Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quarta-feira, 5 de março de 2014

Quem tem medo dos ferrys? (Parte I/II)


Por estes dias,  lemos alguns artigos que tem como tema o recente concurso lançado pela Atlânticoline, que visa a construção de dois, navios ferry para os Açores. Neste blog desde sempre afirmei acreditar que é fundamental um serviço ferry anual, moderno e contemplando todas as suas potencialidades, ou seja, que este possa incluir a  carga rodada inter-ilhas, sendo desta forma a ferramenta perfeita para criação de um verdadeiro mercado interno nos Açores, algo que não existe.
Para criar um mercado interno, é pois preciso  criar condições para que as trocas comerciais se façam de forma rápida e competitiva, essas condições terão forçosamente que passar pela eficiência dos transportes marítimos, ou não estivéssemos a falar de nove ilhas dispersas. Actualmente, no actual contexto dou um mero exemplo: Enviar uma palete de batatas da Graciosa para o Faial, demora 8 dias!!!
Como não podemos construir uma  ponte entre todas as ilhas,  podemos facilmente construir uma “ponte móvel”, ou seja um ferry, que assegure uma ligação regular e permita que o tal mercado interno surja naturalmente. Isto  não se trata de nenhuma inovação, é sim um mero “copy paste”,  do que acontece noutros arquipélagos.
A criação deste mercado interno, tendo por base os futuros ferrys, tem vários pontos positivos, disso ninguém pode ter dúvidas, mas certamente e apesar disso haverá certos sectores que não os verão com bons olhos,  basta ler alguns artigos para perceber que já se nota algum nervosismo! Porquê? Porque os ferrys, poderão ser vantajosos para a maioria dos açorianos, mas maus para uma minoria!

No ano anterior, tivemos oportunidade de observar uns pequenitos exemplos das vantagens do ferry, aliados à utilização das rampas ro-ro, exemplo: o embarque de um autocarro, de uma grua, de camiões especializados no transporte de animais, de camiões de carga, de exportação de meloas etc. Mas isso é uma chatice não é?
Espero que os nossos políticos (de todas as cores) nos levem no caminho do desenvolvimento e do futuro! Tenham coragem de assumir o Povo dos Açores como sua primeira prioridade! Quem tem medo dos ferrys?
© Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa; Elvio Leão, Porto Santo; Cpt Stefanos Papadopoulos.
Duas imagens referentes ao ferry "Lobo Marinho", da autoria do Amigo Elvio Leão, (Blog o Mar do Porto Santo), com destaque para os camiões e um trailer com contentores!

13 comentários:

Ildefonso Ávila disse...

Excelente crónica. Concordo plenamente. E a questão é mesmo essa quem tem medo dos ferrys ?. Um abraço.

Rui Carvalho disse...

Caro MMCB

Para já, e com este modelo de negócio, o único que tem medo dos Ferry´s é o ORÇAMENTO, tanto o Regional como o da Atlanticoline (que é quase o mesmo).
Devo dizer que o coitado do ORÇAMENTO deve estar apavorado, aterrorizado, e tudo que acaba em "ado" só de pensar nos novos Ferry´s.
Ainda pior será arranjar "quem" queira fazer dois navios por 85 milhões, portanto ainda há alguma esperança.

Abraço

ErrE

Anónimo disse...

Gosto e Concordo. Aliás enviei um texto no mesmo sentido para publicação no Diário Insular e no Jornal do Pico (neste sairá no dia 14)
José Ribeiro Pinto

Elvio Drumond Leão disse...

Amigo Manuel, sem duvida que o ferry é a ponte impossivel de construir. O Porto Santo sem o ferry para literalmente, e sentimos isso na pele sempre que o Lobo Marinho vai para a reparação. Temos assegurado o transporte sem duvida, mas não é a mesma coisa. A regularidade, a velocidade no transporte, e não me refiro á do navio, o serviço de entrega direta, tudo isso são valias que os porta contentores não conseguem oferecer.O ferry é e vai sempre ser a porta principal de uma ilha, e faço votos para que seja implantado no teu arquipélago um serviço eficiente e que sejam ignorados, pelas entidades competentes, todos esses nervosismos que te referes e que a bem deles entravam todo o desenvolvimento.

