Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Ampliação do Cais e nova Gare das Velas integra-se na estratégia de recuperar importância do Mar, afirma Vasco Cordeiro

 © Texto e fotos: GACS

 
O Presidente do Governo afirmou ontem que a obra de ampliação do cais comercial do Porto das Velas e de construção da nova Gare de Passageiros, um investimento de cerca de 16,5 milhões de euros, integra-se na estratégia global de recuperar a importância do Mar. 
“Quando falamos do desenvolvimento de uma estratégia de aproveitamento das possibilidades que o Mar nos oferece, também estamos a falar destes investimentos”, afirmou Vasco Cordeiro, no início da visita estatutária à ilha de São Jorge.
Na apresentação do projeto de arquitetura da futura Gare das Velas, o Presidente do Governo recordou que, a determinada altura, a Região tomou a decisão de extinguir o transporte marítimo de passageiros à escala regional, o que teve determinadas consequências que se prolongaram no tempo.
“Em boa hora, iniciou-se o processo de atenuação destas consequências com a recuperação, numa primeira fase, do transporte marítimo de passageiros”, a que se seguiu a segunda fase com o alargamento de novas possibilidades ao nível do transporte de mercadorias.
“O Governo dos Açores continua, assim, a cumprir os seus compromissos”, assegurou Vasco Cordeiro, ao salientar, ainda, a concretização de uma política de coesão que se assume como necessária e imprescindível para a Região.
“Por todo o nosso arquipélago, há a concretização dessa política de coesão que passa, exatamente, por reforçar as condições de integração e de articulação de todas as ilhas no panorama regional”, frisou o Presidente do Governo.
Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou que a obra de ampliação do cais e da construção da gare, cujo concurso público vai ser lançado em julho, tem um encadeamento com um conjunto de outras medidas que foram, estão e serão tomadas quanto à mobilidade na Região.
“No caso do transporte marítimo de passageiros, existem dados concretos que permitem aferir da capacidade e da vontade de resposta por parte das Açorianas e dos Açorianos quanto à disponibilização dessas infraestruturas”, afirmou.
Nesse sentido, revelou que, nos meses já decorridos deste ano, constata-se um crescimento muito positivo no número de passageiros transportados na zona central do arquipélago, com cerca de cerca 25% na ligação Horta/São Roque/Velas e mais 7,3% na ligação Horta/Madalena.
Estas percentagens correspondem um aumento de mais de 3.000 passageiros na ligação Horta/São Roque/Velas e superior a 8.700 passageiros na ligação Horta/Madalena. 
Relativamente à nova possibilidade colocada aos dispor dos Açorianos de transporte de viaturas no ‘Triângulo’, desde a entrada em funcionamento dos novos navios ‘Gilberto Mariano’ e ‘Mestre Simão’ – há cerca de três meses – verificou-se um movimento de aproximadamente 1.200 viaturas transportadas.
“Julgo que estes números são bem elucidativos, não apenas do acerto das opções que em devido tempo foram tomadas, mas, sobretudo, do mérito deste caminho que estamos a trilhar de introduzir novas possibilidades e de as conciliar com um conjunto de atores que já existem neste mercado e, por essa via, criar as condições para que possa surgir um verdadeiro mercado interno”, concluiu Vasco Cordeiro.

4 comentários:

Tiago Matos disse...

Boas, não se sabe quando vai comecar a obra? Tambem não sabe se existe algum desenho de como ira ficar o porto?

Abraço
Tiago

Manuel Bettencourt disse...

Boas Tiago,

Datas não sei, quanto ao desenho de aumento do caís já o vi, tenho de procurar!

abraço,
Manuel

DB disse...

consegues uma foto do render com melhor qualidade?

Manuel Bettencourt disse...

Boas Caro DB,

Posso tentar, mas não prometo, além disso estou a pensar no caís!

Cumprimentos
Manuel