eu sou se São Jorge, e na minha opinião os novos barcos que vão ser construidos para os Açores são um "aborto", porque hoje em dia quem quer levar 1hora de viagem S.Jorge pico por exemplo, se era para terem investido tivessem investido em barcos rápidos, como o hellenic wind... Queria tambem falar de outro assunto, se São jorge tivesse um cais em condições no lado norte da ilha, facilitaria muito a ligação entre Terceira, Graciosa e São jorge... Devia ser um assunto explorado acho eu...
Cumprimentos, e parabens por este excelente blog.
Tiago

Manuel disse...

Amigo DavidB, obrigado pela visita, tenho que ver como resolveram o problema da Armas em El Hierro.
Abraço
Manuel

Caro Tiago, obrigado, como vizinho convido-te a participares mais vezes, sabes bem que por vezes as marítimo turísticas usam a costa de S. Jorge virada para a Graciosa para efectuar as ligações, é um assunto interessante, vou colocar um horário assente na minha ideia sobre os ferrys, convido a ti e a todos os que quiserem comentar.
Abraço,
Manuel

Manuel disse...

"Mas isto é um blog sobre os Açores ou é sobre a Madeira ? Nem vou comentar alguns disparates que por aqui se disserem sobre os Açores e os Açorianos de alguns Madeirenses... Este tipo de comentário .... e devia ser retirado deste blog"
Comentário parcial de FranciscoM


Caro FranciscoM, publico acima apenas a parte do comentário que me diz respeito, sobre o tema Açores VS Madeira, está encerrado, não publico mais nenhuma "picadela", seja de quem for leia o meu anterior comentário "Amigo Victor, não tem que pedir desculpas este blog também é seu, gosto que participe, quanto a levar isto para Madeira vs Açores, não irá acontecer, farei o mesmo que fiz ao tema do Atlântida. "

Quanto ao blog, se é dos Açores ou Madeira, e digo-lhe que este é meu sou eu que o pago (renda mensal, pois já atingi o limite de 1 gb), este pertence também a todos os que participam sejam das Canárias, da Madeira, Açores, Continente, Brasil, Grécia, Canadá, EUA, Inglaterra etc, não faço divisões, como participa obviamente também é seu, mas não posso alimentar esta "guerra", quero fazer amigos não inimigos.

Cumprimentos
Manuel

Café Puro disse...

Em relação à costa Norte de S. Jorge, julgo não ser exequível qualquer tentativa de aí ter um porto com dimensão para ligação previligiada à Terceira ou Graciosa.
A geografia das encostas a norte e as características climático/marítimas das mesmas, bem como as questões sísmicas, encarregam-se de inviabilizar eventuais pretenções.
Não será por acaso que ao longo dos séculos os aglomerados populacionais da ilha se estabeleceram a Sul, e os contactos marítimos previligiados se estabeleceram com as outras ilhas do triângulo.

Manuel disse...

Caro Café Puro, obrigado pela participação. Tem razão mas estava a pensar concretamente nas marítimo turísticas que por exemplo usam a fajã do Ouvidor para efectuar ligações com s. Jorge, é preciso pensar também nesse tipo versátil de ligação.
Abraço,
Manuel

FranciscoM disse...

Caro Manel, faz muito bem em não alimentar guerras. Era a isso que eu me referia em relação ao blog. Não faz nenhum sentido andar-mos aqui a discutir se a região A é melhor que a B ou o contrário.

Manuel disse...

Caro FranciscoM, obrigado pela compreensão.
Cumprimentos volte sempre
Manuel

Anónimo disse...

Boas.. Alguem me sabe dizer qual foi o barco da empresa maersk que passou pelos açores na quinta feira, eu viu no lado sul da ilha de são jorge... Agradecia a informação
cumps Tiago

Manuel disse...

Boas Tiago, não sei, pode ser que alguém nos ajude.
Obrigado pela visita cumprimentos,
Manuel

FranciscoM disse...

Foi o Maersk Utah http://www.sailwx.info/shiptrack/shipposition.phtml?call=WKAB