Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

terça-feira, 21 de maio de 2013

Navio Con/Ro "Grande Sennegal",

Navio Con/Ro "Grande Sennegal", do armador Grimaldi Lines, atracado em Lisboa. Este navio tem a particularidade de oferecer 3 valências, a "Con" (contentores), a Ro (Ro-ro) e a Pax (passageiros), apresentando desta forma um conceito interessante.
Tenho um amigo que idealiza um conceito semelhante para um navio Con/Ro/Pax, destinado à operação inter-ilhas, obviamente com as devidas dimensões/capacidades.
Convido os nossos estimados Visitantes a comentarem este conceito!
Nome: Grande Sennegal
IMO: 9377470
Ind. chamada: IECU
MMSI: 247285500
Bandeira: Itália
Operador: Grimaldi Lines
Tipo: Con/Ro
T.A.B./T.A.L.: 47218 tons/14165 tons
D.W.T.: 26653 tons
Ano de construção: 2010
Estaleiro constructor: Uljanik Brodogratiliste, Croácia.
Comprimento: 210,92 mts
Boca: 32,26 mts
Calado: 9,75 mts
Capacidade teus: 800; Carros:  2000; Passageiros: 12; Tripulação:34; Metros lineares: 2000
Gruas: 2 x 40 tons.
(©) Copyright foto: Pedro Almeida, Lisboa.

12 comentários:

Anónimo disse...

Qual é o Armador Português que consegue suportar uma operação com um Navio tipo o Grande Sennegal, mesmo com outras dimensões, para os Açores?


Penso que a Ideologia Teórica do um navio RO-RO é perfeita. Por outro lado, parece que descabida para a realidade Açoreana.

Pensar em operações RO-RO/CONT/PAX nos Açores, significa que o Governo Regional tem de subsidiar em grande parte a Economia Marítima Açoreana e este modelo ja está saturado.


As atenções Açorianas deviam estar focadas em reduzir a insularidade, com apostas na profissionalização da Logística que se pratica nos Açores…. Ou seja, foquem-se em todas as Operações Logísticas antes da chegada do Navio.


Camiões com sidloaders, contentores a servir de armazens, encomendas á ultima da Hora, navios com gruas... Contentores a chegar atrasados ao cais, contentores a serem é utilizados para IMP/EXP na mesma escala é uma realidade que deve ser eliminada.


Criem uma plataforma Logística!!!


Nos Açores existe o melhor peixe, o melhor leite, a melhor carne, madeira de qualidade, água, beterraba, alcool... as melhores pessoas que alguma vez conheci!!! Juntem tudo isso… criem massa critica… criem produto! Depois haverá Armadores competitivos a oferecer serviços competitivos.



Há navios, porque há Produto para ser transportado… não haverá navios sem produto!!!

Manuel disse...

Caro Visitante, obrigado pela visita e comentário.

O con/ro/pax, seria apenas para ligações inter-ilhas e não na ligação Continente-Açores.

Gostei da sua referencia à logística sem duvida essencial, mas não gosto de plataformas artificiais construídas artificialmente à custa das ilhas mais pequenas, contudo não sei se estamos a falar da mesma plataforma logística.

Quanto a contentores a servir de armazéns... arranja-se alguns, dá cá um jeito a alguns....ficamos por aqui!


Cumprimentos e volte sempre
Manuel

Rui Carvalho disse...

Caro MMB e anónimo

De facto temos todas essas vantagens competitivas, é um facto.
Temos excelentes técnicos, empresários e gente boa.
No entanto, a nossa massa política é meramente medíocre.
Falta-lhe visão estratégica e sobra-lhe táctica politiqueira.
Mais não digo.

Abraço

ErrE


Manuel disse...

Amigo ErrE,

Não queres comentar o conceito? Olha que o fiz a pensar em ti!

Saludos
Manuel

João Bettencourt Mendonça disse...

