Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 4 de maio de 2014

Video-Impressionante resgate da Guarda Costeira da Islândia


Impressionante resgate de um tripulante do navio "Skalva", efectuado pela Guarda Costeira da Islândia.
 Pesquisa de dados técnicos: Paulo Peixoto, Boston, EUA.
Nome: BRAVE-M.

Tipo de Navio: Navio de Carga Geral.
IMO: 8414764.
Indicativo: 9LD2564.
MMSI: 667011000.
Bandeira: Serra Leoa.
Porto de Registo: Free Town.
Matricula: SL105264.
Operadores: Individual Shipping Ltd.- Majuro, Ilhas Marshall.
Ano de Construcao: 1985.
Estaleiro: Miho Zosensho K.K.- Shimizu, Japao.
Comprimento Fora a Fora: 113,06 metros.
Boca Maxima: 19,03 metros.
Calado: 8,40 metros.
Arqueacao Bruta: 5,974 toneladas. Arqueacao Liquida: 3,662 toneladas.
Porte Bruto: 9,498 toneladas.
Numero de Tripulantes: 19.
Gruas: 2X 50,00 toneladas.
Potencia de Maquina: 4,413 kw (6,000 hp), 180,00 rpm. 1 helice CP, 180.00 rpm.
Velocidade de Servico: 14,00 nos.
Potencia de Geradores Auxiliares: 1,000 kw.
Nomes Anteriores: Paleisgracht (1985-2004) e Skalva (2004-2013).


5 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Brutal aquele mar!
Saudades de sentir o balanço e ouvir o barulho (ou a falta dele), do hélice fora de água.

Bom salvamento!
Abraço

Manuel Bettencourt disse...

Meu amigo eu não sei o que isso é, mas gostava de experimentar!

O meu sonho era um cruzeiro num porta-contentores pelos maiores portos do planeta!

Abraço,
Manuel

CAP CRÉUS disse...

E é um belo sonho!
Que saudades tenho em chegar aos Açores com o sol a nascer, ou chegar a Lx e ao passar a torre de Belém estar o sol a nascer.
Só de me lembrar dá-me vontade de chorar.
Tantas viagens, daqui até aí.
Lindo!
Abraço

Manuel Bettencourt disse...

Os nossos armadores podiam arranjar uns turistas como nós para render mais uns trocos! A CMA CGM faz isso julgo que uma voltinha até o oriente custa 5000 euros!

Abraço
Manuel

CAP CRÉUS disse...

AHAH!
Pois podiam!
Ia (ainda) mais feliz de navio para os Açores do que de avião.