Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 2 de maio de 2013

A Atlânticoline, inicou hoje a operação ferry inter-ilhas, voltando a contar com o N/F "Express Santorini" e com o HSC "Hellenic Wind"


A Atlânticoline deu hoje inicio  à operação ferry de 2013, com a viagem temática dedicada ás Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres que decorrerá na ilha de S. Miguel no próximo fim de semana.
Esta operação decorrerá entre o dia de hoje e terá o seu final programado para 29 de Setembro. Este ano voltamos a contar com os ferrys, "Express Santorini", e  HSC "Hellenic Wind"().
Sendo a operação algo semelhante à anterior, nomeadamente em termos de tarifário, este ano o maior destaque irá para a utilização das recém construídas  rampas ro-ro, o que permitirá para já o embarque de viaturas até os 3500 kgs, abrindo desta forma a possibilidade de haver uma mais fácil troca comercial inter-ilhas.
Faço votos que este seja um ano em que acima de tudo o cidadão açoriano ganhe cada vez mais a consciência das imensas potencialidades que um serviço ro-pax, pode e quanto a  mim deve oferecer à economia açoriana.

A 12 de Setembro de 1973, nos Chantiers Dubigeon, ille de Nantes, França, o N/F "Chartres" ( casco nº 137) desce a rampa e entra na água pela primeira vez, o "Chartres" foi encomendado ao estaleiro de Nantes pela SNCF ( Société Nationale dês Chemins de fer Francais), nasce assim um ferry com a acrescida capacidade de transportar vagões dos caminhos de ferro na ligação entre as margens do Canal da Mancha, as suas origens são uma das razões para a sua robustez, ainda hoje o navio possui os carris dos caminhos de ferro no seu car-deck. De forma simplista este (e outros) foi um dos antecessores do Euro túnel.

Hoje o "Chartres" chama-se "Express Santorini"( desde 1993), pertence como sabemos ao Armador grego Hellenic Seaways, estando nos últimos anos durante o Verão a operar nos Açores ao serviço da Atlânticoline. Este ferry têm já uma longa história ( foi entregue à SNCF a 9-1-1974) ,  efectuando desde as ligações entre as margens do Canal da mancha, até ao transporte de tropas para a primeira guerra do Iraque, evacuações recentes na Líbia, e claro o serviço na Grécia e Açores.
Se o "Express Santorini" se mantém em actividade infelizmente os Estaleiros que o viram nascer fecharam em 1987, o primeiro estaleiro naval da família Dubigeon foi criado em 1760 por Julien Dubigeon, carpinteiro de profissão. No final do sec. XVIII, Nantes torna-se o primeiro porto de comercio francês, e isso contribuiu para o desenvolvimento da vila e para a prosperidade dos armadores de Nantes, com o consequente desenvolvimento do transporte marítimo o estaleiro Dubigeon também foi crescendo, tendo transformado-se num nome de destaque na construção naval. Para preservar esse orgulhoso passado histórico, a edilidade recuperou a zona dos Chantiers Dubigeon, criou-se a Maison des hommes et des Thécniques ( uma espécie de museu), e foi também restaurada e adquirida pela edilidade a grua TITAN.

O HSC " Hellenic Wind" pertence à família dos MDV1200 ( conhecidos como Superseacat ) são uma série de hight speed crafts (HSC), construídos pelos estaleiros Fincantieri, Itália, para a Ocean Bridge Investments e Sea Containers, Lda. entre 1996 e 1999, tendo sido construídos 6 destes navios. Os primeiros 2 navios do tipo MDV1200, foram o HSC Pegasus One e HSC Pegasus Two, construídos para a Ocean Bridge Investmnets em 1996 e 1997 respectivamente, mais 4 destes navios foram construídos para a Sea Containers, Lda. entre 1997 e 1999. A Sea Containers Lda originalmente tinha encomendado um navio Auto Express 78 á Austal Ships, mas o primeiro da série falhou a velocidade requerida e foi recusado, tendo então a Sea Containers, Lda. se virado para os Estaleiros Fincantieri e encomendado 2 destes navios MDV1200, e depois mais dois. Características dos Superseacat: Comprimento 100,3 metros, boca 17,1 metros,calado 2,6 metros, 689 passageiros, 120 viaturas e 4 autocarros, velocidade de serviço 35 nós e máxima 40 nós, motores 4x Ruston V 20 RK270 diesel, com 6875 KW de potência, fornecida a 4 jactos de água Kamewa S112, impulsor de proa Brunvoll FU-45 LTC 1225-330 KW. De salientar que o desenho exterior deste tipo de navio foi concebido pelos famosos escritórios de design Pininfarina, Itália que conta com clientes famosos, como a Ferrari, Maserati, Volvo, e projectos de arquitectura como por exemplo o estádio da Juventus, entre outros .



6 comentários:

Elvio Drumond Leão disse...

Boas Manuel
O Helenic Wind vai conseguir operar com a rampa de popa?
abraço
Elvio

Anónimo disse...

Só em portugal e mais concretamente nos Açores é que se brinca aos navios de passageiros . Navios velhos , caros , poluentes , que já nem deviam navegar na comunidade europeia devido à sua idade. Para andarem todo o Verão a passear os meninos do InterJovem e para o pessoal de São Miguel ir passear para Santa Maria

Ildefonso Ávila disse...

Boa tarde
Fico a aguardar pelas fotos da primeira viagem do santorini á graciosa no dia hoje.
Cumprimentos,
Ildefonso Ávila

Manuel disse...

Boas amigo Elvio, sim pelo que sei!
Cumprimentos
Manuel

Boas amigo Ildefonso, já publiquei juntamente com um vídeo!
Cumprimentos
Manuel

Caro visitante, cada um é livre de ter a sua opinião!
Cumprimentos
Manuel


Anónimo disse...

"Caro visitante, cada um é livre de ter a sua opinião!" Desde que pague os impostos prós governos regionais esbanjarem...

Xico

Manuel disse...

Só os Governos regionais é que esbanjaram?? Antes fosse, antes fosse!
Eu também pago impostos!
Cumprimentos
Manuel