Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Express Santorini

Recebi recentemente, um interessante comentário de um visitante, sobre o "Express Santorini", que achei conveniente publicá-lo aqui com maior destaque:
“Foi construído em Nantes, França, em 1974 como transportador de vagões dos caminhos-de-ferro ( Franceses) e passageiros, e foi nomeado de Chartres. Vendido em 1993 e reconstruído como navio ro-pax, ainda se pode ver os trilhos das linhas de caminho de ferro na garagem, que estão cobertos. Embora o navio tenha quase 35 anos de idade está em muito boas condições, devido á sua construção, que foi especialmente fortalecida, para o transporte dos vagões do caminho-de-ferro, mas também devido a uma boa manutenção, desde que é propriedade da Hellenic Seaways.
O "Express Santorini" tinha grande êxito na Grécia até 2007, desde então, por 3 temporadas de verão tem operado nos Açores, fretado pela Atlanticoline, segundo comentários das pessoas tem tido operações bem sucedidas, e deixado boa impressão nos passageiros.
Durante a época de inverno o navio opera na Grécia, substituindo os navios da Hellenic Seaways nas suas manutenções anuais. Tanto quanto eu sei o "Express Santorini" estava em manutenção desde 21 de Setembro até estes dias (28-Set). O navio vai começar a operar nas ilhas Gregas a 1 de Novembro. O navio tinha uma manutenção muito boa para os motores principais e geradores eléctricos, foi á doca seca 4 dias para protecção anti-incrustantes, passou todas as inspecções quer das autoridades gregas quer da RINA, e está pronto para zarpar. Segundo as minhas informações após os reparos dos motores principais, o navio vai voltar á sua velocidade original de 20,5 nós, claro que por razões económicas acho que não ultrapassará os 18,5 nós, enquanto não houver necessidade para tal.
As ilhas gregas conhecem o "Expresso Santorini", desde o tempo que lá operava, e recordam-no com nostalgia, e ficarão contentes de voltarem a vê-lo escalar os seus portos este inverno.
Como perceberá gosto muito deste navio, que representa uma geração mais velha de navios, construídos na década de 70, e que estão em muito boas condições, melhor que novos “edifícios”, que tem maior velocidade, mas não oferecem aos passageiros a magia de uma viagem, com os decks abertos e espaços livres externos para podermos desfrutar do sol e do vento.”
(©) Copyright texto: Comentário do visitante, Karibu, Grécia.
(©) Copyright fotos:MM Bettencourt, Graciosa

Sem comentários: