Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 24 de junho de 2012

Younicos reduzirá no futuro as escalas do N/T "Chem Daisy"






O N/T "Chem Daisy", efectuou ontem a sua 7ª escala no porto da Graciosa, no corrente ano, enquanto que no ano anterior pela mesma altura contabilizámos 12 escalas. Esta redução verifica-se essencialmente devido ao facto da empresa Bencom, ter efectuado um aumento da sua capacidade de armazenamento. 
A redução de escalas deste navio tanque podem no futuro se acentuar ainda mais, isto porque na ilha se irá realizar um projecto pioneiro levado a cabo pela empresa alemã, Younicos, com sede em Berlim, e que visa submeter a ilha a uma revolução verde. A Graciosa pode vir a ser a primeira região insular do mundo, livre de CO2.
(©) Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa.
Ao ver no Marinetraffic, que o destino do "Chem Daisy", era "Viva German", fiquei a pensar, será que este quer agradecer à Alemanha pelo projecto que irá reduzir as suas escalas na Graciosa? Ou será que a ilha foi vendida e mudou de nome? 

7 comentários:

Elvio Leão disse...

Amigo Manuel
Será que esse projecto é algo semelhante a este ?http://marportosanto.blogspot.pt/2012/05/producao-de-biofuel-com-algas.html

Abraço
Elvio

Manuel disse...

Amigo Elvio, interessante o teu projecto, veremos o que realmente irá trazer de positivo para as nossas ilhas.
Para já resta-me esperar pela chegada dos equipamentos.
Um Abraço,
Manuel

Victor disse...

Manuel, conforme as ilhas forem ficando mais auto-sustentáveis em termos energéticos, seja através da produção de energia eólica, geotérmica, hidroeléctrica etc, e conforme o parque automóvel das mesmas depender cada vez menos de combustíveis fósseis, menos escalas de navios quimicos/petroleiros vamos ter, e isto é válido para todas as ilhas em toda a parte. É uma desvantagem para o spotter de navios e o entusiasta em geral, mas é por uma boa causa.

Manuel disse...

Amigo Victor, tem razão, estou curioso para ver a implementação deste projecto na Graciosa, penso que para breve está a chagada de algum equipamento. Obviamente que se trata de valorizar a ilha no aspecto ambiental, espero que os responsáveis saibam tirar partido deste e de outros projectos que se vão implementando por cá.
Como portuário, obviamente que tem implicações para mim, mas como digo em relação aos ferrys, não se pode proteger 2 ou 3 em detrimento de muitos, que avance o desenvolvimento energético da ilha.
Um Abraço,
Manuel

PS: já vi o tal post, vou esperar para ver.

Paulo Farinha disse...

Caro amigo Bettencourte.
Eu valorizo há muito tempo as energias renováveis, e esta notícia apraz-me imenso.
Agora, sem de modo algum querer contradizer o exposto, a ilha de Hierro (Canárias) com cerca de 11000 habitantes, desde o ano passado produz energia verde 100%.
Mas, a primeira ilha, a produzir energia verde 100% foi a ilha dinamarquesa de Samso, em 2006.
A ilha da Graciosa é das regiões portuguesas mais verde! agora com este projecto, ainda mais verde ficará. Parabéns.
Um abraço.
Paulo Farinha

Manuel disse...

Amigo Paulo Farinha, obrigado pela explicação, isto de energia 100% verde não será bem assim pois carros, tractores, barcos etc, vão precisar de combustíveis, durante muitos anos.
Abraço,
Manuel

Anónimo disse...

Ola Manuel
Faço votos para que este projecto seja um sucesso e que se estenda às restantes ilhas, pois nós temos óptimas condições para a produção de energias renováveis.
Seria também importante que o nosso governo cria-se mais e melhores incentivos à aquisição de carros eléctricos, temos a obrigação de cuidar do presente para que os nossos filhos e gerações seguintes tenham um futuro melhor.

Cumprimentos
Jorge Azevedo