Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

quarta-feira, 20 de julho de 2011

A Energía das Ondas.

Em Motrico no Norte de Espanha (perto de Bilbao), aproveitou-se o projeto de nova construção de um dique de abrigo para a proteção do porto, para desenvolver uma instalação energética renovável para a produção de energia elétrica.
A nova planta motriz de Motrico utiliza a tecnologia denominada OWC (Coluna de Água Oscilante nas suas siglas em inglês) da companhia escocesa Wavegen, que é neste campo da energia mareomotriz, e um dos projetos mais avançados que se desenvolveram. Na atualidade há já duas instalações similares, uma em Portugal e outra na Escócia orientadas mais à investigação que à produção energética.

A nova planta conta com uma potência de 296 kW e estima-se uma produção anual de 600.000 kWh, equivalente ao consumo de 600 pessoas e a sua produção renovável terá o efeito depurativo de 80 hectares de bosque.

2 comentários:

Rui Carvalho disse...

Caro Amigo Antonio

Uma experiência-piloto deste tipo foi feita na ilha de Pico alguns anos atrás.
Os resultados não foram muito animadores, mas no entanto serviu como projecto pioneiro, e quanto julgo saber adquiriu-se muito conhecimento nesta área.
Só não percebo porque é que sendo os Açores uma região fustigada permanentemente por ondulação significativa não se continuou a investir nas ondas.
Ou então porque é que disso não se tem escrito e falado.

Abraço

ErrE

antonio sáez disse...

Estimado Rui.
Efectivamente, se montó una estación experimental de 500 kW en 2001 en Pico, pero no tengo noticia de los resultados obtenidos.
Estoy de acuerdo contigo, de que la región parece adecuada para este tipo de aprovechamientos energéticos.
Saludos.