Abraço de Porto Santo
Elvio

Manuel Bettencourt disse...

Amigos Ildefonso, Rui Carvalho, Eng Ribeiro Pinto e Elvio Leão,

Obrigado pelos comentários!

Eu não sou dono da razão, aliás nem sou uma pessoa com formação na área, admito por isso que possa haver outras opiniões diferentes, aliás uma opção diferente foi aqui apresentada pelo Rui Carvalho. Mas como cidadão preocupa-me que seja quase uma missão impossível enviar algo para determinadas ilhas, isso é absolutamente incrível, e algo tem de mudar a bem do futuro.

Dizem os ferrys não! pois não temos carga nem passageiros! Pois também nunca os teremos se não houver os ferrys, ou a malta faz como Moisés e vai a pé?

Abraço,

Manuel

Anónimo disse...


Ola a todos

venho pedir uma favor ao Governo Regional e a Atlanticoline

Encomendem os dois novos ferry`s ao estaleiro Barreras em Vigo!

Eu trabalhei nos ENVC e graças a recusa dos dois ferrys Atlantida E ANTICICLONE o estaleiro entrou em falencia!

Eu Fui despedido e recebi 85 mil euros de indemnização, e uma semana depois estava a trabalhar no estaleiro barreras em Vigo

Obrigado ao governo regional dos Açores pelo belo presente que me proporcionou!

Agora pelos mesmos motivos venho pedir ao Governo Regional que encomende os novos ferry´s ao astillero Barreras e os recuse para eu poder ser despedido e receber mais uma choruda indemnização!


abraço e saudações desde Viana do castelo!

desculpa a ironia Manuel
mas os 85 mil cairam mesmo bem!

Manuel Bettencourt disse...

Meu caro visitante, (será o meu amigo EN?).

Compreendo o seu estado de alma, nem sei o que dizer, mas olhe que houve muita mais gente a contribuir para a falência dos ENVC!

Aceite um abraço solidário
Manuel




Anónimo disse...

O Meu estado de Alma não podia ser melhor!
Apesar de ter pena pelo fecho daquela empresa, numa altura destas receber o euromilhões dos ENVC foi a melhor coisa que me podia ter acontecido!
paguei a casa ao banco reparei o meu carro velhinho e sobraram ainda uns milhares

Claro que sim Manuel a Administração dos ENVC sempre foi uma bandalheira!

Manuel Bettencourt disse...

Olhe que existe muitas mais empresas com um modelo de gestão semelhante infelizmente!

Mas se entender, por favor diga-me é o meu amigo EN? O seu mail não funciona, só queria saber se estava bem de saúde!

Um Abraço,
Manuel

Anónimo disse...

Não sei a quem se refere

sou seguidor deste seu magnifico blog porque gosto de navios, mas deve ser a 2ª ou 3º vez que escrevo

Abraço e bons ventos ai para essas lindas ilhas!

Manuel Bettencourt disse...

Caro visitante obrigado o blog como tudo na vida tem dias bons e outros menos bons.
O EN era um trabalhador dos envc que aqui comentava e que também trocava impressões por mail não sei o nome dele e o mail deixou de funcionar. Ele teve uns problemas de saúde (coração) por duas vezes depois nunca mais comentou o recebeu mails. Espero que esteja bem.

Por ele e por pessoas como tu é que o Atlântida é tema proibido, não quero involuntariamente ofender ninguém . Saberás melhor do que eu que essa história dá uma novela maior que a Dallas.
Abraço e tudo de bom
Manuel

Anónimo disse...

O caso do Atlântida vai muito além dos Açores ou dos ENVC.

Quase tudo tudo o que se disse e escreveu é areia atirada aos olhos de todos, do povo.
Para criar uma nuvem de poeira.
O Povo é sereno! e não resiste a um boa novela.
A partir de hoje ele esta em oferta publica de venda sem preço base!
Estou curioso para ver quem é que o vai comprar e por que preço!

Abraço!

Manuel Bettencourt disse...

Caro Visitante, também eu estou curioso!

Os meus pensamentos vão mais para a linha de àgua e afins!

Abraço,
Manuel