Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sábado, 16 de fevereiro de 2013

N/T "MAERSK RIESA" na Praia da Vitória







Registamos aqui a escala do N/T "MAERSK RIESA" no porto da Praia da Vitória para descarga de cerca de 7.000 toneladas de Fuelóleo para o recebedor REPSOL. Um dos seus 18 irmãos gémeos, o N/T "MAERSK RHODE ISLAND" passou por cá em Setembro de 2011 (ver aqui), mas descarregou no terminal P.O.L.
Nome: MAERSK RIESA.
Data e Hora da entrada: 16.02.2013 - 08:00
Indicativo de chamada: C6VT3.
Nº IMO: 9252292.
Porto de registo: Nassau.
Bandeira: Bahamas.
Ano de construção: 2003.
Comprimento f. a f.: 171,20 mts.
Boca máxima: 27,43 mts.
Porte (DWT): 34.588 tons.
Arqueação bruta: 22.184 Mtons.
Arqueação líquida: 9.438 Mtons.
Calado máximo à entrada: 7,00 mts.
Estaleiro: Dalian Shipyard Co. Ltd. - Dalian - Nº PC350-1.
Último porto: Ponta Delgada.
Próximo porto: Aguarda Ordens.
Tipo de carga: 7.000 Tons. de Fuelóleo.
Recebedor: REPSOL - TERPARQUE.
Auxiliar de proa: 850 Kw.
Auxiliar de popa: 850 Kw.
Potência da Máquina Principal: B&W 1x5S50MC-2S/SA/iLV - 6.078 Kw.
Armador: Mundan Mobiliengesellschaf (Moller AP).
Agência: BENSAUDE Ag. Navegação - João Martins.
Nome do Comandante: Alexander Tsypchenko.
Piloto de Serviço: Miguel Conceição.
Copyright texto e fotos: Cmdt Rui Carvalho, Praia da Vitória.



2 comentários:

Anónimo disse...

Viva a fartura. até teve de vir o rebocador do Faial aqui à Terceira . Não custa nada gastar o dinheiro dos outros. Deve custar pouco , deve...

Manuel disse...

Caro Visitante, obrigado pelo comentário.
Não se trata de fartura, mas sim de algo muitíssimo importante que é a segurança! Quer seja ela dos bens materiais (navio), quer seja ela do meio ambiente. Estas questões são avaliadas pelos serviço de Pilotagem, tendo em conta uma série de factores, estando a segurança em primeiro lugar nunca a fartura ou poupança!
Sobre poupança, esta refere-se à poupança do armador, uma vez que a utilização dos rebocadores são pagos à Dg-ptg.
Sobre isto, basta lembrar o que aconteceu com o "Evinco" na Praia da Vitória, se não fosse a assistência dos dois rebocadores este provavelmente ficaria atracado na Praia da riviera(?), ninguém imaginaria tal situação, além do mais tratava-se de um navio com excelentes condições de manobra, mas como diz a sabedoria popular "O seguro morreu de velho"!
http://oportodagraciosa.blogspot.pt/2010/02/nt-evinco.html

Cumprimentos e volte sempre
Manuel