Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

China interessada no porto Oceânico da Praia da Vitória

© Copyright foto: Carlos Medeiros, Terceira.
A RTP-Açores, publica hoje no seu site, uma notícia que dá conta do interesse da China em investir  na ilha Terceira, mais especificamente no porto Oceânico da Praia da Vitória, onde pretende instalar um posto de abastecimento  para navios, além de uma eventual guarnição militar. (LER AQUI).
No mesmo artigo refere-se as vantagens da proximidade entre esta estrutura portuária e o aeroporto das Lajes. No meu entender, deve-se potenciar este porto e concentrar todos os investimentos portuários aqui! Além das vantagens da proximidade entre porto/aeroporto, também existe a mais valia de  poder oferecer soluções para um novo modelo de transporte marítimo, permitindo uma fácil e económica interligação entre o terminal ro-pax e o terminal de contentores, ou o parque industrial da ilha, situado nos arredores do porto. 
Publico dois artigos relacionados com as potencialidades  do Porto da Praia da Vitória, da autoria do Cte. Rui Carvalho, que julguei conveniente relembrar.
SUBSÍDIOS PARA O ORDENAMENTO DO PORTO DA PRAIA DA VITÓRIA
© Copyright texto: Cte Rui Carvalho, Praia da Vitória.
© Copyright foto: Desconheço o autor da foto original! Mas terei todo o gosto em atribuir os créditos ao autor!
Caso se concretize o previsto reordenamento do porto da Praia da Vitória para 2014, sugerimos aqui que seja concentrado o investimento na construção de uma segunda rampa Ro-Ro destinada aos navios ferry da Atlânticoline. A necessidade centra-se na melhoria da operação de transbordo de passageiros e viaturas entre navios, uma vez que é neste porto que a logística nodal é concretizada. Além do mais, os ganhos resultariam numa redução significativa dos tempos de transito e na melhoria da segurança da entrada, saída e permanência das embarcações no porto. Por ultimo importa referir que também se libertava o cais -10 para operações com navios de carga evitando-se assim atrasos ou alterações de programação de escalas por falta de espaço de cais como frequentemente acontece. Lembramos que os horários da Atlânticoline obrigam a que no verão o cais -10 esteja cativo dias inteiros para as escalas dos seus navios.
Potencialidades do Porto da Praia da Vitória
(©) Copyrights texto: Rui Carvalho, Praia da Vitória.
(©) Imagem: googlesat.
Há por aí quem não encontre no Porto da Praia da Vitória potencialidades alavancadoras da economia Açoriana, em minha opinião faltar-lhes-á visão ou então pura e simplesmente recusar-se-ão a ver, sendo este o pior cego como se sabe.
A mais pura racionalidade financeira determina que para alguns portos dos Açores as suas localizações, limitações ou massa crítica empresarial inibem ou impossibilitam o crescimento afastando-os da 1ª liga e das necessárias exigências dos portos do século XXI.
No entanto, este perfil de limitação não se enquadra no Porto da Praia da Vitória que oferece amplos espaços para crescimento, quer em área alagada, quer em área seca.
No seu interland inclui-se um aeroporto internacional que tem grande potencialidade como plataforma logística de carga aérea, infelizmente muito mal aproveitada.
O plano de investimento portuário concentrado no Porto da Praia da Vitória deverá incluir a construção do alongamento do molhe norte junto ao actual terminal P.O.L., movendo-se uma magistratura de influência diplomática junto do governo dos EUA de forma a adaptar este terminal com as devidas e necessárias obras para ali criar o futuro caís de cruzeiros da ilha Terceira.
Do outro lado da baía onde estão concentrados todos os serviços portuários, incluir-se-ia o aumento do actual caís -12 em 110 metros, passando este a ter uma nova frente de atracação com um comprimento total de 460 metros.
Para além do crescimento do cais -12 torna-se necessário também a construção de um novo cais multi-propose de 200 metros com uma rampa ro-ro e paralelo ao actual cais -7, conhecido por cais dos ferry´s, permitindo a operação simultânea de dois navios e principalmente melhorar a operacionalidade do terminal de cimento.
Acompanhará este novo cais -7 a construção de um amplo parque de estacionamento destinado ao parqueamento das viaturas para embarque e zona para o público, permitindo assim a reorganização e ordenamento de toda aquela área evitando o caos de trânsito que se tem verificado ao longo dos últimos anos.
Rebuscando ainda a ideia de ali concentrar o tráfego ferry, lembro que uma das indicações do estudo da BTM, tão badalado pela Atlânticoline e Governo Regional, aconselha uma maior inter-mobilidade, ou seja, a actividade ferry e os seus passageiros poderiam ganhar em termos de economia de escala com a localização do aeroporto internacional das Lajes a poucos quilómetros, como já foi aqui referido.
Esta é apenas uma ideia das eventuais potencialidades de crescimento do actual porto da Praia da Vitória, cada um terá certamente a sua visão e opinião, mas que o porto tem potencial de crescimento lá isso têm, ficando também por desenvolver uma gama de oportunidades empresariais que se sabe um porto alavancar.
Veremos pois o que o futuro nos reserva, até porque no estudo BTM se refere como estratégico a criação de Hubs logísticos nos Açores, e o modelo concentrionista de Ponta Delgada não desenvolve os Açores por igual.

Sem comentários: