Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 26 de janeiro de 2014

Ferry enfrentando ondas gigantes (Vídeo)


O "Smyril", é um ferry propriedade e operado pela companhia de transportes das ilhas Faroé, Strandfaraskip Landsins. 
Nome: Smyril
Operador: Strandfaraskip Landsins
Porto de registo: Tvøroyri,  Faroe Islands
Estaleiro: IZAR
IMO : 9275218
Ind. Chamada: XPWG
TAB: 12,650 Tons
Comprimento: 138 mts
Boca: 22.7 mts
Calado: 5.60 mts
Potência: 4x MAN B&W 7L 32/40 diesel engines
2 x KaMeWa bow thrusters
Speed: 21 nós
Capacidade: 976 passengers e 200 cars
© Copyright foto e fonte: Wikipédia

7 comentários:

Paulo Farinha disse...

Excelente navio bem capitaneado.
O ferry Volcan de Tijarafe numa das viagens de regresso de Portimão foi submetido a ondas de 9 metros, e não aconteceu nada aos passageiros e à carga rodada, automóveis e atrelados.
Um abraço
Paulo Farinha

Manuel Bettencourt disse...

Caro Paulo Farinha,

Lembro-me dessa situação relatada no seu blog!

Um Abraço aí para a Madeira
Manuel

Anónimo disse...

Boas,
Caro amigo Manuel, é com agrado que todos os dias dou uma espreitadela no seu blog. Blog muito dinâmico, que cativa qualquer um que goste de "Barcos" e dos nossos Açores. Mais uma vez traz nos aqui um post que se enquadra no contexto atual dos Açores. Sem dúvida nenhuma, optaria por esse estilo de Ferry ( acho que o outro mencionado atrás iria ser demasiadamente complexo em termos de logistica para operação nos nossos pequenos portos). Mais uma vez parabéns, abraço da Ilha do Pico, Kevin F.T

Manuel Bettencourt disse...

Boas Amigo Kevin,

Pois, penso o mesmo que tu, além disso imagina que resultaria num brutal aumento do tempo de viagem!

A opção segundo julgo saber será por um ferry tipo convencional. Usando por exemplo o Santorini, podíamos carregar na sua configuração original 35 trelas de 9 metros, ou seja tem uma excelente capacidade se houver necessidade de carregar trelas!

Abraço,
Manuel

Rui Carvalho disse...

Caro MMCB

Como sabes a minha opinião é a proposta das três valências.
Não vejo como nos pequenos portos se poderá ter terrapleno suficiente para estacionar e operar um modelo de trelas, que como sabes ocupa muito espaço por não se poder estacionar em altura.
Mesmo através de "MAFIS" seria sempre um operação tão ou mais demorada do que embarque simultâneo.
Penso que as opções anunciadas poderão levar à falência do sistema de transporte de passageiros e suas viaturas, com graves consequências para o Estado.
Digo isto porque o modelo apresentado não apresenta viabilidade económica/financeira para o negócio em si.
Não é sustentável.
Vive dos impostos de todos nós e não apresenta produtividade.

É a ninha opinião.

Abraço

ErrE

Manuel Bettencourt disse...

Amigo Rui,

Sabes bem que respeito e aprendo sempre com o teu conhecimento desta área.

Sabes também bem o que me preocupa nesse conceito, tens razão quanto à questão da capacidade de contentores mas sendo um ferry com escalas mais frequentes que o porta-contentores não teria problemas com as trelas pelo menos cá.

Uma coisa que nos diferencia é que não quero perder os porta-contentores e sabes bem porquê!


Abraço,
Manuel

Anónimo disse...

Boas, caro Rui Carvalho, na parte da sustentabilidade concordo consigo. Todos nos sabemos que é muito complicado gerir qualquer empresa de transportes nos Açores! no entanto.... gerir carga, carros e pessoas em portos que nem de perto nem de longe estão preparados para isso ... ia ser complicado, a meu ver. Mas totalmente de acordo, e com a mesma preocupação com a parte da viabilidade economica :( mas antes pagarmos impostos para coisas uteis, que certas coisas que se ve por ai. Somos ilhas todas diferentes... pouca população, no entanto temos que nos unir e o mar e o nosso caminho! (modesta openião, de um jovem sem esperiencia ).