Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sexta-feira, 21 de março de 2014

Investimento no transporte marítimo reforça competitividade e coesão regional


O Presidente do Governo dos Açores afirmou hoje que os diversos investimentos na melhoria do setor do transporte marítimo de passageiros integram-se na estratégia definida de aproveitar o potencial do Mar, de aumentar a competitividade da economia e de reforçar a coesão entre as nove ilhas do arquipélago.          

“Estes três objetivos vêm reforçar a estratégia que o Governo prossegue, não de se substituir a privados, mas sim, como aconteceu com a entrada em funcionamento destes navios e com o transporte de viaturas, de trabalhar com devida articulação e concertação com as entidades privadas que já assumem este serviço”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo, que falava na Madalena do Pico, na bênção e apresentação pública do novo navio “Gilberto Mariano”, salientou que, a nível regional, assiste-se a um processo de transformação do setor do transporte marítimo de passageiros, através das intervenções nas infraestruturas portuárias e de novos navios.

Além do “Mestre Simão” e do “Gilberto Mariano”, apontou os exemplos do novo Terminal de Passageiros da Horta, da construção em curso do novo Terminal da Madalena, da ampliação do cais comercial das Velas e do investimento previsto para o cais comercial de São Roque, que assumem uma lógica integrada em si.

Segundo disse, estes investimentos que estão a ser feitos aos mais diversos níveis, assim como os futuros navios de maior dimensão, integram a estratégia do Governo que visa servir três objetivos perfeitamente definidos.

“Em primeiro lugar, o potencial que o Mar representa para nós, área onde há ainda muito caminho a fazer, aproveitando aquilo pode significar como via de comunicação”, adiantou Vasco Cordeiro.

O segundo objetivo dessa estratégia é o aumento da competitividade da economia, através da melhoria da circulação de pessoas e bens entre as nove ilhas, realçou o Presidente do Governo, ao frisar que este é um objetivo estratégico que o Governo vem prosseguindo com vista à constituição de um mercado interno.

De acordo com Vasco Cordeiro, o terceiro pilar dessa estratégia assenta no reforço da coesão regional, tendo em conta que estes investimentos garantem as condições para que as diversas ilhas se possam sentir mais integradas e como parte do todo que são os Açores.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo salientou, por outro lado, que o “Mestre Simão”, que hoje começou a operar, e o “Gilberto Mariano”, que sábado inicia as ligações, marcam uma nova fase no transporte marítimo de passageiros nesta zona do arquipélago.

“Estes dois navios, que significaram um investimento superior a 18 milhões de euros, estão agora ao serviço de quem é a razão de ser deste tipo de investimento: as Açorianas e os Açorianos”, afirmou.

“Muito foi e tem sido dito a propósito destes novos navios, nuns casos por ignorância, noutros por consciente maledicência, mas hoje aqui estamos a comprovar que, efetivamente, este investimento está ao serviço destas ilhas, dos Açores, e foi planeado e definido para ser um fator acrescido de comodidade e conforto para a mobilidade nesta zona do nosso arquipélago”, frisou Vasco Cordeiro.

Depois de realçar que a escolha do nome para estes navios foi uma homenagem ao Mestre Simão e a Gilberto Mariano, duas figuras históricas do transporte marítimo de passageiros no Triângulo, Vasco Cordeiro anunciou que o novo Terminal de Passageiros da Madalena será batizado com o nome "João Quaresma", outra das figuras que marcou este setor no Grupo Central.
 © Copyright texto: GACS/PC
© Copyright fotos: Miguel Nóia; Gacs/JAR

Sem comentários: