Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 22 de janeiro de 2012

A Versatilidade da lancha de Pilotos "ELECTRA" e outras coisas de somenos

Já várias vezes neste Blog temos referido as valências que estiveram na base das ideias incluídas no caderno de encargos do projecto das lanchas de pilotos "EUROPA" e "ELECTRA" adstritas à infelizmente extinta Administração dos Portos da Terceira e Graciosa, SA. São elas, a saber, a garantia do serviço de pilotagem de forma digna e em condições de segurança para os pilotos e tripulações das lanchas, valor acrescentado no que respeita à salvaguarda da vida humana em situação de emergência dado as velocidades relativamente elevadas das lanchas e a sua versatilidade (25 nós) e finalmente como auxiliar de manobra graças à sua capacidade de pequeno reboque (6,3 toneladas Bollard Pull). Ora é relativamente a este último ponto que fazemos hoje nota com uma coleção de fotos referentes à chegada da lancha "ELECTRA" rebocado a embarcação de pesca "NATÉRCIA" que se encontrava à deriva a sul da Ilha Graciosa e que de forma diligente, ou seja simples e rápida solicitou à famigerada APTG,SA - Graciosa apoio para o seu reboque de volta ao cais da Praia. Ora se da nossa parte tem sido feito todo um trabalho que se resume à permanente operacionalidade das lanchas em todas as suas valências o mesmo não tem sido feito por parte de uma certa entidade  no que se refere ao respeito necessário que avultado investimento feito com os impostos de todos os portugueses e europeus merece. Dar razão a uma associação de pescadores ressabiada quando esta exige a expulsão da lancha Electra de um equipamento público como o porto de pesca da ilha graciosa, o qual foi lançado a concurso pela própria APTG dona da dita lancha e da obra, é no mínimo uma atitude reprovável.
(©) Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa; Cmdte.  Henrique Almeida, Terceira.
(©) Copyright texto: Cmdte. Rui Carvalho, Terceira.

2 comentários:

Anónimo disse...

Lamentavelmente essa classe profissional tem sempre vistas curtas e lembra-me duas máximas:
1º- Só se lembram de Santa Bárbara quando troveja a sério !
2º- Não cuspas no prato de quem te alimenta !
Aqui pelo continente, nomeadamente em Sesimbra sempre se queixaram da náutica de recreio. Só a toleram porque ultimamente perceberam que pode ser uma grande mais valia para a economia da terra!
Um abraço
João GM-Lisboa

Manuel disse...

Boas amigo, espero que este assunto fique resolvido em breve, para bem de todos.
Epero-o por cá este Verão!
Um Abraço
Manuel