Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quinta-feira, 28 de março de 2013

ALGUMAS NOTAS SOBRE O TRANSPORTE MARÍTIMO DOS AÇORES - 8


ALGUMAS NOTAS SOBRE O TRANSPORTE MARÍTIMO DOS AÇORES - 8
Copyright texto: Eng. José Ribeiro Pinto

No artigo anterior avançámos com uma proposta de modelo que nos parece muito mais lógica que o actualmente em vigor. Continuemos a analisá-la:
Com este modelo temos a certeza que o preço Continente – P. Delgada e Continente – P. Vitória seria muito mais baixo. 
De facto, se temos menos navios que, sendo embora muito maiores que os actuais, são proporcionalmente mais baratos e se estes navios não têm que se deslocar a outras ilhas, pois só fazem um transporte directo entre o Continente e um porto da região (PDL ou PV) o preço tem que ser muito mais baixo que os actuais 1250 – 500 = 750 € (1250€ preço tabela Continente – Açores actual; 500€ preço do slot), pois já sabemos que este valor é lucrativo no actual sistema em que há grandes desperdícios de tempo e de espaço em todos os navios.  
Imaginemos que esta poupança seria da ordem dos 25%, ou seja que um contentor Lisboa/P. Delgada ou Lisboa/P Vitória custaria 562.5 €, poupando-se portanto 187.5 € em cada contentor de 20 pés. Multiplicando pelo número total de contentores de 2010 (118.276 teu’s) obtínhamos 22,18 milhões de euros. 
É claro que esta é uma conta muito simples, quando há muitas variantes em jogo, mas lá que é lógica, é! 
Há estudos que apontam para uma poupança anual que poderá ser da ordem dos 20 milhões de euros. 
E, como já referimos anteriormente, este mercado poderia ser completamente liberalizado. 
Vejamos agora a distribuição inter-ilhas. Neste caso é natural que o seu custo seja mais caro que o actual uma vez que o volume de negócios é mais pequeno e necessitamos de 3 navios.
Como sabemos actualmente a Atlanticoline tem aberto um concurso público internacional para o afretamento por 2 anos de dois ferries com um preço base de 16,4 milhões de euros, ou seja em média 4.1m€ por navio por ano. Sabemos que, grosso modo, a média anual gasta nos últimos 14 anos foi desta ordem de grandeza. 
Sabemos, também que são navios para servirem apenas 5 meses um deles e 4 meses o outro, com capacidade de transportar centenas de passageiros cada. Se se tratar de navios mais simples, que não transportam passageiros, que são afretados para servir todo o ano em contratos plurianuais ou que são mesmo comprados, podemos imaginar que poderão custar em média cerca de 50% mais que aquele valor, ou seja, 6.5 m€ por ano. Como necessitamos de 3 navios, teríamos um custo anual da ordem dos 19.5 m€     
Considerando que o custo actual é da ordem de 20.500 teu’s x 500 € = 10,25 milhões de euros (admitindo como bom valor médio o valor praticado para o slot), teríamos então para este ramo do transporte um sobrecusto de 19,5 – 10,25, ou seja 9.25 milhões de euros.
É claro, igualmente como acima se disse, que esta é uma conta muito simples, quando há muitas variantes em jogo, mas tem uma certa lógica.
Há estudos que apontam para um aumento do custo anual da ordem dos 7 milhões de euros. 
Concluímos, assim, que, com o nosso novo modelo, poderíamos ter uma poupança global de 22,18 - 9.25 = 12.93 milhões de euros!
Ou seja, verificamos uma descida global no preço Continente – qualquer ilha da Região da ordem dos 9 a 10%, com pelo menos duas ligações semanais entre todas as ilhas com excepção das Flores que passaria a ter uma ligação semanal. O sistema permite pois que garantidamente qualquer carga demora menos de uma semana entre quaisquer ilhas, a preço mais baixo. 
O transporte inter-ilhas seria fortemente implementado com ganhos enormes para o mercado interno – SÓ ASSIM SE CONSEGUE DE FORMA RELATIVAMENTE POUCO CARA E EFICAZ PROMOVER TROCAS COMERCIAIS FREQUENTES E BARATAS ENTRE QUAISQUER ILHAS DA REGIÃO - permitindo baixar as importações do Continente.    
-continua-
*Engenheiro Civil

2 comentários:

Bernardo Pinheiro disse...

Boas Manuel,
acho que um bom tipo de navio para fazer as ligações inter-ilhas seria por exemplo os navios da Grande Africa Classe utilizados pela Grimaldi Lines, claro que com algumas alterações.

Manuel disse...

Boas Bernardo, tenho um amigo que defende a utilização de um navio tipo os Grimaldi, um dias destes pedirei ao meu amigo para elaborarmos um post sobre o assunto.
Um Abraço e Feliz Pascoa
Manuel