Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 24 de julho de 2011

A logística do transporte dos combustiveis refinados nos Açores

N/T Madeiro, em Ponta Delgada 15-7-2011.(©) Copyright foto: António M. Dias de Simas. 
N/T Chem Daisy, Graciosa 22-7-2011.(©) Copyright foto: MM Bettencourt.
Hoje achei interessante elaborar um pequeno esquema relativo ao transporte e distribuição dos combustíveis refinados para os Açores e inter ilhas. Nesse esquema podemos observar que o N/T "Madeiro", ao serviço da Sacor, é responsável pelo transporte do combustível para os Açores, tendo como porto de carga Sines, posteriormente esse combustível é descarregado em dois portos Açorianos, Ponta Delgada e Praia da Vitória.
Quanto à distribuição inter-ilhas está a cargo do N/T "Chem Daisy", tendo este como porto de carga Ponta Delgada, distribuindo a parti daí pelas restantes ilhas.
Por vezes ao visualizar este mapa na minha cabeça, faço a mim a seguinte pergunta: Não seria vantajoso do ponto de vista logístico por vezes utilizar o porto da Praia da Vitória também como porto de carga? Por vezes acho "interessante" que o navio procedente das Flores ( por exemplo) vá até Ponta Delgada carregar, voltando para uma qualquer ilha do grupo central, quando passa pelo porto da Praia da Vitória onde existe um  grande parque de combustíveis. Enfim posso estar errado neste meu raciocino.
Desconheço o autor da imagem / Esquema MM Bettencourt.

6 comentários:

Rui Carvalho disse...

Caro MMB

A ausência de comentários neste que considero um dos teus mais elucidativos posts sobre a política marítimo-portuária dos Açores é clarificadora.
Quando chega a hora dos "Lobies" todos encondem o jogo.
Só que esta táctica de centralismo artificial e subsidiário alastrou-se a outros tráfegos e essencialmente favoreceu a massa empresarial micaelense, como sempre.
Não se entende como é que das 100 maiores empresas açorianas, 90 estão em São Miguel e apenas 6 na Terceira, a autonomia não tinha esse fim, não senhor.
Será a Terceira uma ilha futura de coesão, será que ainda falta transferir essas 6 empresas para o "Japão" ?
A todos os que nos desgovernaram durante estes 37 anos, parabéns!

Abraço

ErrE

Manuel disse...

Caro ErrE, Obrigado pelo comentário, tudo o que escreves-te leva a uma reflexão sobre a necessidade de um desenvolvimento harmónico de todas as ilhas, não podemos pedir solidariedade do continente para os Açores e cá dentro fazer o contrario.
Se pensarmos na desertificação que assola as pequenas ilhas, talvez uma das razões esteja nesse desiquilibrio económico que te referes.
Um Abraço,
Manuel

M. Bosco disse...

Não gosto de me imiscuir em assuntos sensiveis em casa (arquipélago) alheio mas têm razão. Realmente olhando para o mapa, achariamos lógico por exemplo a Graciosa (e não só) ser abastecida desde a Terceira, mas enfim... Reparem que esse problema da centralização não afecta só os transportes maritimos de combustiveis. Se formos a ver esta nova politica da SATA de concentrar toda a frota em Ponta Delgada, dá pano para mangas. Onde está o esforço de coesão preconizado pelo governo regional? A UE faz um esforço de coesão para com Portugal que por sua vez faz o mesmo com as Regiões Autónomas, mas neste caso a Região Autónoma pára em São Miguel. Os censos 2011 são realmente um sinal de alarme, mas existem outros... E as eleições regionais nos Açores já não estão longe. Vamos ver o que acontece.

Manuel disse...

Meu Amigo M. Bosco, obrigado pelo comentário, pode não ser dos Açores mas somos do mesmo País e o País é um todo, da minha parte a sua opinião é bem vinda, aliás é sempre com prazer que recebo a sua participação.
Repare como podemos pedir para a UE ser solidaria connosco quando cá dentro em algumas coisas não é bem assim?
Saindo do tema dos combistiveis, acho que sem uma politica de transportes global ( aereos e maritimos) será dificil combater a desertificação.
Um Abraço,
Manuel

João Bettencourt Mendonça disse...

Completamente errada essa ideia de considerar a Terceira, a ilha (grande????) mais central do Arqipélago.
Isto porque as teorias que sustentam a política, não são a Geografia, a Economia ou a Matemática.
Essa ciência chama-se "Lobbylogia", e segundo ela, ir de qualquer ilha do arquipélago, à exceção de S. Maria, até S. Miguel reabastecer um barco, é mais barato do que ir à Terceira.
Mas não façam contas, nem determinem distâncias de percursos, porque nesta ciência não há cálculos.
É por estas e por outras que temos os combustíveis ao preço que todos sabemos.
Obs. O imposto na gasolina é de 60% - também é um imposto estranho, não???)

Manuel disse...

Amigo João, desculpa o atraso na resposta mas tive de serviço até tarde.
Com o teu comentário deste-me uma ideia para o post que vou começar a trabalhar, depois aviso-te.
Um Abraço,
Manuel