1. Definir de uma vez por todas um modelo de transporte inter-ilhas.

2. Equipar os portos de acordo.

3. Adquirir ou concessionar aos privados os meios de transporte adequados.

Enquanto não respeitarem estas 3 premissas, vamos continuar nos Açores a brincar aos barcos, com muita gente a ganhar muito dinheiro pela calada, os contribuintes a pagá-lo e os utilizadores a pagar os serviços caríssimos e de má qualidade.

Mas a(as) plataforma(s) logística(s), bem como o transporte anual de passageiros são duas variáveis que serão sempre essenciais.

Manuel disse...

Amigo João Mendonça, como diria o nosso treinador, "Mais importante que o sucesso é o processo"!
Pois bem é precisamente aquilo que referes precisamos de definir o processo de transporte marítimo inter-ilhas e depois então esperar o sucesso desse mesmo modelo.

Um Abraço
Manolo
FLG

Victor Insular disse...

Manuel, em relação ao tipo de navio para as funções referidas já observámos em outros posts que realmente era um tipo de navio que podia adaptar-se aos Açores pois se em outras regiões como nas Caraíbas usam um conceito semelhante, porque não aí?

Em relação a logistica um bom passo em frente seria algo semelhante ao que o grupo Sousa inaugurou em Abril do ano passado na Madeira: "Logislink - Terminal de Logística Lda."

https://www.facebook.com/logisticamoderna/posts/353276438055527

Manuel disse...

Amigo Victor Insular, desculpe a minha ignorância, mas não percebi bem esta logística!
Abraço
Manuel

Victor Insular disse...

Manuel, como diz o nome é um Terminal de Logistica ou melhor um Centro de Logistica com uma área total superior a 15.000 m2 e área coberta de 6.000 m2, sendo desses, 2.000 m2 de área refrigerada. No link de facebook do meu comentário anterior explica +- as caracteristicas e vejo aqui algumas fotos:
http://www.coberaco.com/portefolio.php?pagina=2

Segundo a Cargonews, este terminal de logística portuária é um centro de operações logísticas para receção, armazenamento e expedição de produtos “fast moving” de elevada rotação e também produtos de baixo consumo.



Rui disse...

De uma forma geral, a logística é por definição a gestão eficiente do fluxo de bens e serviços desde origem até ao consumo final... Ao longo deste percurso são encontradas inúmeras ferramentas que irão promover a redução de custos e a maximização de lucros!

As plataformas logísticas são um exemplo claro das referidas ferramentas. Permitem práticas como o armazenamento, o cross docking, o piking, optimizações de transportes entre outras que irão representar as reduções de custos e valor acrescentado para o cliente.

Plataformas logísticas nos Açores, irá incentivar o Transporte Maritimo inter-ilhas e por sua vez a criação de 1 a 2 Polo Marítimos nas ligações semanais Açores/Continente.

Manuel disse...

Amigo vou ver bem isso mas a palavra plataforma deixa-me nervoso, lembro-me logo de umas ideias que existe por cá para tirar os navios das ilhas pequenas.
Abraço
Manuel

Manuel disse...

Amigo Rui, mas alguém acredita que a plataforma logística que se sonha para a Praia da Vitória será para o bem das ilhas mais pequenas?

Descarregar contentores na PVT, desconsolidar, armazenar, consolidar, transporte, e embarque novamente para quê?
Querem fazer acreditar que isto é tudo feito de borla, obviamente que não é nem será! O "tio", Luís Miguel Sousa na Madeira anda a oferecer serviços? Obviamente que não.
Um dia li no jornal que nessa plataforma na PVT já teria nas prateleiras os azuleijos que eu queria !!!! Então era só pedir à PVT!para rir

A ideia da plataforma é aumentar o movimento de navios à custa das ilhas pequenas, como não podem receber mais navios ficam com todos os que vem do continente! Resumindo uma portagem

A ideia podia ser razoalvel se na base existi-se um sistema de distribuição de contentores inter-ilhas, mas as ideias são outras!

A plataforma até já existe, a sua distribuição é feita pelos TMG, vantagens???? o engraçado é que um m3 é mais caro que vindo de Lisboa, entre outras coisas.

Plataformas? Antes a Morte que tal sorte!

Um Abraço,
Manuel