Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Navio de cruzeiros, "BOUDICCA", em Ponta Delgada






© Copyright fotos: António Simas.
Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston.
Navio de cruzeiros BOUDICCA na sua escala hoje em Ponta Delgada.
Nome: BOUDICCA,
IMO: 7218395.
Indicativo: C6VA3.
MMSI: 309964000.
Bandeira: Bahamas.
Porto de Registo: Nassau.
Matricula: 8001101.
Donos: Fred Olsen & Co.- Olso, Noruega.
Operadores: Fred Olsen Cruise Lines, Ltd.- Ipswich, Inglaterra, Reino Unido.
Class: Det Norske Veritas.
Ano de Construcao: 1973.
Estaleiro: Oy Wartsila Ab- Helsinquia, Finlândia. Casco#396.
Comprimento Fora a Fora: 206,96 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 169,73 metros.
Boca Máxima: 25,20 metros.
Pontal: 13,67 metros.
Calado: 7,55 metros.
Altura: 46,60 metros.
Arqueação Bruta: 28,551 toneladas.
Arqueação Liquida: 11,714 toneladas.
Porte Bruto: 5,956 toneladas.
Numero de Conves: 5.
Numero de Cabines: 437.
Numero de Camas: 900.
Numero de Tripulantes: 320.
Potencia Total de Maquinas Principais: 14,000 kw (19,036 hp), 750,00 rpm. 2 helices CP.
Velocidade de Serviço: 18,50 nos.
Potencia de Geradores Auxiliares: 6,740 kw.
Numero de Thrusters: 2.
Nomes Anteriores: Royal Viking Sky (1973-1991), Sunward (1991-1992), Birka Queen (1992), Sunward (1992-1993), Golden Princess (1993-1996), Superstar Capricorn (1996-1998), Hyundai Kumgang (1998-2001), Superstar Capricorn (2001-2004), e Grand Latino (2004-2005).

2 comentários:

Anónimo disse...

No porto comercial ainda encontra-se o navio de carga turco "Hacinin Ahmet", atracado em Ponta Delgada desde Novembro de 2012 e, Segundo ja houvi, abandonado pelo seu armador. Agora o governo regional vai ter de pagar para desmantelar este navio.

Abraco,

Paulo Peixoto

Arrastão disse...

Sobre o "Hacinin Ahmet", no máximo irá a hasta pública? É o que acontece a muitos navios arrestados ou abandonados em Las Palmas. Quem o comprar que o reboque e mande desmantelar se quiser. Outra solução era ser afundado perto da costa para servir de recife artificial mas não creio...