Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Damen Shipyards, o vencedor anunciado

  A Damen Shipyards, é uma empresa holandesa de construção e reparação naval, fundada em 1927 por Jan e Marinus Damen. Actualmente denominado, Grupo Damen, é gerido desde 1967 por Kommer Damen, filho do fundador Jan Damen, que iniciou uma nova estratégia na gestão dos estaleiros, visando reduzir os prazos de entrega, passando por construir cascos de navios para stock, que depois são apenas finalizados segundo os requisitos dos seus clientes. As suas construções abrangem variados tipos de navios, desde: rebocadores, HSC, ferries, roro, porta-contentores, dragas, etc. O Grupo Damen, tem actualmente empresas espalhadas por vários paises, onde se inclui a África do Sul (Vídeo).
Nos Açores, trabalham dois rebocadores portuários, contruídos pela Damen (holanda), trata-se de  "O Bravo" e o "Ilha de S. Luís", da APTG, SA e APTO, SA respectivamente. Á poucos dias a publicação Cargo News, avançava a notícia que será estes estaleiros a construir os dois ferries da Atlântico Line, destinados às ligações entre as ilhas do triângulo ( Pico-Faial- S. Jorge),  que irão substituir o "Cruzeiro do Canal" e "Cruzeiro das Ilhas". Entretanto a empresa pública, Atlantico Line, ainda não confirmou a noticia, afirmando à Cargo News que o concurso ainda está a decorrer.
Como todos sabemos, acho que a Cargo News está bem informada e terá razão na sua afirmação, até porque num anterior artigo por si publicado, referia que seria  difilcil um estaleiro nacional ganhar este concurso uma vez que è exigente nos requesitos.
(©) Copyright fotos e imagens: 1ª Gacs; 2ª MM Bettencourt; 3ª Damen Group.
Fonte: Cargo News .

7 comentários:

Manuel disse...

Agradeço, o envio dos links ao Sr. António (amg), que serviram para ajudar construir este post.
Abraço,
Manuel

DavidB disse...

Se o ferry for assim como esta o render , nao parece que consiga transportar uma trela com Contentor , o que é uma pena .
Mais parece que consegue-se meter um camião com caixa termica tipo Mitisubishi Canter o que já é muito bom e vai ajudar no desenvolvimento dessas ilhas .


veja a parte dos Ferrys da Damen

http://www.damen.nl/products/FERRIES.aspx?mId=8590

Manuel disse...

Boas Caro DavidB, também sou da sua opinião, concordo especialmente na parte em que se refere ao desenvolvimento das ilhas. Veremos o que acontece por exemplo com os ferry de Verão quando existir rampas?
Vou fazer nova visita à Damen, Obrigado.
Abraço,
Manuel

DavidB disse...

2 preguntas, 1º esses Ferrys que fazem a temporada de Verao tem altura suficiente para transportar um camiao com Caixa Termica?

2º Qual é a justificaçao de so haver Ferrys no verão?

É falta de gente para transportar? o que duvido ou devido ao mar agitado no Inverno?

Aqui na Madeira quando o Mar esta complicado o Lobo Marinho não sai , mais isso acontece raramente , eu sei que ai é mais complicado mais não me digam que o Mar so começa a melhorar em Maio

Manuel disse...

Boas Caro DavidB, Obrigado pelo comentário, e duas perguntas inteligentes, que também faço a mim.
1ª Como sabe, no Verão os ferrys nos Açores limitam-se ás viaturas, uma vez que são usadas as portas laterais que não têem muita altura. Entram as Ford Transit, e já vi entrar uma Mitsubishi com caixa termica, mas é daquelas mais pequenas, e já é no limite.
Como sabe na Grécia ( veja na etiqueta Grécia) por exemplo o Express Santorini transporta camiões e outros veículos comerciais, tal como o Lobo Marinho aí na Madeira. Quanto ao Hellenic, tenho fotos dele no blog carregando comerciais em liverpool.
2ª Bem durante uma operação verificamos que o pico de passageiros verifica-se em julho e Agosto, os meses mais fortes devido às férias e ás festas nas diversas ilhas. Os outros meses são mais fracos, e a parti de meio de Setembro verifica-se uma acentuada quebra de passageiros.
Na minha opinião penso que não existe passageiros que justifiquem uma operação anual.
Na minha opinião poderiamos ter uma operação anual, se fosse como na Madeira e Canárias, ou seja, se os ferrys transportassem carga tornando desta forma o serviço mais rentavel ( penso eu).
O que torna isso dificil? bem repare por exemplo na minha ilha: temos um porta-contentores (ligação- Continente- Madeira-E restante palneta); temos um navio tanque ( para os combustiveis), trafego local 3 navios dos TMG; e no Verão 2 ferrys.
Se seguissemos o exemplo do Porto Santo ( pêço a sua ajuda se estiver errado), teriamos o porta-contentores de 15 em 15 dias, um navio tanque, e um ferry ligações (as necessarias) semanais, é mais ou menos o modelo do Porto Santo.
Porque ninguem quer isto nos Açores? O mar não é razão, porque também os navios pequenos e grandes se sujeitam a ele e quando não há condições cancela-se, como em todo o lado.
Se reparar não falei nos TMG ( em relação à Graciosa), da Empresa de Barcos do Pico ( tem 2 navios) nos Pareces de S. Miguel, no Santa Iria que faz ligação Flores -Corvo.
Se por exemplo os TMG na devida altura tivessem dado um passo em direcção ao futuro se calhar podiam ser uma espécie de mini-Armas para o Grupo Central ou para os Açores, ai teriamos carga e passageiros todo o ano.
Repare por exemplo no pequeno ferry dos TMG o Espírito Santo, a Noruega fez durante algum tempo uma ligação entre uma cidade e uma pequena ilha ( com a população do Corvo ilha Traena) consegue descarregar carga com recurso à sua grua, consegue transportar passageiros, e tem a sua porta de popa, e mais foi construido em 1964. Dê uma vista de olhos no projecto dos ferrys, e repare no ES de 1964, não acha semelhanças? quantos anos estamos atrasados? o problema é quanto mais vamos ficar.
Se tivessemos mais população, seria o mercado a decidir e a exigir, como somos pequenos tudo torna-se mais complicado.
amigo DavidB, espero que tenha-me explicado de forma compreensivel.
Um Abraço e volte sempre,
Manuel

DavidB disse...

Tive a ver agora o seu post (antigo) sobre o "Express Santorini" na Grecia e vi que ele tem capacidade para transportar Trelas .

Sabe alguma coisa sobre a construção das rampas nos portos onde os Ferrys fazem escala , sera que estas rampas demoraram a fazer devido a pressões dos armadores tradicionais ?

Manuel disse...

Boas Amigo DavidB, eu penso que as rampas continuarão a ser construidas, Ponta Delgada e Santa Maria já estão, Praia da Vitória já tinha, penso que em construção estará a das Flores ( não tenho a certeza)´. Quanto ás restante, e nomeadamente a da Graciosa, não sei quando está prevista o inicio das obras.
Penso que não haverá pressões dos pequenos Armadores por causa das rampas, mas também lhe digo que não acredito que quando houver rampas haja carga nos ferrys, ai não serão apenas os pequenos Armadores, mas os grandes e as estivas.
Agora a questão é: Se não houver carga para que serve as rampas? seria mais barato as rampas laterais como o Hellenic e Santorini.
Mais outra questão que surge com as rampas, que é a sua operacionalidade, e isso será outra história.
Abraço,
Manuel