Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

terça-feira, 12 de junho de 2012

Corveta "João Coutinho", no porto da Graciosa

A corveta, "João Coutinho", comandada pelo Capitão-Tenente, Silva Lampreia, atracou no porto da Graciosa no dia 10 e partiu  no dia seguinte. Esta corveta da Marinha Portuguesa está actualmente actualmente  cumprindo a  missão de Segurança e Autoridade do Estado no Mar nos Açores, tendo o termino da mesma programada para o inicio do próximo mês. Uma das atribuições consiste também na fiscalização da frota pesqueira, exemplo disso a acção realizada no dia 10 de junho a uma embarcação de pesca, junto à costa da ilha. A corveta "João Coutinho", foi construída nos Estaleiros Blohm & Voss, Alemanha, em 1970 segundo projecto genuinamente português do Eng. Construtor Naval, Rogério Silva Duarte Geral D´Oliveira, foi lançada à água a 7 de Março de 1970.
Comprimento: 83 mts

Boca: 10,3 mts
Calado: 3,3 mts
Velocidade máx.: 22 nós
Propulsão: 2 motores OEW Pielstick 12 Pc2.2 V400 diesel.
Guarnição:
Oficiais-7
Sargentos: 14
Praças: 51
(©) Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa.






Tem como Patrono, João António de Azevedo Coutinho Fragoso de Cerqueira, nascido em Alter do Chão a 3 de Fevereiro de 1865. Distinguiu-se pela bravura e capacidade de comando, com 24 anos e ocupando o posto de 2º Tenente da Armada recebeu o titulo de " Benemérito da Pátria", e passado 2 anos seria Agraciado com a "Ordem de Torre Espada" pelo Rei D. Carlos, durante a sua brilhante carreira ao serviço da Pátria desempenhou ainda o cargo de Ministro da Marinha.
Passou à reforma no posto de Capitão-de-Fragata em 1910 por imposição do novo regime. Fez-se no entanto justiça quando, mais tarde, foi reintegrado na Armada com o posto de Vice-Almirante honorário.



Sem comentários: