Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Navio porta-contentores, "Jork Rover", no porto do Caniçal


© Copyright fotos: Pedro Barbas, Caniçal.
 Navio porta-contentores, "Jork Rover" operado pela OPDR (Oldenburg-Portugiesische Dampfschiffs-Rhedere), hoje no porto do Caniçal. De relembrar que o porto madeirense regista escalas quinzenais deste operador alemão. Esta linha da OPDR consiste nas seguintes escalas, Hamburg – Antwerp (by barge) – Rotterdam – Felixstowe – Caniçal (fortnightly) – Santa Cruz de Tenerife – Las Palmas de Gran Canaria – Arrecife de Lanzarote –  Casablanca (fortnightly) – Melilla (fortnightly) – Gibraltar (fortnightly) – Cartagena – Motril – Lisbon – Felixstowe – Hamburg– Rotterdam – Antwerp .
O meu Agradecimento ao Pedro Barbas, pela partilha destas belas fotos!
Nome: Jork Rover
Nº IMO: 9323467
Ind. Chamada: V2CB4
Ano: 2006/7
T.A.B.: 7852 tons
T.A.L.: 3363 tons
D.W.T. 9300 tons
Bandeira: Antigua e Bermuda
Porto de registo: St. John´s
Comprimento: 140,64 mts
Boca: 21,8 mts
Calado: 7.30 mts
Capacidade Teus (nominal): 813
Máquina principal: MAK 9 M 43, 8,400 kW at 500 rpm
Bowthruster: 700kW
Velocidade: 16 nós.

4 comentários:

Ricardo disse...

Bem ao ver este artigo, pensei. Então o Jork Rider, também faz escalas no Caniçal, certo?

Abraço

Manuel disse...

Boas Ricardo,

Sinceramente não sei, a última vez que vi (em fotos) um da OPDR no Caniçal era um dos amarelinhos!

Abraço,
Manuel

Vix Spray disse...

Há dias foi o "Jork Reliance". A OPDR de vez em quando usa navios fretados nesta linha. Já cheguei a ver no Caniçal o "Manfred" a operar pela OPDR. Segundo a página da companhia neste momento navios fretados são três: "BF Euphoria", "Jork Rover" e "Jork Reliance". Todos os restantes cujos nomes começam por "OPDR" são navios própios. Nalguns casos pode ter a ver com substituição por idas a estaleiro de algum navio da OPDR. Noutros casos com a necessidade de utilizar navios com maior capacidade em alturas do ano em que certas rotas têm mais carga ou simplesmente estão a aumentar o nº de rotas e portos de escala e não lhes convém adquirir mais navios para já ou as novas construções ainda não estão disponíveis.

Manuel disse...

Caro Vix Spray,

Muito obrigado pela ajuda fiquei a saber mais qualquer coisa!

Não sei se sonhei isto, mas penso que a OPDR a determinada altura terá mostrado interesse numa empresa nacional da linha dos Açores!

Um Abraço,
Manuel